Incrível

10 Detalhes de livros famosos que, por alguma razão, nunca notamos

Um bom livro é capaz de chamar a atenção do leitor, fazê-lo esquecer o resto do mundo e perder a noção do tempo. No entanto, ao imergir fundo no mundo da imaginação literária, alguns detalhes importantes podem parecer fúteis ou passar despercebidos, fazendo com que os enigmas escondidos nos livros não sejam resolvidos ou sequer notados.

A equipe do Incrível.club gosta muito de ler e sugere que você preste mais atenção nos detalhes curiosos que estão ocultos em obras famosas. Talvez, depois de descobrir novos fatos, você leia algum dos livros mencionados de novo e veja o seu enredo por um ângulo diferente.

O casamento de Anna Karenina foi arranjado secretamente

O volumoso romance de Tolstoi deixa o leitor esquecer facilmente que o casamento de Anna Karenina foi arranjado por sua tia, por meio de uma manipulação. Confira abaixo uma citação do capítulo XXI: “No tempo em que era governador de província, a tia de Anna, uma rica fidalga de província, aproximou sua sobrinha daquele homem, já nem um pouco jovem, mas ainda moço para um governador e soube deixá-lo numa tal situação que teria de pedi-la em casamento ou então ir embora da cidade... Mas a tia de Anna, por intermédio de um conhecido, persuadiu-o de que já havia comprometido a jovem e de que o dever de honra o obrigava a pedi-la em casamento”.

James Bond foi um ornitólogo

Pensando no nome do protagonista do seu livro, Ian Fleming, o criador do superespião mais famoso do mundo, se deparou com um livro sobre ornitologia escrito por um tal James Bond — nesse caso, americano. Fleming gostou tanto desse nome que decidiu nomear o seu personagem em homenagem ao autor. Depois, ele escreveu uma carta para a esposa do ornitólogo: “Esse nome breve, pouco romântico, anglo-saxão e mesmo assim bem masculino, era exatamente o que eu precisava, e assim um segundo James Bond nasceu”.

Sabemos que o protagonista de O Retrato de Dorian Gray é a personificação de pecados diferentes. Mas ele possui apenas um vício bem nítido

No seu romance, Oscar Wilde não mencionou nenhum dos pecados de Dorian Gray, com exceção da sua obsessão pelo ópio. O escritor afirmou que o personagem é um espelho que reflete os nossos próprios vícios: “Cada um consegue ver o seu próprio pecado em Dorian Gray. Ninguém sabe quais são os pecados dele. Quem os encontra atribui esses vícios inconscientemente a ele”.

O comportamento excêntrico do Chapeleiro e da Lebre, em Alice no País das Maravilhas, tem uma explicação lógica

A história um pouco louca e muito fascinante de Lewis Carroll é repleta de referências a provérbios folclóricos. Por exemplo, alguns provérbios ingleses deram vida aos dois personagens, o Chapeleiro e a Lebre. O provérbio Mad as a hatter (Maluco como um chapeleiro) se refere ao tempo em que o mercúrio era usado na fabricação de feltro para chapéus, pois o deixava mais macio. Porém, ele acabou envenenando esses profissionais e causando transtornos mentais. E o provérbio Mad as a march hare (Louco como uma lebre de março) descreve o comportamento estranho das lebres durante a estação de acasalamento, que começa em março.

Peter Pan adquiriu sua capacidade de sempre se manter jovem em homenagem ao irmão do escritor do livro

David, o irmão mais velho do escritor James Barrie, morreu no dia anterior ao seu 14º aniversário, quando estava patinando. Inconsolável, a sua mãe passou a chamar o filho de “eterno menino”. Muitos anos depois, quando Barrie estava escrevendo o livro sobre Peter Pan, decidiu atribuir ao protagonista a capacidade de ficar jovem para sempre, em homenagem ao seu irmão. Embora a idade exata do personagem não seja mencionada, acredita-se que ele tenha entre 12 e 13 anos, assim como David.

O protagonista do romance histórico O Nome da Rosa é muito parecido com outro personagem famoso

O nome do monge Guilherme de Baskerville, o personagem principal do romance O Nome da Rosa que investiga o assassinato, é uma referência aos livros sobre Sherlock Holmes. A sua semelhança se manifesta através da aparência, comportamento e maneira de pensar. Igual ao personagem de Conan Doyle, Guilherme de Baskerville usa lógica e dedução, se sente apático e costuma mastigar uma erva para aumentar a sua capacidade cerebral (uma referência a Sherlock usando drogas psicotrópicas). Além disso, o nome do noviço de Guilherme, Adso, soa parecido com o do assistente do detetive, o famoso Watson.

A inspiração de um dos personagens do romance Por Quem os Sinos Dobram foi um espião

Apesar de Hemingway sempre ter argumentado que os acontecimentos do livro são apenas uma ficção, muitos especialistas em Literatura apontam que o enredo de algumas cenas é baseado em fatos reais. Por exemplo, durante a Guerra Civil Espanhola, o escritor conheceu o oficial de inteligência Hadji-Umar Mamsurov e ficou tão impressionado com a experiência dele que incluiu as suas histórias no livro. Acredita-se também que o próprio Mamsurov seja o protótipo de um dos personagens do romance.

Os personagens de It, de Stephen King, também se encontram em outros livros do mestre do terror

Os fãs do autor sabem que todos os seus livros estão interligados de alguma forma e contêm muitas referências e conexões. Por exemplo, o protagonista do livro 22/11/63 encontra os personagens do romance It, Beverly Marsh e Richie Tozier, quando chega em Derry. Um memorial dedicado às crianças mortas em Derry com a pichação “Pennywise Vive!” aparece em O Apanhador de Sonhos. Além disso, Eddie Kaspbrak, do livro It, é vizinho de Paul Sheldon, escritor e protagonista do romance Misery: Louca Obsessão.

Através de O Conto da Aia, Margaret Atwood declarou seu amor

A história da distopia de Margaret Atwood vai além das cenas cruéis. Em uma das cenas, quando Offred está observando as anotações na superfície mesa, ela se depara com o entalhe “M. ama G., 1972”. Esse detalhe pode ser correlacionado com a biografia da escritora, que, dessa maneira, deixou um recado para o seu amante. Em 1972, Margaret (“M”) começou a namorar o escritor Graeme Gibson (“G”).

Em O Pequeno Príncipe, Antoine de Saint-Exupéry assumiu publicamente sua infidelidade

Todos os protagonistas de O Pequeno Príncipe têm suas próprias referências. Na infância, os parentes costumavam chamar o pequeno Antoine de le Roi-Soleil (“rei do sol”), admirando os seus cabelos loiros. Por isso o protagonista, um garoto de cabelo loiro dourado e cacheado, lembra tanto o escritor. Sua namorada, Silvia Reinhardt, se tornou o protótipo da fiel Raposa, e a esposa, Consuelo, por sua vez, uma Rosa bonita e caprichosa.

O relacionamento difícil entre o escritor e a sua esposa, além do romance com a sua amante, foi representado no conto, na cena em que o Pequeno Príncipe está voando para a Terra e vê um enorme campo de outras rosas bonitas.

Quais detalhes importantes você já encontrou em livros famosos? Compartilhe com a gente na seção de comentários!