Incrível

Um estudo explicou por que acariciar cães e gatos reduz o estresse

6-44
407

Depois de um longo dia, chegar em casa é o momento que você mais deseja e, se tem um amigo peludo esperando, as coisas são ainda melhores. Talvez você tenha notado que, quando para e tira um tempo para fazer carinho no seu bichinho e passa um tempo com ele, seu estresse começa a se reduzir pouco a pouco, mas qual a explicação por trás disso? Pesquisadores da Universidade Estadual de Washington realizaram um estudo no qual mostraram que interagir com cães e gatos através de carícias e contato físico pode proporcionar um alívio da tensão acumulada.

Incrível.club pesquisou mais sobre esse estudo para compartilhar os detalhes mais importantes com você, que agora terá uma razão a mais para passar um tempinho com seus bichinhos e liberar o estresse acumulado ao longo do dia.

No que consistiu o estudo

A pesquisa, publicada no Sage Journals e realizada por Patricia PendryJaymie L. Vandagriff, tinha o objetivo de examinar os efeitos nos humanos em um programa de visitas animais de 10 minutos em relação aos níveis de cortisol salivar, um hormônio que é produzido quando as pessoas se estressam. O objetivo do estudo foi descobrir o quão efetiva é essa atividade para as pessoas que sofrem com estresse, levando em conta evidências que indicam que interagir com cães e gatos pode funcionar como alento momentâneo.

O método utilizado

Para confirmar suas dúvidas, os pesquisadores convocaram 249 estudantes escolhidos de maneira aleatória e os dividiram em 4 grupos para realizar os experimentos. O primeiro podia ter contato físico com cães e gatos durante 10 minutos, tendo a oportunidade de acariciá-los e de brincar com eles. O segundo só poderia observar os animais e o que faziam seus colegas, enquanto esperavam sua vez em uma fila. O terceiro grupo só podia observar os pets em slides que lhes eram projetados em uma sala, e o resto dos participantes ficava em uma sala de espera, sem ter interação com ninguém, sem poder usar seu celular nem outra coisa que pudesse distraí-los.

Previamente, foi pedido aos estudantes que colhessem cortisol salivar ao acordar, com a ajuda de um kit especial que incluía as indicações para fazer o procedimento. Na etapa de recrutamento, também lhes foi explicado e exemplificado como deviam realizá-lo. Além disso, o kit continha etiquetas que contavam com um número de identificação, uma caneta permanente e um pequeno questionário para informar sobre suas atividades físicas, alimentação, uso de medicamentos e sua disposição com a interação animal, assim como uma indicação da existência de sintomas relacionados com o estresse. Também foi avaliada a sintomatologia depressiva e de ansiedade de cada um.

Por que a interação com esses animais reduz o estresse

A pesquisa sugere que a interação com cães e gatos faz com que as emoções positivas aumentem de maneira momentânea e, por sua vez, leva a uma redução dos sentimentos negativos, fazendo com que se perceba um menor nível de estresse, o que causa um melhor estado de ânimo. Isso se deve ao fato de que a convivência com bichos aumenta os níveis de ocitocina, um hormônio que, entre outras coisas, causa a sensação de felicidade, além de reduzir os níveis de cortisol. Quando aos estudantes, considera-se que o contato com pets conduz a um desenvolvimento socioemocional, e é por isso que têm uma maior motivação, produtividade, interação social, compromisso e alternativas para enfrentar os problemas que são ocasionados por causa do estresse.

Os resultados obtidos

Para analisar os efeitos com a interação com animais, foram analisados os níveis de cortisol dos participantes antes e depois da atividade. Pôde-se observar que eles baixavam de maneira significativa quando existia um contato com os cães e gatos durante 10 minutos, e que não se produzia o mesmo efeito quando só se observava a convivência de outros participantes com os animais, olhavam fotos ou simplesmente pensavam em acariciar um bichinho.

Futuras pesquisas

Graças a esse estudo, pôde-se confirmar que interagir com os animais pode ajudar a conduzir melhor as emoções quando o estresse se faz presente, e, quando isso é combinado com um apoio social como o contato físico, a redução é mais efetiva. No entanto, nas pesquisas seguintes devem ser descritas de maneira mais detalhada as características dos participantes, assim como também deverão ser levados em conta outros fatores, como a frequência de carícias, o encontro de olhares e a qualidade da interação.

O que você achou desse estudo? Já experimentou essa sensação positiva com seu animal? O que faz para reduzir o estresse? Conte-nos na seção de comentários e compartilhe conosco uma foto de seu amigo de 4 patas!

6-44
407