Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

10 Coisas que os patinadores artísticos não contam nas entrevistas

31--
21k

A palavra “patins” surgiu ainda no século XVII na Europa. Os primeiros patins eram de madeira e decorados com figuras de cavalos que supostamente carregavam o seu dono. Além disso, os patins eram usados inicialmente para atravessar lagos congelados durante o inverno, e somente mais tarde a prática se tornou um esporte. A patinação artística sofreu muitas mudanças com o passar dos anos, mas hoje é sem dúvida um esporte cheio de glamour e amado por muitos.

Nós, do Incrível.club, sabemos que ser um atleta profissional de patinação artística não é nada fácil e é até muito perigoso. Mas estes 10 fatos curiosos sobre o esporte nos deixaram bastante surpresos. Confira!

1. Patinadoras “compram” parceiros para a categoria de duplas

Para um patinador artístico masculino, há cerca de 100 patinadoras femininas. Por isso, encontrar um parceiro torna-se quase como os “Jogos Vorazes”. As meninas devem fazer muitas concessões se quiserem encontrar um parceiro para competir em duplas. Algumas delas até oferecem aos rapazes uma compensação financeira para cobrir os custos de treinamento, materiais e roupas, o que pode chegar a valores absurdos.

2. Patinadores sabem como driblar a vertigem

Os atletas devem executar movimentos complexos, inclinando-se e jogando a cabeça para trás. Se uma pessoa comum fizesse essas posições, seu corpo perderia o equilíbrio e ela cairia. De acordo com pesquisadores, no entanto, os patinadores podem estar desenvolvendo novos neurônios no cerebelo que evitariam essa reação instintiva do corpo.

Os múltiplos giros em torno do seu eixo não parecem causar qualquer desconforto para os atletas. Na verdade, eles sentem, sim, tonturas, mas não tanto. Quando uma pessoa normal gira e depois para, o cérebro segue o movimento de inércia, achando que a rotação deveria continuar. O que acontece é que uma parte do aparelho vestibular está localizada na orelha interna e coberta por líquido. Mesmo que paremos de girar, o líquido continua a se mover por inércia, deixando assim o cérebro confuso e provocando a vertigem. Após anos de prática, os patinadores conseguem desenvolver uma forma de diminuir esse reflexo biológico. Muito depende do foco do olhar. Depois de terminar alguma pirueta, os atletas tentam focar a visão em um ponto específico, mas, para isso, os patinadores precisam treinar especificamente a movimentação dos olhos.

3. A roupa incorreta pode diminuir a pontuação final

Em competições profissionais, você não verá trajes muitos diferentes. É permitido apenas vestidos ou algo similar a um maiô, visto que existe uma regra que proíbe mostrar o abdômen. Caso alguma das diretrizes de trajes não seja cumprida, o patinador ou patinadora pode perder pontos. Além disso, os vestidos das meninas não podem ser demasiadamente “atrevidos” ou “sensuais”. Isso pode se referir a um decote (a propósito, um decote profundo também não é permitido para os homens) ou ao comprimento e formato da parte inferior da roupa. Em 1988, a atleta Katharina Witt deixou o júri bastante constrangido com sua roupa, que foi considerada muito “reveladora” e “teatral”. Após esse episódio, decidiram criar uma nova regra, chamada de “regra Katharina”: de acordo com essa diretriz, a saia da patinadora deve cobrir completamente a área da virilha e a coxa.

4. Peças que caiam da roupa podem ser motivo de sérios acidentes

O traje, claro, precisa ser bonito e chamativo. Normalmente, tanto as roupas femininas quanto as masculinas, são decoradas com missangas, lantejoulas ou strass. Mas mesmo tais sutilezas são estritamente reguladas pelas regras: todos esses elementos devem ser fixados com segurança. Qualquer botão solto ou lantejoula pode custar alguns pontos a um atleta, porque mesmo uma coisa tão insignificante, caso caia no gelo, pode dificultar o desempenho dos competidores. É por isso que é muito raro os patinadores escolherem roupas com penas ou franjas. Pelas mesmas razões, eles evitam diversos acessórios e até grampos de cabelo.

5. Aulas de ballet e ginástica são obrigatórias

Os patinadores treinam não só no gelo. Uma boa parte do tempo de treinamento é dedicada a aulas de ballet e ginástica, porque são movimentos de ambas as práticas que os atletas executarão no gelo. Além disso, alguns treinadores insistem que seus patinadores façam aulas de ioga e pilates.

6. Não é permitido pular demais nas competições

Muitos pensam que quanto mais piruetas e saltos os patinadores façam, mais pontos eles irão conseguir. Mas as regras ditam que deve haver um máximo de 7 elementos no ar. Há também limitações das piruetas que são aceitáveis e proibidas, por isso os atletas não têm tanta liberdade como pensamos.

7. As luvas são importantes não só pela estética

Esse elemento é uma parte essencial do traje de um atleta profissional. Mas as luvas têm também uma aplicação prática: elas protegem as mãos dos competidores de cortes e feridas quando precisam tocar no gelo durante uma apresentação.

8. É proibido realizar elementos da dança deitado

Os patinadores não podem apoiar as mãos no gelo depois de um salto ou terminar algum movimento com os joelhos no gelo. Além disso, em competições oficiais é proibido sentar ou deitar no gelo. Antigamente, tais regras não existiam e os competidores podiam ser criativos na parte livre do programa.

9. Os espectadores não jogam no gelo somente ursinhos de pelúcia

Os fãs e espectadores costumavam jogar flores para seus atletas favoritos após uma apresentação. Mas, as pétalas soltas no gelo começaram a se tornar um verdadeiro pesadelo: elas cobriam uma grande parte do rinque e perdia-se muito tempo para limpar. Foi quando os espectadores passaram a jogar ursinhos de pelúcia para os atletas. Mas agora, no entanto, a criatividade se expandiu e os espectadores jogam todos os tipos de “agrados”, como chocolates, sacos de bombons, entre outros presentes. Em 2015, por exemplo, a patinadora Gracie Gold recebeu um urso de pelúcia enorme que carregava uma mochila com doces de pasta de amendoim.

10. Patinadores precisam escolher as roupas íntimas com muito cuidado

Ao executar os movimentos, a patinadora precisa ter certeza de que sua roupa se manterá no lugar. Por isso, a escolha de uma roupa íntima confortável é um tema bastante delicado e que leva bastante tempo para ser decidido. As competidoras escolhem suas roupas íntimas com muito cuidado para garantir que não revelarão nada “a mais”. Para uma melhor fixação das meias-calças, muitas patinadoras usam laquê ou spray de cabelo.

Você gosta de assistir a patinação no gelo? Conhece outros fatos interessantes sobre esse esporte? Comente!

31--
21k