Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

16 Mitos sobre os ovos nos quais já não deveríamos acreditar

Existem muitos métodos para preparar ovos: fritos, escalfados, omeletes, duros, etc. Mas há muito mais mitos sobre seus benefícios ou efeitos prejudiciais. Frequentemente, essas opiniões são afetadas pela influência da moda. Alguns acreditam que você não pode consumir ovo devido ao colesterol, outros estão convencidos de que você só obtém benefício se eles são de galinhas criadas em fazendas especiais.

Incrível.club decidiu descobrir quais estereótipos sobre ovos são falsos e quais são verdadeiros.

1. Pessoas com um alto nível de colesterol não podem
comer ovos

Durante muito tempo, as pessoas que apresentavam um alto nível de colesterol no sangue eram aconselhadas a excluir produtos que pudessem aumentar estas taxas. Isso se referia particularmente aos ovos. Nas gemas há mais gordura e colesterol do que proteínas. Mas nem todas as gorduras são prejudiciais à saúde, e o colesterol (bom) nem sempre aumenta o seu nível no sangue.

Claro, não vale a pena comer uma omelete de 3 ovos diariamente no café da manhã, mas um ovo por dia não fará com que você se sinta mal. Pessoas que sofrem de diabetes ou doenças cardiovasculares precisam estar mais atentas e limitar-se a 3 ovos por semana.

2. Durante uma dieta não se deve comer as gemas

Algumas pessoas comem apenas as claras por medo de aumentar os quilos extras e obter calorias. No entanto, a gema contém uma proteína adicional e outros nutrientes, como a vitamina D, que contribui para a absorção de cálcio e antioxidantes. A composição das gemas tem colina, que suporta a função do fígado.

A clara do ovo não contém todas estas substâncias, nem a luteína, que tem uma influência positiva na visão. A Associação Americana de Cardiologia afirma que um ovo por dia pode fazer parte de uma dieta saudável. Experiências mostram que o consumo de ovos no café da manhã (em vez de um pãozinho) reduz a quantidade de comida e calorias ingeridas durante o dia.

3. Os ovos crus são mais benéficos do que os cozidos

Algumas pessoas consomem ovos crus para acumular tecido muscular, melhorar a voz e reduzir a acidez no estômago, enquanto outras o fazem para a composição de pratos e bebidas (sobremesa de kogel mogel, sorvete caseiro, entre outros). O risco de ficar doente de salmonelose é muito baixo: para cada 30 mil ovos, apenas um está infectado. Mas o benefício dos ovos crus é bastante exagerado. A proteína é absorvida quase pela metade em comparação com a dos cozidos e a absorção da biotina (vitamina B7) pode ser bloqueada.

O cozimento reduz certo número de substâncias benéficas, entre elas potássio, fósforo, vitaminas A e B5. Hoje em dia não é recomendado consumir ovos crus ou crus completamente, mas se você precisar usá-los como ingrediente para um prato, então selecione aqueles que foram desinfetados contra a bactéria salmonela, por exemplo com a ajuda da pasteurização.

4. Galinhas colocam ovos brancos e marrons

Os ovos das galinhas podem ser de cores diferentes, mas no mercado só vemos ovos de duas cores: branco e marrom. A cor da casca depende mais frequentemente da raça das galinhas poedeiras: as galinhas Legorne põem ovos com casca branca e as Rhode Island com casca marrom. Algumas raças, como a mapuche e a araucana, colocam ovos azuis claros e verdes.

Um determinado pigmento é responsável por uma ou outra cor, a protoporfirina torna a casca mais marrom, a biliverdina dá uma cor azul esverdeada. Além disso, a comida pode influenciar. Se aminoácidos são necessários na dieta da ave, a casca ficará mais pálida, mas não afetará a
qualidade do ovo.

5. Os ovos marrons são melhores do que os brancos

Muitas vezes ouvimos que produtos mais escuros são mais benéficos do que produtos brancos. Por exemplo, pão ou açúcar. As pesquisas mostraram que os ovos marrons e brancos não têm uma diferença significativa em seu valor nutricional.

Os ovos se tornam mais benéficos devido a outros fatores. Por exemplo, os ovos de galinhas que têm permissão para andar ao sol contêm 3 ou 4 vezes mais vitamina D. As galinhas que têm um alimento rico em ácidos graxos ômega-3 produzem ovos que contêm essas substâncias em grande volume.

6. Os ovos de galinhas caipiras são melhores

Isso nem sempre é verdade. Apesar do alto teor de vitaminas A, E, D e ômega-3 nos ovos das galinhas caipiras poedeiras, elas ficam doentes com mais frequência e se lesionam mais do que suas companheiras que vivem em gaiolas. Por exemplo, no Reino Unido o nível de mortalidade no final da ninhada é mais alto entre as galinhas que não vivem em gaiolas.

7. O odor da gema indica a qualidade do ovo

À primeira vista, é bastante lógico. De fato, a cor da gema depende da dieta das galinhas: quanto mais ela tiver carotenoides, mais intensa será a cor. Não importa se as galinhas vivem em uma gaiola ou andam livremente no campo. Neste último caso, as ervas que crescem em uma determinada região influenciam a dieta.

A gema adquire uma cor mais intensa devido ao consumo de milho, alfafa, urtiga e outras ervas. Se as galinhas vivem constantemente em gaiolas, a cor amarela muda facilmente com a ajuda de suplementos nutricionais, como a cantaxantina. No entanto, apesar de tudo isso só afetar a cor da gema, os compradores preferem tons mais intensos. Se os ovos do supermercado tiverem uma gema pálida, isso não significa que eles sejam de má qualidade ou estejam podres.

8. Durante a gravidez, a mulher não deve consumir ovos

“Se você come pratos com ovos, o bebê pode desenvolver uma alergia a eles”. Na realidade, esse mito não encontra respaldo. Os ovos são uma fonte universal de proteínas, dezenas de vitaminas, minerais e aminoácidos necessários para o bebê. Por isso, recomenda-se que seja consumido juntamente com frutas em bagas, peixe, cereais e leguminosas. Não vale a pena comer ovos crus ou não completamente cozidos, mas esta regra não tem nada a ver com a gravidez.

9. O ovo não deve ser introduzido na dieta infantil antes
do primeiro ano

A alergia ao ovo aparece em apenas 2% das crianças. Após sete meses, produtos proteicos podem ser introduzidos na dieta de um bebê. Se você decidiu servir alimentos complementares, comece gradualmente com 2 colheres de sopa desses alimentos. Adicione produtos um a um e observe a reação da criança. Se durante os primeiros 4 dias não houver reação alérgica, está tudo bem. Caso contrário, vá ao pediatra.

10. Ovos fertilizados são mais benéficos

Uma galinha pode pôr ovos com e sem a participação de um galo. Na verdade, um pintinho não vai nascer de tais ovos. Existe a opinião de que os ovos não fertilizados são menos benéficos que os fertilizados. O que é certo é que os primeiros são mais frequentemente encontrados nas prateleiras dos supermercados. No entanto, não há diferenças significativas entre eles. Ao escolher os ovos, é muito mais importante ter em conta a sua frescura.

11. Ovos podem ser pasteurizados em condições domésticas

Os ovos são realmente pasteurizados com a ajuda do calor. Mas isso é muito mais complicado do que simplesmente pressionar o botão no forno de micro-ondas ou colocá-los em uma panela. Para a pasteurização, é necessário um equipamento que não pode ser usado em condições domésticas.

12. Os ovos não devem ser lavados e armazenados
na geladeira

Isso depende do país. Por exemplo, nos Estados Unidos, os ovos são armazenados em refrigeradores, enquanto em outros países eles podem ser colocados com segurança no balcão à temperatura ambiente por alguns dias. Os produtores americanos, assim como os japoneses, australianos e escandinavos, são forçados a lavar os ovos para evitar o risco de salmonelose.

Quando um ovo é lavado, perde sua proteção natural. Para que o produto não se estrague e nenhum patógeno entre nele, é necessário mantê-lo em estado de refrigeração. Este método permite aumentar o tempo de armazenamento em quase duas vezes. Nos países europeus, é proibido lavar os ovos para evitar a quebra de sua defesa natural, e as galinhas são vacinadas para evitar a salmonella.

13. A porta da geladeira é o melhor lugar para guardar ovos

Quase todas as geladeiras têm um compartimento ou suporte para os ovos, geralmente na porta. Mas não vale a pena mantê-los lá: os ovos são armazenados melhor à temperatura ambiente. A porta da geladeira não é apenas o lugar mais quente da geladeira, é também o mais exposto a variações de temperatura. O melhor lugar para os ovos é a prateleira central.

14. O método de preparação dos ovos não influencia a absorção dos nutrientes que eles contêm

Para obter o máximo benefício dos ovos, não basta apenas comê-los. Você precisa escolher um método ideal para prepará-los. Ovos mexidos assados no forno a uma temperatura de 180 °C por 40 minutos perdem até 45% de vitamina D. Os ovos fritos e cozidos retêm quase 90% dessa vitamina. Leve isso em conta em seus experimentos culinários.

15. A clara de ovo amacia a pele

Considera-se que as máscaras caseiras de clara de ovo têm propriedades quase milagrosas: amaciam a pele e eliminam as rugas. Como isso realmente funciona? À medida que a água evapora, as proteínas formam uma camada fina que é facilmente removida com água.

Nos ovos existem muitas proteínas, vitaminas E e B e, em particular, a biotina. O deficit dessas substâncias no corpo torna os cabelos e unhas mais frágeis. Os ovos são apropriados para manter a beleza e a saúde, só que é melhor consumi-los em vez de aplicá-los no rosto.

16. Ovos de codorna são consideravelmente mais benéficos do que os de galinha

Cem gramas de ovos de codorna contêm um pouco mais de proteínas, vitaminas e microelementos do que de galinha. Mas a diferença não é considerável. Para sentir um efeito real, você precisa comer uma quantidade bastante grande de ovos de codorna regularmente. A propósito, codornas também ficam doentes de salmonelose, então você não deve consumir seus ovos crus.

Em que mitos sobre os ovos você acreditava e por que mudou de ideia? Qual prato com ovos você mais gosta?