Incrível
Incrível

11 Coisas que não notamos em nossos próprios lares, mas que as visitas reparam

Quando entramos na casa de alguém, sem querer, acabamos reparando em volta e tiramos algumas conclusões sobre as pessoas que moram lá, incluindo suas características, hábitos e estilo de vida. E, às vezes, até os menores detalhes podem revelar informações interessantes. Por exemplo, certas coisas que vemos no lar das pessoas podem nos fazer pensar que essas pessoas são avarentas. No entanto, as conclusões que tiramos nem sempre são verdadeiras.

Nós, do Incrível.club, identificamos as diferenças entre ser econômico e ser avarento e listamos algumas coisas em uma casa que dizem muito sobre seu morador.

1. Chinelos gastos

Calçados que “passaram por todos os altos e baixos da vida de seu dono” podem ter um valor sentimental. E embora troquemos os sapatos que usamos na rua com frequência, tendemos a esquecer de comprar chinelos novos, porque eles são tão confortáveis ​​que não notamos que já estão gastos. Afinal, quem mais vai vê-los além de você mesmo?

Mas se você planeja receber visitas, é melhor deixar o chinelo puído de lado e calçar um mais apresentável. E, caso queira oferecer um calçado confortável para o convidado, é melhor escolher um que normalmente ninguém usa em sua casa. É anti-higiênico oferecer a um hóspede algo que você usa constantemente.

2. Restos de sabonetes

A variedade de sabonetes atualmente é tão ampla que quase todo mundo pode escolher algo mais acessível para seu orçamento, evitando a necessidade de se limpar com um sabonete em barra gasto. Mas às vezes parece um desperdício jogar fora aquele pedacinho de sabonete que, em muitos casos, já não faz mais nem espuma. Tudo o que esse resto de sabonete faz é estragar o aspecto da saboneteira e causar uma péssima impressão às visitas.

3. Colchas cobrindo os estofados

Existe algo mais antiquado do que colchas cobrindo os móveis estofados? Embora os fabricantes de móveis modernos usem tecidos muito duráveis ​​e resistentes a manchas, ainda podemos ver colchas cobrindo estofados em muitas casas. Além de não serem nada práticos, por ficarem saindo do lugar na primeira sentada, eles também arruínam a modernidade do espaço.

4. Utensílios de cozinha com o esmalte lascado

Algumas avós e mães costumavam usar panelas, pratos e canecas esmaltados. E é por isso que muitos de nós os herdamos e continuamos usando até hoje. Contudo, mesmo esses utensílios de cozinha duráveis ​​tendem a se desgastar com o tempo. Isso é compreensível no caso de uma senhora de 80 anos que não consegue se livrar de uma panela que usou nos últimos 30 ou 40 anos. Mas a presença desses utensílios lascados nas casas de jovens causa estranheza.

5. Louças lascadas e rachadas

Hoje, já é possível comprar xícaras, copos e pratos bonitos com preços acessíveis. Eles não custam muito e podem deixar sua cozinha mais moderna e confortável. Mas, às vezes, não temos pressa em abrir mão das canecas ou pratos lascados por diferentes motivos: ou por não termos tempo para fazer isso ou por não conseguirmos encontrar um substituto de que gostamos tanto quanto o antigo. Essa forma de pensar pode se tornar um mau hábito, fazendo com que a pessoa deixe de perceber as pequenas imperfeições em seus utensílios de cozinha. Independentemente de qual seja o seu raciocínio, tenha em mente que esses objetos lascados e rachados causam uma péssima impressão.

6. Vassouras muito velhas

Hoje, os mercados estão repletos de vassouras modernas de diferentes tipos, que podem varrer a sujeira de maneira fácil e eficaz. Elas são duradouras, fáceis de usar e de boa aparência. No entanto, muitas pessoas ainda mantêm aquelas vassouras antigas (algumas de palha caipira), que podem não ser tão práticas. Se o utensílio já estiver muito velho, além de não cumprir mais sua função de limpar, pode acabar soltando fiapos pelo chão. Para piorar, ao varrer o chão com essas vassouras, geralmente é preciso curvar-se totalmente, o que dificilmente ajuda quem sofre de dores nas costas.

7. Panos de prato gastos e puídos

Toda cozinha tem sempre um pano de prato para enxugar as mãos e a louça. Mas uma coisa é ter uma toalha felpuda limpa e apresentável e outra coisa, bem diferente, é ter um pano desbotado, manchado e cheio de furos. Há quem acredite que os tecidos, quando mais velhos, absorvem melhor a umidade, mas sejamos honestos: há várias opções de guardanapos de algodão perfeitos a preços acessíveis que enxugam da mesma forma.

8. Sacada ou varanda como depósito de coisas velhas

"Talvez um dia eu precise disto"...esse costuma ser o lema de quem está acostumado a acumular coisas velhas e desnecessárias na sacada do apartamento ou na varanda da casa. É nesse local que algumas pessoas guardam restos de materiais que sobraram da última reforma feita há anos, móveis velhos, tapetes encardidos e eletrodomésticos quebrados; afinal, quem sabe um dia eles serão úteis novamente? A verdade é que essas coisas nunca mais serão usadas e ficam somente empoeirando e ocupando espaço útil do seu lar.

9. Roupa de cama desbotada

A roupa de cama é outro detalhe que pode revelar muito sobre nosso nível econômico e zelo com o lar. Pode parecer que ninguém reparará onde você está dormindo, mas mesmo uma fronha desbotada pode revelar a verdadeira situação. Geralmente, os tecidos mais baratos se deterioram rapidamente, enquanto os materiais mais caros podem nos servir por um longo tempo e ainda ter uma ótima aparência. Portanto, para aqueles que não estão prontos a comprar regularmente um novo conjunto de roupas de cama, é melhor adquirir alguns conjuntos caros e esquecer esse problema por vários anos.

10. Sacolas e embalagens usadas

Reaproveitar sacolas plásticas usadas é ecologicamente correto, mas tudo tem de ser feito com moderação. Por exemplo, lavar o saco plástico velho para usá-lo repetidamente sugere que a pessoa está tentando economizar da forma errada. O mesmo vale para as embalagens de presente usadas, que devem ser guardadas caso você realmente as use no futuro.

11. Película protetora nos dispositivos

Quando as televisões com controle remoto apareceram pela primeira vez no mundo, as pessoas costumavam ser extremamente cuidadosas com seus aparelhos, cobrindo-os com películas plásticas ou até capinhas. Hoje, a tecnologia se tornou parte rotineira da vida e você pode comprar um controle remoto novo para TV em qualquer loja. Agora, praticamente só pessoas extremamente econômicas é que colocam plásticos nos controles remotos e não removem a película protetora de nenhum dispositivo novo.

Quais outros detalhes em uma casa você poderia considerar um sinal de avareza?

Incrível/Casa/11 Coisas que não notamos em nossos próprios lares, mas que as visitas reparam
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos