Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

12+ Vezes em que o Universo decidiu jogar uma caixa de felicidade na nossa cabeça

2-2-
77k

Cada um tem a sua felicidade. Para uns é poder quitar as dívidas, para outros é receber um presente de aniversário. E, praticamente, todo mundo gosta de ver um sorriso no rosto de pessoas queridas. Para aqueles que querem ler histórias calorosas, seja embaixo dos cobertores ou a caminho do trabalho, este post busca trazer a esperança em milagres de volta.

Nós, do Incrível.club, temos a certeza de qualquer alegria, mesmo que aparentemente pequena, é um presente do destino. Ainda, no bônus, você poderá aquecer a alma e ter novamente a esperança de que é possível sair de situações difíceis. Acompanhe!

***

Meu filho tem 16 anos. Como muitos adolescentes, o quarto dele sempre está uma zona. Recentemente, eu estava lá arrumando, quando notei uma pasta de documentos em cima da mesa. Um dos documentos era um plano de uma startup: um centro de voluntariado voltado para ajudar deficientes físicos e necessitados. Ontem ele chegou em casa com meu marido, contou sobre seu novo projeto e pediu a nossa ajuda — financeira e moral. E, sabe, naquele momento eu só pude lembrar da criança assustada de 4 anos que adotamos do orfanato. Como ele escondia a comida sempre, enquanto já morava com a gente, e juntava todo o dinheiro e os brinquedos que dávamos a ele, pensando que um dia poderíamos simplesmente “devolvê-lo”. Lembrei também dos primeiros “mamãe” e “papai”, todas as brigas que ele tinha com a irmã mais velha... E foi então que me dei conta de que eu e meu marido fizemos tudo certo e que tínhamos criado um ser humano incrível. © Палата № 6 / vk

***

Nasci e cresci em uma cidade do interior com uma população de 8 mil habitantes. Quando criança, minha avó me dava umas balinhas de caramelo, e eu era apaixonada por elas. Eram muito gostosas, e eu nunca tinha visto aquelas balas em nenhum lugar para comprar. Depois de 20 anos, me mudei para outra cidade e fiz uma viagem para a Finlândia. Estava comprando alguns doces e lembrancinhas quando encontrei aquela mesma bala de caramelo que minha avó me dava! Parecia que tinha voltado no tempo e me senti como uma criança novamente. © Подслушано / vk

***

Nos anos 90, minha mãe conseguiu um emprego em um mercadinho. Eu tinha 5 ou 6 anos de idade. Enquanto ela trabalhava, eu sempre ficava ao lado ajudando com pequenas coisas. Uma vez, ela precisou ajudar uma cliente e me deixou no caixa. Uma senhora se aproximou para pagar suas compras e me deu dinheiro por um sanduíche e um chocolate. Logo depois, ela me entregou o chocolate e disse: “Aqui, querida, pelo seu trabalho”. Eu lembro de ter ficado tão feliz naquele momento. Foi bem na época em que as máquinas de brinquedos apareceram e, por isso, ganhar um chocolate de graça, mesmo que um só, foi um momento que eu não consigo esquecer. Senhora, eu me lembro! Um dia você me fez muito feliz...© Лошадь Пржевальского / AdMe

***

À noite. Ônibus quase vazio. Eu e mais 10 pessoas íamos para casa depois de um dia duro de trabalho. Entrou um homem com uma panela, olhou para todos e disse: “Não, assim não dá”. Depois abriu a panela e dela saiu um cheiro de arroz com carne... O homem, então, tirou pratos de plástico de uma bolsa e começou a entregar um pouco de comida para todos no ônibus. Ele disse que tinha cozinhado com a esposa, e que eles estavam pensando em começar a vender, mas queriam fazer um teste primeiro. E o melhor é que estava muito gostoso! © Палата № 6 / vk

***

Eu e minha esposa trabalhávamos juntos em um banco. Uma vez nos pediram para responder a uma pesquisa, para a qual ninguém deu muita importância. Havia algumas perguntas sobre a nossa infância, como “Qual era o seu sonho de criança?” Eu respondi que sempre tive o sonho de ganhar uma bola de futebol, e minha mulher também respondeu, mas eu nem perguntei o quê.

Passamos o nosso aniversário de casamento no Chipre. Durante a viagem, recebi uma mensagem do nosso supervisor perguntando qual era a raça de cachorro que minha esposa queria quando era pequena. Foi então que eu descobri que a nossa empresa realmente estava dando de presente nossos sonhos de infância. Depois de duas semanas, minha mulher recebeu seu “grande sonho”, o nosso novo amigo de 4 patas. © Rofelka / Pikabu

***

Eu e meu irmão fomos passar uma semana em um chalé nas montanhas. No inverno. Nos primeiros 2 dias mal conseguimos levantar da cama por conta do ar rarefeito das montanhas. Um dia, então, resolvemos passear depois do almoço, pois estava ensolarado e nevava um pouco. Lindo! Subimos ainda mais as montanhas em uma caminhada, mas, de repente, começou a nevar mais forte e escureceu rapidamente. Já estava difícil descer naquelas condições, e nós não sabíamos nem para onde ir. Estávamos perdidos. Foi então que apareceu um cachorro — olhava para nós, abanava o rabo e girava no mesmo lugar. Foi esse cachorro que nos levou de volta para o chalé. O proprietário do local mandou o cão nos procurar quando viu que o tempo estava piorando. Talvez ele esteja acostumado com pessoas “de cidade grande”, mas, para nós, aquilo foi quase como um milagre! © jeannne / AdMe

***

Quando eu a minha irmã éramos pequenas, nossos pais resolveram costurar 2 vestidos iguais para usarmos numa festa na escola no dia seguinte. Era um vestido escuro: a parte da saia era preta e a parte de cima era de um material branco translúcido, mas eles iriam pintar de preto. Além disso, teriam pequenas estrelinhas penduradas, feitas com papel alumínio, e uma coroa em formato de lua. A tinta não pegou direito no material mais leve e, por isso, eles perderam muito tempo repintando. Já era tarde da noite, e eu e minha irmã estávamos preocupadas que não daria tempo de terminar para o dia seguinte — e eles nem tinham começado a fazer as estrelinhas. Nossa mãe nos garantiu que eles terminariam e, por isso, chamou alguns amigos da família para ajudar.

Dia seguinte. Mamãe nos acordou de manhã, ligou a luz e nós vimos 2 vestidos lindos pendurados no cabide, com todas as estrelas brilhando. Meu tio estava deitado no chão, pois eles haviam trabalhado a noite inteira e ele caiu no sono ali mesmo. Todos estavam felizes e rindo por conta desse projeto em conjunto. Foi um momento tão mágico e surreal, o melhor Ano Novo da minha vida! © Надежда Н / AdMe

***

Recentemente, foi aniversário do meu avô. Ele é um senhor de 75 anos, ex-militar, roqueiro e um marido e pai excepcional, que carregou a família inteira nas costas e deu aos seus 4 filhos uma vida maravilhosa e cheia de oportunidades. Uns 2 ou 3 dias antes do seu aniversário, meu avô me chamou e pediu que fizéssemos para ele... uma comemoração infantil. Ele queria comer hambúrguer do McDonald’s, jogar Xbox como os netos, entrar numa piscina de bolinhas e ir ao zoológico. Ele disse que estava com vergonha de contar para os outros filhos e pediu para dizer que íamos apenas a um bar de strip-tease.

Fizemos tudo que ele pediu e, no final da noite, ele chorou de felicidade. Disse que a infância dele não foi como a nossa, que as crianças não tinham brinquedos, pois a família dele era muito grande e não tinha dinheiro. O pai dele faleceu quando ele tinha 6 anos. Acho que nunca vi ninguém tão feliz como meu avô naquele dia. O que mais me surpreendeu foi que ele pediu para fazer as coisas mais simples do mundo! E ainda assim isso trouxe uma enorme alegria para ele. © Палата № 6 / vk

***

Pessoal! Hoje eu paguei a última parcela do meu empréstimo e, por isso, vou dar uma festa! Durante o ano inteiro, eu dava grande parte do meu salário ao banco e não sobrava quase nada. Mas hoje fiz o último pagamento e estou tão feliz! Em maio vou quitar meu segundo empréstimo e acho que vou chorar de tanta felicidade. Senti essa mesma euforia quando quitei o financiamento do meu apartamento. Desejo a vocês que quitem suas prestações para conseguirem respirar e sorrir aliviados. © DirInt / Pikabu

***

Em breve completarei 21 anos. Este já é o meu 4º ano vivendo em outra cidade longe dos meus pais. Cada vez que vou visitá-los, meu pai me recebe na estação de trem e me leva para casa. Quando chegamos no prédio, começa a nossa “brincadeira”: competimos para ver quem chega primeiro na entrada do prédio, depois, o primeiro até o elevador e, então, quem primeiro abre a porta de casa. Moramos no 3º andar, mas esse é sempre o momento mais feliz da minha vida — quando você esquece dos problemas da vida “adulta” na cidade grande e volta a ser criança por alguns minutos com seu pai. Palavras não descrevem! © Подслушано / vk

***

No Dia dos Namorados eu dei de presente à minha esposa um buquê de rosas, uma joia e um kit de coisas dos anos 90. Na Internet dá para achar coisas que tínhamos na infância, como ioiô, chiclete Ploc, mini Coca-Cola e afins. Quando ela abriu o presente, caiu no choro. E isso aconteceu porque ela passou a maior parte da infância em um orfanato e sempre sonhava em ter coisas assim. Mais tarde, compramos vários doces e balas no mercado e passamos a noite assistindo a desenhos animados dos anos 90. É verdade quando dizem que é preciso de pouco para ser feliz! © Палата № 6 / vk

***

Minha namorada me deu uma caixa de presente no Dia dos Namorados. A princípio, eu abri, não vi nada e pensei que era alguma brincadeira. Depois, eu vi o teste...

Obs.: queríamos ter um bebê há muito tempo, mas ela não conseguia engravidar. Estou pulando de felicidade. Podem parabenizar o novo papai do pedaço! © nikita8631 / Pikabu

Bônus: às vezes a felicidade demora para chegar

Em 1995, eu perdi o emprego. Não tinha uma casa própria, minha esposa me largou e deixou comigo nosso filho de 2 anos e meio. Lembrei da minha juventude e da minha primeira especialização e resolvi trabalhar como serralheiro em uma fábrica. Poderia falar em um post inteiro sobre como esse trabalho é pesado, mas acho que vocês já podem ter uma ideia. Mas eu trabalhava todos os dias porque precisava alimentar meu filho. Não só no trabalho principal, mas também fazia todos os bicos possíveis e imagináveis. O pouco tempo livre que tinha tentava passar com meu filho: passeávamos, pescávamos, andávamos de canoa pelo rio, acampávamos na floresta. Quando finalmente consegui ter minha casa, construí uma área de recreação só para ele brincar, desde carrossel até uma pequena piscina. E ainda montei um pequeno zoológico com diversos animais. Primeiro vinham as crianças brincar com ele, depois os amigos da faculdade. Hoje, o Alex está com 27 anos e temos uma relação incrível. Tudo não poderia estar melhor, mas a minha maior felicidade é quando meu filho me diz: “Papai, eu te amo”. © MAPK.TBEH / Pikabu

E você, tem histórias parecidas como essas? Conte-nos de seus momentos mais felizes!

Imagem de capa Палата №6 / vk
2-2-
77k
Compartilhar este artigo