Incrível
Incrível

9 Figurinos de novelas de época que ficaram longe da realidade

Quem ama se aprofundar em história fica babando nos figurinos de novelas de época. As silhuetas, os tecidos e os acessórios têm esse poder mágico de nos transportar para outras eras. No entanto, é possível que nem todos os detalhes estejam totalmente de acordo com o período histórico. Afinal, os figurinistas também apostam na liberdade criativa para dar mais personalidade aos personagens.

Hoje, o Incrível.club se aprofundou no mundo das novelas de época e trouxe 9 figurinos que ficaram longe da realidade. Será que você já tinha reparado em algum desses erros?

1. Sobrancelhas grossas nos anos 1930

A primeira fase da novela Além da Ilusão se passa nos anos 1930. No baile em que Elisa (Larissa Manoela) se apaixona por Davi (Rafael Vitti), a personagem aparece de sobrancelhas grossas e bem naturais. Só tem uma questão: naquela época, a grande tendência era usar um design bem fino, no formato amendoado.

2. Decotes profundos na era medieval

Se hoje em dia decotes profundos podem ser polêmicos, imagine como seriam vistos na Idade Média? Foi aí que a novela Deus Salve o Rei deixou a desejar. Muitos vestidos da princesa de Artena, Catarina, eram lindos — mas não passariam pela mente dos “estilistas” da corte.

A consultora e historiadora responsável pela caracterização da personagem de Bruna Marquezine foi Ana Cristina Nadruz. Ela mesma reconhece que o “decotão” não era usado na época, mas tudo faz parte da licença poética. Afinal, a ideia era destacar a identidade sedutora da personagem.

3. Silhueta retangular no século XIX

A novela Nos Tempos do Imperador se passa no século XIX e representa muito bem os figurinos da época. Porém, parece que houve um pequeno deslize nessa peça da Luísa, a Condessa de Barral.

Naquele período, a silhueta da moda era o formato ampulheta. Consistia em ombros largos, cintura fina e saias volumosas. Inclusive, foi nessa época que surgiu a “crinolina de armação”: uma estrutura formada por arcos de aço flexível, que substituíram as anáguas e diminuíram o peso dos vestidos. Mesmo no vestuário de passeio e de casa, as mulheres usavam vestidos bem armados. Então, faltou um pouco de volume no vestido da condessa.

4. Casaco de couro nos anos 1930

figurino de Tempo de Amar, novela que se passa entre os anos 1927 e 1930, procurou marcar bem a diferença entre personagens portugueses e brasileiros. Foi realmente nesse período que o primeiro casaco de couro surgiu, no estilo “motoqueiro”. Mas essas jaquetas só se popularizaram em 1950. Dificilmente a protagonista estaria com um casaco de couro na vida real, pois os modelos mais comuns daquela época eram feitos de lã, cashmere ou malha.

5. Anos 1990 com meia-arrastão e polainas

Quando pensamos em meia-arrastão e polainas, provavelmente a primeira década que vem à cabeça é 1980. E não 1990. Talvez seja por isso que alguns telespectadores estranharam a precisão histórica do figurino da novela. No entanto, parece que o “erro” foi proposital. A própria figurinista disse que fez uma “mistureba” e reuniu peças dos anos 1970 e 1980 para compor os looks do elenco.

6. Roupas de época nos anos 1970

A direção artística de Velho Chico mandou tão bem, que a novela parecia uma obra de arte. Mas, na segunda fase, os personagens apareceram com celulares e os telespectadores ficaram muito confusos — se perguntando qual seria o ano em que se passava a trama. Isso ocorreu pois o figurino na primeira fase parecia ser de época, e não correspondeu tanto ao que seria usado nos anos 1970.

7. Pedras rústicas nas joias da Idade Média

Olha aí a Catarina voltando para a nossa lista. Dessa vez, o nosso assunto não é o decote — mas sim os colares. Pedras “naturais” são bem estilosas hoje em dia, pois dão um aspecto rústico aos acessórios. Acontece que, na Idade Média, as joias normalmente levavam pedras polidas e davam um ar mais elegante para a alta sociedade.

8. Vestido com apenas uma alça nos anos 1920

Chocolate com Pimenta marcou a memória de muitos brasileiros, criando figurinos icônicos. Mas digamos que esse vestido da Ana Francisca (Mariana Ximenes) não está tão de acordo com os modelos da época, pois a peça não tem alça do lado esquerdo. É de fato um vestido lindo, mas o problema é que a novela se passa nos anos 1920 e essa modelagem só foi criada no final dos anos 1930.

9. Suspensórios por cima da roupa nos anos 1910

O figurino de Orgulho e Paixão mostra como era a moda dos anos 1910, mas é claro que eles também apostaram em uma certa licença poética. Você se lembra da roupa do casamento da Elisabeta (Nathalia Dill)? Ela estava com suspensórios. No entanto, isso dificilmente iria ocorrer na vida real. Primeiro, pois era considerado um acessório do guarda-roupa masculino. Depois, porque os suspensórios só passaram a ser usados por cima da roupa em 1930.

Você é fã de novelas de época? Na sua opinião, qual produção teve o figurino mais marcante e bem produzido? Conte para a nossa equipe nos comentários.

Incrível/Arte/9 Figurinos de novelas de época que ficaram longe da realidade
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos