Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

As 17 trilhas mais radicais para quem adora adrenalina

Estamos acostumados a pensar que existem pelo menos dois tipos de pessoas: aquelas que preferem banhos de sol na praia e percorrer toda a cidade, em busca de suas atrações turísticas, e um outro tipo de turista, aquele que viaja em busca de aventuras perigosas.

Se você não dispensa a adrenalina, este post foi especialmente elaborado para quem quer passar férias inesquecíveis e com muita aventura. O Incrível.club reuniu 17 lugares em todo o canto do mundo para quem gosta de emoção e belíssimas paisagens.

Rota da montanha Huashan (China)

Para quem: aventureiros que querem demonstrar o seu valor.

É a trilha a pé mais perigosa do mundo, localizado na montanha de Huashan, perto da cidade de Xi'an na província de Shaanxi, na China. 'A estrada da morte' é feita de placas estreitas, penduradas sobre um abismo, sem grades ou cercas.

'Muro de Troll' Trollveggen (Noruega)

Para quem: quem sonha em praticar base jumping.

Segundo a lenda, esse penhasco guarda nada mais, nada menos do que trolls enfeitiçados, que em algum momento viviam nesses locais. Hoje em dia, diante desse lugar você também consegue encontrar muitos trolls, mas no formato de lembranças dos vendedores que ficam por ali. Esse passeio não só é muito popular entre os turistas, que vêm para tirar fotos impressionantes, mas também entre aqueles que praticam base jumping. O penhasco é um dos lugares mais difíceis para esse tipo de salto, por causa de suas saliências, que atingem 50 metros.

Passeio pela rota de vidro (China)

Para quem: amantes de altura e fãs do filme 'Avatar'.

A ponte de vidro na província chinesa de Hunan é a mais alta e mais longa do mundo para pedestres. Com 430 metros de comprimento, foi construída a uma altura de 300 metros e une dois penhascos no parque nacional de Zhangjiajie, onde foi realizada a gravação do filme 'Avatar'.

'Língua de Troll' Trolltunga (Noruega)

Para quem: aqueles que querem dominar o medo de altura e tirar fotos es-pe-ta-cu-la-res.

A uma altura de 604 metros, existe uma protuberância incomum, parecida com uma língua. Os noruegueses afirmam que a sua forma é como a língua dos trolls míticos, por isso levam esse nome. Os mais valentes não só conseguem ficar na sua extremidade, mas também saltar na companhia de seus amigos, provando como a língua é resistente.

Kjerag (Noruega)

Para quem: aqueles que têm equilíbrio.

A maioria dos turistas sobe a Kjerag não para tirar fotos bonitas do fiorde, mas para ver a famosa pedra Kjeragbolton, que fica presa entre dois penhascos. Você consegue chegar lá sem equipamento especial, mas vale a pena lembrar que a profundidade do abismo sob a pedra é de 1.000 metros.

Mergulho com tubarões (Califórnia, Bahamas, Cuba, Austrália)

Para quem: aqueles que não têm medo de virar aperitivo de tubarão.

Você tem a adrenalina garantida ao ver como como um tubarão se movimenta, como ele se aproxima do mergulhador, como abre suas mandíbulas fortes e pega o peixe diretamente de suas mãos. O animal também prestará atenção em você, nadando, enquanto o observa. Os predadores mais fotogênicos vão olhar diretamente para a câmera; assim conseguirá tirar ótimas fotos.

Mergulho com jamantas (Bali)

Para quem: aqueles que ainda não estão prontos para os tubarões.

Bali é um lugar perfeito para o mergulho. Tanto os mergulhadores iniciantes, como os profissionais se sentirão bem nesse paraíso. As jamantas não representam perigo para os seres humanos, mas impressionam pelo tamanho. São a maior espécie de elasmobrânquios do mundo (cerca de 4 a 4,5 metros) e nadam ao seu lado, sem risco.

Corrida de touros (Espanha)

Para quem: aqueles que consideram que, depois de comer tanta carne na vida, jppa está na hora de os bovinos darem o troco.

Trata-se de correr de touros, vacas e bezerros soltos na rua. O percurso compreende cerca de 1 km (a partir do recinto até a arena pelas ruas da cidade). As barreiras de madeira, localizadas ao longo de todo o percurso, vão lhe ajudar a se salvar dos touros; você apenas tem de subir nelas rapidamente.

Surf vulcânico (Nicarágua)

Para quem: aqueles que estão entediados com o surf comum.

Os surfistas sobem no vulcão e deslizam pelas cinzas, sobre uma tábua fina ou uma lâmina de metal. O perigo desse esporte são as quedas, os cortes com as partículas de cinza vulcânica, a intoxicação com gases tóxicos e as queimaduras por lava. Mas, se usar equipamentos especiais, tudo ficará bem.

Redes em precipícios (Alpes)

Para quem: aqueles que querem tirar um belo cochilo numa rede, mas de forma um pouco mais divertida.

Nos Alpes italianos é comemorado um festival anual diferente: todos os participantes se balançam em redes penduradas sobre o precipício de Monte Piana. Os corajosos envolvidos nesse festival são chamados de preguiçosos, porque durante a maior parte do dia ficam 'pendurados' em suas redes a centenas de metros acima do solo, tirando selfies.

Caminhadas nas alturas (Toronto)

Para quem: para quem sempre sonhou em andar pelo lado de fora de um edifício.

Todos podem dar um passeio ao longo da borda da torre de TV, localizada a 356 metros (116 andares) de altura. Para os aventureiros, é colocado um sistema de segurança especial, para que possam caminhar pela borda da Torre, olhando para baixo.

Poço de Jacob (Texas)

Para quem: para quem literalmente vai fundo numa aventura.

É uma caverna subaquática incomum, com um diâmetro de 4 metros, que sai à superfície em uma das fontes de água da cidade de Whimberley, no Estado do Texas. A caverna leva até as profundezas do penhasco. Depois de várias dezenas de metros ela se dividide em túneis subaquáticos, que levam a destinos desconhecidos.

Parque Nacional Madidi (Bolívia)

Para quem: Para aqueles que querem competir com a natureza.

A peculiaridade desse parque é que é literalmente tudo ao seu redor pode ser perigoso: para sobreviver, todas as formas de vida deste lugar criaram o seu próprio veneno. Aqui vivem mariposas venenosas, formigas, cobras, onças e porcos selvagens, que às vezes atacam pessoas. O mais terrível inseto é a mosca Dermatobia hominis, as varejeiras, que não raro depositam suas larvas nos exploradores sem que eles percebam. A água é cheia de fungos tóxicos, além de plantas com folhas e sementes tóxicas.

'El Caminito del Rey' (Espanha)

Para quem: aqueles que não procuram trilhas fáceis.

A trilha passa pelos desfiladeiros Chorro e Gaitanejo, na Espanha. As passagens são bem elevadas (mais de 100 metros de altura), para apenas um metro de largura. Alguns malucos preferem passar por esse caminho em partes piores, escolhendo áreas sem corrimãos e usando equipamentos de segurança na forma de uma corda com um mosquetão, que é anexado a uma corda de aço.

Lago das Água-Vivas, Palau

Para quem: para quem gosta de água-viva.

O lago está localizado no arquipélago das Ilhas Rochosas (Palau) e é famoso pela população de dois tipos de água-viva: as douradas (Mastigias papua) e a lua (Aurelia). Por falta da existência de seus predadores naturais, as águas-vivas se reproduziram e chegaram a 2 milhões de seres. Além disso, os tentáculos da água-viva perderam suas células urticantes (que queimam seus inimigos), por isso este lago é tão amado pelos mergulhadores e turistas.

Jardim das plantas venenosas Alnwick (Inglaterra)

Para quem: aqueles que amam tudo o que é proibido.

É um dos muitos jardins públicos de Castelo de Alnwick, em Northumberland, Inglaterra. Mas sua característica distinta é que reúne as plantas mais tóxicas do mundo, que podem facilmente matar uma pessoa. Atrás da porta preta do jardim crescem cerca de 100 espécies de plantas proibidas, usadas para produzir drogas. A tarefa principal do parque é fazer com que as pessoas entendam o quanto as drogas são nocivas e perigosas, explicação apresentada em detalhes pelo guia.

A piscina do Diabo (Zambia)

Para quem: aqueles que estão cansados de piscinas de hotel.

É uma piscina natural localizada às margens da famosa Victoria Falls (tem uma largura de cerca de 1800 m e uma altura de 108 m). Na estação seca (setembro a dezembro), quando o nível de água no rio fica baixo, os turistas conseguem nadar, sem medo de cair no abismo. Ao lado da piscina há um guia que irá sugerir o melhor lugar para entrar na água e ajudar, se necessário.

Imagem de capa eastnews