Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

19 Títulos da literatura hispano-americana que foram adaptados para o cinema

----
233

A literatura é uma fonte de inspiração permanente para o cinema. Vários textos serviram de base para filmes, com maior e menor fidelidade em relação à fonte original, e com diversidade de resultados quando se trata de captar no plano audiovisual a riqueza da relação entre um livro e a imaginação de quem o lê.

Incrível.club compilou alguns trabalhos de autores hispano-americanos que foram levados para a telona — em alguns casos, até pela indústria de Hollywood.

1. O Amor nos Tempos do Cólera — Gabriel García Márquez

O romance do escritor colombiano, publicado em 1986, foi levado ao cinema 21 anos depois em uma produção norte-americana estrelada pelo espanhol Javier Bardem. Shakira participou da trilha sonora com as músicas Hay AmoresDespedida, a última indicada ao Globo de Ouro como “melhor canção original”.

No entanto, este não foi o primeiro trabalho do vencedor do Prêmio Nobel a chegar à grande tela. Ninguém Escreve ao CoronelA Viúva de Montiel são outros títulos de uma lista extensa, cuja última incorporação é o anúncio da Netflix da adaptação de Cem Anos de Solidão para a plataforma.

2. O Segredo dos Seus Olhos — Eduardo Sacheri

Eduardo Sacheri publicou seu livro em 2005 e colaborou com o diretor Juan José Campanella na adaptação do roteiro de O Segredo de Seus Olhos, vencedor do Oscar de “melhor filme estrangeiro” em 2010. Hollywood fez sua própria versão com um elenco de luxo: Julia Roberts, Nicole Kidman e Chiwetel Ejiofor, entre outros atores.

Sacheri também escreveu Papéis ao Vento, obra que foi levada ao cinema em 2015.

3. A Casa dos Espíritos — Isabel Allende

O primeiro romance da chilena Isabel Allende chegou às livrarias em 1982 e foi traduzido para várias línguas. Onze anos depois, recebeu sua adaptação cinematográfica, estrelada por Jeremy Irons, Meryl Streep, Glenn Close, Winona Ryder e Antonio Banderas. A história da família Trueba ao longo de quatro gerações também foi adaptada para os palcos e foi encenada em países da América Latina e nos Estados Unidos.

4. Como Água para Chocolate — Laura Esquivel

A mexicana Laura Esquivel publicou o livro em 1989, uma história que cruza o amor e a culinária durante a época da revolução do país, nas primeiras décadas do século XX. Seu compatriota, o diretor Alfonso Arau, levou-a ao cinema com grande sucesso internacional, obtendo indicações para o Globo de Ouro e os Prêmios GoyaBAFTA, entre outros.

5. A Virgem dos Sicários — Fernando Vallejo

A violência do narcotráfico em que Medellín estava imersa na década de 1990 é retratada pelo colombiano Vallejo no romance publicado em 1994. Cinco anos depois, foi lançado o filme Nossa Senhora dos Assassinos, que colocou em audiovisual algumas das questões abordadas no livro: o assassino de aluguel, drogas e religiosidade popular. A produção conjunta entre cineastas colombianos e franceses resultou no melhor filme latino-americano no Festival de Veneza, entre outras distinções.

6. Crimes Imperceptíveis — Guillermo Martínez

Um estudante se vê diante de um misterioso assassinato logo após chegar à Universidade de Oxford, e embarca junto com um professor em uma aventura para tentar resolvê-lo. Essa é a premissa do romance do escritor argentino Guillermo Martínez, que combina elementos da literatura policial com outros da matemática, da lógica e da filosofia.

O livro publicado em 2003 foi levado ao cinema pelo diretor Alex de la Iglesia, em inglês, sob o título Enigmas de um Crime. A produção foi protagonizada por Elijah Wood e John Hurt, e ganhou três prêmios Goya.

7. Ardente Paciência — Antonio Skármeta

O autor chileno publicou este pequeno romance em 1985, como uma continuidade de um filme homônimo que ele havia roteirizado e dirigido dois anos antes. Esta ficção conta a relação engraçada entre o poeta Pablo Neruda e um carteiro de Isla Negra, cidade em que o vencedor do Prêmio Nobel teve uma casa, onde se refugiava para escrever.

O cinema italiano fez sua própria adaptação da história com O Carteiro e o Poeta, que move o cenário para a ilha de Salina. O filme recebeu 25 prêmios internacionais e cinco indicações ao Oscar.

8. O Beijo da Mulher-Aranha — Manuel Puig

Um prisioneiro por motivos políticos e outro acusado de seduzir uma criança vivem na mesma cela e estabelecem uma amizade, apesar de suas personalidades muito diferentes. Este poderia ser o resumo do romance do argentino Manuel Puig, que, de fato, é muito mais profundo. Foi levado ao cinema em uma produção brasileira-americana estrelada por Raul Julia, William Hurt e Sônia Braga. Também deu origem a um musical que triunfou na Broadway, e no Brasil contou com Miguel Falabella, Tuca Andrada e Cláudia Raia.

9. Pantaleão e as Visitadoras — Mario Vargas Llosa

obra do peruano Mario Vargas Llosa teve duas versões cinematográficas. A primeira foi lançada em 1975, dois anos após o lançamento do livro, na qual o próprio vencedor do Prêmio Nobel foi codiretor. A segunda, lançada em 1999, foi dirigida por Francisco José Lombardi, que já havia adaptado A Cidade e os Cães, primeiro romance de Vargas Llosa.

10. O Clube Dumas — Arturo Pérez-Reverte

romance de mistério e aventura do autor espanhol inspirou o filme O Último Portal, do diretor Roman Polanski. A produção, estrelada por Johnny Depp, enfoca um dos casos que o livro investiga, referindo-se à busca por livros vinculados ao Diabo. A coleção sobre As Aventuras do Capitão Alatriste O Ouro do Rei são outros escritos de Pérez-Reverte que foram representados na tela grande.

11. A Trégua — Mario Benedetti

O escritor uruguaio publicou o romance em 1960, no qual conta a história de um viúvo, o relacionamento com seus filhos e o trabalho e o surgimento de um novo amor. A história chegou à grande tela em 1974, sendo a primeira produção argentina e a segunda sul-americana a ser indicada ao Oscar de “melhor filme estrangeiro”. Em 2003 outra versão foi feita, dessa vez, mexicana.

12. Ciências Morais — Martín Kohan

A disciplina e a transgressão em uma escola secundária tradicional de Buenos Aires, do ponto de vista de uma preceptora é, em linhas gerais, a trama deste romance de Martín Kohan, que se passa durante o contexto histórico da Guerra das Malvinas, ocorrida em 1982. Foi levado ao cinema com o título O Olhar Invisível, filme que participou no Festival de Cannes e foi premiado no Sundance.

13. Soldados de Salamina — Javier Cercas

livro do espanhol Javier Cercas é sobre a Guerra Civil (1936-1939) espanhola e sua memória do presente, em um romance que entrelaça ficção e realidade. Publicado em 2001, foi adaptado para o cinema em um filme homônimo lançado dois anos depois, dirigido por David Trueba. O primeiro trabalho de Cercas, El Móvil, também foi levado ao cinema com o título O Autor.

14. Uma Noite com Sabrina Love — Pedro Mairal

A obra do argentino Pedro Mairal venceu o Prêmio Clarín de Romance, em 1998, e teve sua adaptação para o cinema dois anos depois, em coprodução com a França, Holanda e Itália, estrelando Cecilia Roth e Tomás Fonzi. O romance A uruguaia, do mesmo autor, será em breve levado à telona.

15. Sor Juana Inés de la Cruz ou As Armadilhas da Fé — Octavio Paz

O mexicano Octavio Paz, vencedor do Prêmio Nobel de Literatura, publicou em 1982 este ensaio literário e histórico sobre a vida de Sóror Juana Inés de la Cruz. Inspirado por este trabalho, em 1990 foi lançado o filme argentino Eu Sou a Pior de Todas, dirigido por María Luisa Bemberg, que foca nos últimos anos da religiosa conhecida como a décima musa.

16. Zama — Antonio Di Benedetto

livro do argentino Antonio Di Benedetto se concentra na história de um oficial da coroa espanhola do final do século XVIII, que está esperando uma carta do rei para tirá-lo do posto de fronteira onde está instalado e transferi-lo para Buenos Aires. A diretora Lucrecia Martel levou a história ao cinema em 2017, e o filme foi selecionado por diversos meios, como o New York Times, entre os melhores daquele ano. No elenco, o ator brasileiro Matheus Nachtergaele.

17. A Paixão Turca — Antonio Gala

Em 1993, o dramaturgo espanhol Antonio Gala publicou este romance sobre uma mulher que deixa para trás um casamento que considera tedioso para entrar em uma aventura com um guia que ela encontra durante uma viagem a Istambul. Ana Belén encarna a protagonista na versão cinematográfica, que foi um grande sucesso e ganhou dois prêmios Goya.

18. As Idades de Lulu — Almudena Grandes

A espanhola Almudena Grandes publicou este romance em 1989, seu primeiro, que teve grande sucesso de vendas e foi traduzido para mais de 19 idiomas. De alto conteúdo erótico e dramático, foi levado ao cinema um ano depois pelo diretor Bigas Luna. Outras obras da autora também foram adaptadas para o cinema, como Malena é um Nome de Tango, Aunque tú no lo Sepas, Ares Difíceis, Atlas de Geografia HumanaCastillos de Cartón.

19. Paradiso — José Lezama Lima

O primeiro e único romance publicado em vida pelo cubano José Lezama Lima fala sobre a infância e a formação do poeta José Cemí. Com base nesse texto de 1966, celebrado por escritores como Octavio Paz e Julio Cortázar, surgiu o filme El Viajero Inmóvil, do Diretor Tomas Piard, lançado em 2008.

Você conhecia todos os livros e filmes de nossa lista? Existe algum romance que você tenha lido e que gostaria de ver adaptado ao cinema? Conte-nos na seção de comentários.

----
233