Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração
Incrível

15+ Modelos que lutam a favor da diversidade mostram que o respeito às diferenças está na moda

3---
898

Já dizia a letra da música do Lenine: “Seja branco, preto, verde, azul ou lilás; E daí, que diferença faz?”. O ser humano é único e é essa particularidade que nos faz tão belos, mas, infelizmente, ainda existe muita discriminação. Ainda bem que até no mundo da moda existem pessoas que vivem lutando para provar que o belo é ser diferente.

Incrível.club selecionou 18 modelos que são famosos por serem talentosos e por sua luta pela igualdade. Pessoas fantásticas, que driblaram a discriminação e provaram que os sonhos podem se tornar realidade.

1. Nyakim Gatwech

A modelo Nyakim Gatwech tem uma cor de pele estonteante e é chamada por seus admiradores e seguidores de “Queen of Dark”. A beldade tem quase 700 mil seguidores no Instagram e é uma inspiração para várias mulheres. A modelo sul-sudanesa declarou em entrevista: “Meu chocolate é elegante. É isso que eu represento: uma nação de guerreiros”.

2. Paola Antonini

A modelo Paola Antonini passou por uma tragédia pessoal quando sofreu um acidente automobilístico, mas não se deixou abater. Conseguiu lidar muito bem com a situação e escolheu uma prótese robotizada que permite que ela use, inclusive, salto alto. Suas fotos no Instagram acabaram chamando a atenção e ela é inspiração para outras pessoas que passam pela mesma situação.

3. Andreza Aguida

Andreza Aguida não gosta que chamem o albinismo de doença, apesar da pele que precisa de cuidados e da limitação na visão. Ela se acha linda e isso inspira os outros a aceitarem as suas diferenças, e a lidarem melhor com a diversidade. Andreza participa de grupos com pessoas albinas orientando sobre a necessidade de aceitação do indivíduo e da sociedade.

4. Duckie Thot

modelo, de origem australiana e sudanesa, Nyadak Duckie Thot participou do Australia’s Next Top Model. Ela causou alvoroço nas redes sociais por sua beleza e inclusive foi comparada à boneca Barbie, de tão perfeita. Foi muito elogiada pelo tom de pele lindo, mas conta que nem sempre foi assim. Ela sofreu bullying e foi inclusive entrevistada pela Teen Vogue para falar de discriminação.

5. Paloma Elsesser

Paloma Elsesser nasceu em Londres e se mudou para Los Angeles ainda criança; em 2010, foi para Nova Iorque para estudar psicologia. A linda modelo plus size foi descoberta pela maquiadora britânica Pat McGrath. Ela desfilou para marcas como Proenza Schouler, Nike, American Vogue, Teen Vogue e Elle. Paloma se empenha em fazer do seu trabalho uma bandeira contra o preconceito.

6. Jewell Jeffrey

Jewell Jeffrey reveza seu tempo entre o trabalho nas passarelas e o de DJ; sua condição de “modelo atípico” não faz com que se sinta diferente ou incomodado. O modelo congolês contou em entrevista que não se importa com a admiração das pessoas em relação a sua pele tão alva. Na infância, ele não se importava com o bullying: “quando rirem de você, sorria. Um dia, eles verão quem você realmente é.”

7. Hanne Gaby Odiele

modelo belga Hanne Gaby Odiele ganhou o mundo da moda depois de ter sido descoberta aos 17 anos, no festival de rock Novarock, na Bélgica. Logo fez parte do casting de marcas famosas e realizou ensaios para a revista Vogue na Europa. Na infância, descobriu que era intersexual e vê em sua carreira a oportunidade de levar informação a pessoas como ela.

8. Irmãs Quann

As gêmeas Cipriana Quann e TK Wonder posaram para a marca Fendi na campanha #MeAndMyPeekaboo nas ruas de Manhattan. A marca lançou as lindas irmãs em sua campanha de bolsas da marca e as duas viraram ícones de estilo e beleza. A dupla vive da moda e também se empenha em levar conscientização, empoderamento e aceitação da beleza negra.

9. Mirian Njoh

modelo e estilista Mirian Njoh organiza seu próprio blog e sua marca de moda voltada para o público feminino. Ela já foi, inclusive, assistente de estilo do clipe " Work " da talentosa cantora Rihanna. Mirian contou em entrevista, que ser modelo com albinismo mostra às pessoas que todos os sonhos são possíveis. Ela explica que fica feliz em ver que o mundo da moda já não é tão restrito como antes.

10. Ashley Smith

Ashley Smith nasceu na Califórnia e foi levada ainda criança para morar no Texas. Apesar de ter estatura baixa para a profissão, Ashley não desistiu do seu sonho de se tornar modelo e foi fazer testes em agências de Nova Iorque. Lá ela foi apelidada de a nova “Lara Stone”, uma badalada modelo que também tinha os dentes separados. A modelo, que também é atriz, já trabalhou para marcas como Chanel e Prada.

11. Erika Linder

Erika Linder é uma linda sueca que foi morar nos EUA para modelar, depois que foi descoberta por um agente. Suas feições andróginas fazem muito sucesso, justamente porque ela pode desfilar com roupas masculinas e femininas. Muitos dizem que seus traços masculinos se assemelham aos do ator de Hollywood Leonardo DiCaprio e a beleza da moça faz muito sucesso por onde passa.

12. Zombie Boy

O modelo Rick Genest também era conhecido como Zombie Boy, por causa de suas curiosas tatuagens em formato de caveira, insetos e ossos que cobriam 90% da pele. Rick ficou famoso nas passarelas da Europa, desfilou na coleção do rapper Jay-Z e participou do clipe da Lady Gaga em 2011. Ele faleceu aos 33 anos em 2018.

13. Carmen Carrera

A modelo e atriz Carmen Carrera ficou bastante conhecida depois que foi descoberta pelo fotógrafo de moda Steven Meisel e por ter participado do reality show RuPaul’s Drag Race. Após o programa, Carmen se tornou transgênero e foi contratada pela agência Elite Model Management em Nova Iorque. Ela defende a causa LGBTQ+ e ajuda uma associação que cuida de pessoas com Aids.

14. Moffy Gathorne-Hardy

A belíssima modelo Moffy Gathorne-Hardy faz parte do casting da Storm Models, muito conhecida por ter agenciado a supermodelo britânica Kate Moss. Sua particularidade, que é ser estrábica, a faz mostrar que as rígidas normas da indústria da beleza podem ser quebradas. Um exemplo de perseverança e confiança em seu potencial para vencer os obstáculos da vida.

15. Eliane Medeiros

Eliane Medeiros é uma modelo brasileira que é muito feliz por ter conseguido se amar do jeito que é: “A gente é lindo. Porque eu acho meu vitiligo maravilhoso”. Ela inclusive evita usar muita maquiagem para deixar sua pele em evidência e conta que não tem intenção de fazer mais nenhum tratamento para mudar. Eliane considera sua cútis uma obra de arte e ela tem toda razão.

16. Grece Ghanem

Grece Ghanem largou sua carreira ligada à saúde e se mudou do Líbano para o Canadá para morar com a filha. Sem oportunidades na área que atuava, Grece fez uma conta em uma rede social e passou a se dedicar à moda para mulheres maduras. Aos 54 anos, ela faz sucesso por montar sua própria tendência, com roupas próprias que guarda desde a década de 1980.

17. Li Jing Wen

modelo Li Jing Wen, que desfilou para Prada e posou para a Vogue, é chinesa e tem enfrentado preconceito por ter sardas. Uma ideia incomum, já que ela tem apenas algumas “pintinhas” no rosto. Para os chineses, no entanto, isso vai contra as referências de beleza deles que é uma pele muito branca e sem marcas. Jing Wen recebeu muitas críticas, mas segue valorizando a diferença e sendo contra o preconceito.

18. Cassandra Naud

modelo, atriz e dançarina canadense Cassandra Naud tem uma marca de nascença no rosto que a faz única. Ela conta que teve muita dificuldade de lidar com isso na infância, por causa dos comentários maldosos que fizeram com que ela desejasse remover a marca aos 13 anos. Hoje, ela consegue lidar muito bem com os olhares curiosos e estreou, em 2018, como atriz na série Dirk Gently, da Netflix.

Essa lista de modelos incríveis é a prova de que tudo que desejamos é possível, apesar de algumas pessoas insistirem em dizer que não. Famosos, bem-sucedidos e lindos por dentro e por fora que dão as costas para o preconceito e provam que ser diferente é normal.

Gostou da lista? Já conhecia algumas dessas pessoas? Você tem alguma característica que também o torna diferente? Conte para nós nos comentários.

3---
898
Compartilhar este artigo