Um fotógrafo de viagem que se tornou embaixador da beleza de Camarões

= Este artigo é patrocinado pelo Depositphotos =

Ziya Akturer é um fotógrafo de viagem turco que combina práticas artísticas com seu trabalho como agente de seguros. Em 2006, ele comprou sua primeira câmera profissional depois de visitar as Filipinas. E logo percebeu que quer dedicar a sua vida à fotografia de viagem. Alguns anos depois, ele pediu demissão do seu trabalho principal para viajar mais e explorar o mundo através das lentes da sua câmera.

Atualmente, Ziya é um fotógrafo de banco de imagem de sucesso (veja o seu portfólio no Depositphotos) que foca em paisagens exóticas e em retratos de habitantes de terras distantes. Há alguns anos, uma companhia aérea o convidou para visitar os reinos de Camarões para promover suas belezas através das suas fotos. Role a página para se inspirar pelas suas histórias de viagem, assim como seus ensaios fotográficos realizados em Camarões.

Ziya Akturer usou uma Nikon D 750 e algumas lentes: uma Sigma 35mm, Sigma 50mm, Nikon 85mm, e uma Tamron 16-30mm. As suas coleções de equipamentos fotográficos permitem que ele esteja sempre preparado para qualquer assunto, seja o espetacular lago Petpenoun ou os dançarinos de Babungo.

Akturer adora fotografar pessoas e paisagens. Ele vê isso como uma missão pessoal para explorar culturas exóticas com sua câmera. O fotógrafo acredita que vender suas fotos no Depositphotos é um ótimo bônus, porém, não é o foco principal dos seus objetivos. Por essa razão, ele escolhe seus assuntos de maneira livre e constrói conexões pessoais com pessoas e lugares.

Ele acredita que apesar dos cursos e livros sobre fotografia fornecerem muitas dicas profissionais, é mais importante aprender a fotografia na prática, encontrando a sua própria motivação. O desejo dele de viajar alimentou a vontade de aprimorar as suas habilidades fotográficas e aprender sobre o potencial dos seus equipamentos. Como resultado, em 2015 foi convidado para uma viagem a Camarões como fotojornalista, no intuito de promover as belezas desse país pouco conhecido pelos europeus.

Akturer disse que a primeira coisa que você precisa saber antes de viajar para Camarões é o francês. Você também precisa de um guia local com um jeep ou algum veículo bom para trilha. Não existe transporte público em Camarões e as estradas intermunicipais podem ser desafiadoras devido aos buracos.

Ziya Akturer levou quase 2 semanas para visitar alguns dos reinos de Camarões (existem cerca de 450 reinos), tribos locais, vilas Pygmies e a costa litorânea.

O Reino de Babungo, que está localizado no Norte de Camarões, o impressionou mais: “Ficamos lá por duas noites e podemos ver a dança tradicional africana. Grupos de dançarinos ficaram substituindo uns aos outros e também realizaram seus rituais tocando tambor e flauta. Eles perseguiam espíritos ruins e convocavam os bons. Me senti como se estivesse em um set de filmagem!”

O artista não podia esquecer do lago Petpenoun (‘Lagos Gêmeos’). Em sua opinião, esse é um dos locais mais lindos de Camarões. Os bangalôs ao redor do lago são lindos e bem mantidos. Lá, os visitantes podem aproveitar vários esportes como esqui aquático, tênis ou badminton. Além disso, os turistas podem explorar o lago de lancha, veleiro ou canoa.

Fotógrafos de retrato geralmente têm dificuldade de fotografar em Camarões, já que a maioria das pessoas locais não gostam de ser fotografadas e geralmente pedem dinheiro em troca. Porém, se você conseguir construir relacionamentos significativos com os habitantes locais, eles podem levar em consideração. Os camaroneses (principalmente as crianças), nos quais Ziya estabeleceu uma conexão emocional, ficaram felizes em posar para as fotos e ainda o convidaram para conhecer suas casas.

"Se o que você estiver fotografando for bonito, a foto também será bonita","contou Ziya Akturer. Em Camarões, ele escolhe os assuntos pelas expressões faciais ou vestimentas, já que ambas falam muito sobre personalidade e estilo de vida. Os assuntos favoritos dele são as crianças locais que ele fotografa em ambientes com luz natural baixa.

Diferente das pessoas de Babungo, que são bastante sociais e mente aberta, os Bagyeli Pygmies são menos amigáveis. E isso se dá porque eles não interagem com outras tribos ou nações com frequência. Pygmies constroem cabanas simples e vivem em uma área isolada e distante, onde os transportes só são possíveis por canoas.

O fotógrafo se impressionou com as suas interações com Ndofua Zofoa III, o 25° rei de Babungo. “Com as roupas que ele usa e a sua autoconfiança, ele não precisa dizer que é o rei. Ele passa a maior parte do tempo na Itália, Espanha e América e sabe falar Francês e Inglês. O rei também tem 58 filhos”, disse Ziya Akturer.

Recentemente, a fotografia de viagem se tornou um gênero muito popular nos bancos de imagem, e você pode usar o Depositphotos para fazer uma viagem rápida e inspiradora de maneira on-line. Alguns dos lugares mais hipnotizantes que Ziya Akturer recomenda são Angkor Wat em Camboja, Petra na Jordânia, Lombok na Indonésia e Cuba.

Compartilhar este artigo