Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

25 fotos incríveis de tribos que estão desaparecendo

Jimmy Nelson, fotógrafo britânico e viajante, não costuma clicar celebridades no tapete vermelho, modelos em saltos altíssimos nem homens com seus carrões. No lugar de coisas assim, ele fotografa pessoas que vestem pele de animais e pintam o rosto para aterrorizar os inimigos. Os "modelos" do profissional são membros de tribos em perigo de extinção em todo o mundo, de Chukotka (extremo leste da Rússia) a Papua-Nova Guiné. Suas culturas e tradições são legados importantes para toda a humanidade e o visual desses povos impressiona mais que qualquer coisa que você tenha visto no cinema.

O Incrível.club traz a você este projeto fotográfico único chamado "Antes que desapareçam", de Nelson, estrelando tribos pouco conhecidas originárias dos cantos mais isolados do Planeta.

Goroka (Papua-Nova Guiné)

Goroka é a capital da província das Terras Altas Orientais. Os nativos são particularmente unidos entre si e acreditam em espíritos, tendo grande respeito à natureza.

Suas armas principais são arco e flecha, mas a pintura e os adornos também são parte importante. Parece que os guerreiros nativos sabem meter medo nos inimigos.

A tribo também é boa no ramo do entretenimento: todos os anos, Goroka recebe o Goroka Show. Mais de 100 tribos da região apresentam suas danças, cantos e tradições.


Huli (Papua-Nova Guiné)

A tribu Huli vive da caça e essa é responsabilidade dos homens. As mulheres cuidam dos animais de criação e da coleta de alimentos. Quem passa pela região se impressiona com os jardins mantidos pelos nativos.

Os indivíduos da tribo Huli pintam o rosto de amarelo, vermelho e branco para espantar os inimigos durante disputas tribais que acontecem com certa frequência.

Eles têm a tradição de criar perucas com o próprio cabelo. Tais acessórios são como chapéus enfeitados com penas de aves como papagaios.

Kalam (Papua-Nova Guiné)

Esse povo vive em assentamentos ancestrais. A dita civilização ainda não chegou ao local, onde os homens cuidam da caça e as mulheres se dedicam à colheita e aos cuidados com os animais.

Os jovens da tribo Kalam esperam impacientemente a hora furar o nariz durante a cerimônia de iniciação. É quando eles recebem permissão para pintar o rosto.

Os homens se preocupam muito com a aparência física; eles cobrem o corpo com desenhos elaborados e colares feitos com bicos de aves, flores selvagens e penas.

Asaro (Papua-Nova Guiné)

Os Asaro (conhecidos como "Asaro Mudmen", ou "homens de lama do rio Asaro") são uma tribo misteriosa e enigmática: é famosa principalmente pelo fato de que seus membros se cobrem uma argila branca e usam máscaras da mesma substância.

As máscaras representam a crença dos nativos de Papua-Nova Guiné nos espíritos. Orelhas longas ou curtas, presas e as bocas das máscaras são muito peculiares.

Maori (Nova Zelândia)

Os traços particulares da tradicional cultura Maori incluem artes plásticas, danças, lendas, senso de comunidade e as tatuagens. Alta aposição social, por exemplo, sempre se reflete nos desenhos sobre o corpo, e os membros da tribo que não têm tatuagens são considerados inúteis.

O Haka, dança dos Maori e uma espécie de símbolo da Nova Zelândia, é uma das mais famosas tradições desse povo. É um ritual peculiar acompanhado de cantos e golpes nas coxas e braços. É algo incrível!

Esse povo venera vários deuses e espíritos ao mesmo tempo. Eles acreditam que as criaturas sobrenaturais são onipresentes, capazes de ajudar sempre que a tribo precisa.

Chukchi (Rússia)

Os Chukchi vivem da caça e da criação de renas. As mulheres trabalham cuidando da casa, das roupas e de bordados.

Os locais têm uma arte peculiar: eles criam objetos característicos usando ossos de focas, que são entalhados.

No frio inóspito do extremo leste da Rússia, a hospitalidade e a generosidade são qualidades muito valorizadas, então os Chukchi estão sempre dispostos a oferecer um prato de comida e uma cama para uma boa noite de sono.

Himba (Namíbia)

Os Himba formam uma antiga tribo de pastores. Tanto as mulheres quanto os homens possuem vários parceiros, e cada membro da tribo pertence a um clã, definido pelos pais. Muitas vezes, a vida de cada membro do grupo é decidida pelo homem mais velho.

A aparência dos Himba diz muito sobre sua posição social e fase da vida em que está. Eles usam pouca roupa, mas dão atenção especial aos penteados, joias e maquiagens. As mulheres nunca estão sem pintura.

Mustang (Nepal)

O antigo reino de Lo é ligado ao Tibete pela religião, cultura e história, mas oficialmente faz parte do Nepal.

A maioria dos locais ainda acredita que o mundo é plano e que as doenças são provocadas por espíritos ruins.

Quando o filho mais velho herda a propriedade familiar, o mais novo vai para o monastério, presente em todos os povoados.

Rabari (Índia)

Os membros desta tribo têm traços faciais dos persas - atual Irã. Eles chegaram do Planalto Iraniano há milhares de anos. Agora, se encontram em Gujarat e Rajasthan.

Enquanto os homens cuidam dos rebanhos de ovelhas, as mulheres passam horas tecendo bordados, cuidando da casa e resolvendo questões financeiras.

Quase todo o corpo dos Rabari é coberto por tatuagens, por uma questão de beleza, religiosa e terapêutica.

Jimmy Nelson viajou o mundo por 3 anos. Ele viveu com representantes destas tribos em vias de extinção e conheceu suas culturas de perto, compartilhando com eles o alimento e tentando aprender ao máximo. Já os nativos também se interessavam em 'estudar' o fotógrafo durante as interações. Como você pode imaginar surgiu um sentimento de confiança entre o visitando e os fotografados. A impressão é de que cada pessoa nestas fotos olha direto em nossa alma.

Fonte Fonte, Jimmy Nelson
Tradução e adaptação Incrível.club