Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

20 Fatos sobre Stephen King, o rei dos horrores, que tem assustado o mundo com suas fantasias por mais de 40 anos

O dia 21 de setembro marca o 72º aniversário de Stephen King, que mantém seu título como o rei das histórias de terror. Durante muitos anos, ele foi considerado o escritor mais rico do mundo. Stephen é autor de mais de 250 obras. Atualmente, está em terceiro lugar entre os escritores mais ricos, ficando atrás apenas de James Patterson e Joanne Rowling (ou J.K. Rowling).

Nós, do Incrível.club, aprendemos alguns fatos curiosos sobre a vida do escritor e podemos dizer que com tanta imaginação é difícil ficar entediado. Confira abaixo!

Sua família

Stephen King e sua esposa Tabitha.

  • Quando o pai de Stephen deixou sua família, foi uma surpresa para o jovem. Um belo dia, seu pai saiu para comprar cigarros e nunca mais voltou. A mãe dele disse que o pai havia sido abduzido por alienígenas, e por muito tempo ele acreditou nessa história. Somente depois de virar adulto, descobriu que o pai tinha abandonado a família para viver (não muito longe) com outra mulher. Desde então, eles nunca mais se falaram.
  • As primeiras tentativas de escrever começaram quando Stephen escreveu uma história baseada em quadrinhos. Naquela época, a mãe disse que o texto era bom, mas que estava certa de que o filho poderia escrever as próprias histórias um dia. Depois de pouco tempo, tais histórias realmente surgiram. Por cada história, sua mãe lhe dava uma “compensação” de 25 centavos, como incentivo. Stephen até hoje considera isso como seu primeiro salário.
  • Aos 12 anos, junto de seu irmão, Stephen publicou um jornal de humor na cidade, que era distribuído 2 vezes por mês e impresso em uma máquina de digitação antiga. O jornal se chamava “Dave’s Leaf” (“Folha de Dave”, em tradução livre). Os meninos contavam notícias locais e fofocas, e cerca de 50-60 cópias eram facilmente vendidas aos vizinhos.
  • Stephen conheceu sua mulher na universidade. Eles se casaram rapidamente, e dentro de 3 anos o casal teve 3 filhos. Para alimentar uma família que vivia em um trailer, ele fazia diversos trabalhos, incluindo turnos noturnos em uma lavanderia. Foi nesse mesmo local, um ambiente escuro, que ele escreveu a série de livros Night Shift (“Sombras da Noite”) e Sometimes They Come Back (“Às Vezes Eles Voltam”, em tradução livre).
  • A mulher e os filhos também estão envolvidos com literatura. Tabitha King publicou 9 romances, e ambos os filhos do escritor também tiveram seus contos e romances publicados.

Seus livros

  • A primeira vez que Stephen enviou um de seus contos a uma editora foi quando tinha 13 anos. A história não chegou a ser publicada, mas o editor guardou o manuscrito e, depois de muitos anos, o levou até o escritor para receber um autógrafo.
  • Em seu quarto de adolescente, havia um prego um tanto quanto especial na parede. Stephen usava esse prego para pendurar todas as rejeições (por escrito) que recebia de diferentes editoras. O escritor disse que depois de um tempo o prego não suportava a pilha de papéis e teve que substituí-lo por um prego maior, de carpinteiro.
  • Ele tentou se aventurar no gênero de contos eróticos, mas confessou que achava as histórias cômicas demais, e não conseguia terminar por não conseguir parar de rir.
  • O manuscrito do romance “Carrie, A Estranha”, que trouxe ao rei o primeiro grande lucro de 200 mil dólares (cerca de 830 mil reais) e permitiu à família sair da pobreza, teve que ser literalmente tirado da lata do lixo por sua esposa, Tabitha. O escritor havia tentado enviá-lo para diferentes editoras, e foi recusado 30 vezes. Desesperado e frustrado, ele jogou sua criação no lixo. Sua mulher, então, o obrigou a reler e aprimorar a história e, assim, enviaram o manuscrito para a editora Doubleday. Inicialmente, Stephen recebeu 2.500 dólares (10.400 reais) pelo livro, antes da editora revender os direitos para a empresa NAL por 400.000 dólares (1,7 milhão de reais). Ele recebeu 50% desse valor, o que lhe permitiu se dedicar inteiramente ao seu trabalho e paixão.
  • Mas ainda assim, Stephen não gosta do romance que iniciou sua carreira. Ele disse que não acredita nos heróis da história, assim como na personagem principal, Carrie.
  • A única obra que trouxe problemas ao escritor, é, hoje, proibida e não está à venda. É chamada Rage (“Fúria”). Foi o próprio Stephen que pediu que o livro fosse retirado das vendas, depois que começaram a ocorrer tiroteios em escolas. Nos pertences de um dos menores responsáveis pelo crime, foi encontrado o livro, e o delito havia sido cometido exatamente como descrito nele.
  • Stephen tem certos princípios no que diz respeito à distribuição de autógrafos. Se você encontrar o escritor na rua ou enviar uma cópia de um de seus livros pelo correio pedindo que o assine, você certamente ficará decepcionado. Ele só dá autógrafos em encontros marcados com antecedência. Há rumores entre os fãs de que tal comportamento está associado a alguma fobia do escritor. Um dos fãs também garante que se você enviar um livro para o escritor assinar, ele irá queimá-lo e devolver somente as cinzas. Isso é um pouco de exagero, claro, mas esse comportamento se deve ao fato de que Stephen não gosta da idolatrização excessiva dos fãs por pessoas famosas.

Seus filmes

  • As adaptações cinematográficas de suas obras trazem um lucro extra ao escritor. Por exemplo, a renda de Stephen aumentou em quase 12 milhões de dólares (cerca de 50 milhões de reais) desde 2017, graças à exibição do altamente bem-sucedido longa de terror “It: A Coisa”, que arrecadou 700 milhões de dólares (3 bilhões de reais) em todo o mundo com um orçamento de 35 milhões de dólares (160 milhões de reais).
  • O escritor adora desempenhar pequenos papéis esporádicos nos filmes baseados em seus livros. Ele foi notado em pelo menos 14 papéis.
  • Stephen acredita que um de seus filmes mais populares, “O Iluminado”, não foi muito bom. Uma vez, o escritor disse o seguinte, se referindo ao filme: “Ele parece um carro grandioso e bonito, mas sem volante”. E com essas palavras, está claro que ele ficou decepcionado.
  • A série mística “Arquivo X” também foi “tocada” pelas mãos do rei dos horrores. Stephen escreveu o roteiro de um dos episódios, “Chinga”, e deu diversos conselhos ao produtor Chris Carter. Nesse episódio, o vilão principal é uma boneca.

Sua vida pessoal

  • Stephen sempre disse que não pode se gabar de ter uma mente completamente “saudável”, mas é exatamente essa adversidade que o inspira a criar os personagens de suas obras. O escritor tem medo de avião e de psiquiatras, e ele planeja usar sua aracnofobia (medo de aranhas) para escrever, um dia, um trabalho fascinante. Além disso, Stephen tem triscaidecafobia (medo irracional do número 13) e, por isso, ele tenta evitá-lo em quaisquer circunstâncias. Como exemplo, ele nunca para de escrever na página 13, ou nas páginas com números múltiplos de 13, e continua escrevendo até que se sinta confortável em um número “seguro”.
  • Stephen escreve 2 mil palavras por dia há muitos anos, como forma de se disciplinar. E se por alguma razão não cumprir essa regra, ele escreverá mais no dia seguinte.
  • Várias vezes o escritor passou por situações perigosas. Uma vez, um furgão bateu em seu carro e os médicos não acreditavam que ele sobreviveria. Stephen já esteve em um avião que passou por uma forte turbulência e teve alta probabilidade de cair. Ele chegou até a cair no chão, visto que o assento foi arrancado do lugar. Desde então, um simples medo de voar se tornou uma verdadeira fobia. Outra vez, um fã invadiu sua casa e ameaçou sua mulher dizendo que tinha uma bomba. O fã dizia que Stephen havia roubado a ideia do personagem principal da obra “Misery” de sua tia. Sua esposa conseguiu correr para os vizinhos e chamou a polícia; descobriram que a bomba era falsa.
  • Ele adora rock, e decidiu transformar seu hobby em negócio: ele e sua esposa são donos de 3 estações de rádio no estado do Maine, nos Estados Unidos.

O autor desse post acha que “O Iluminado” foi a obra mais aterrorizante do escritor. Você se lembra de um episódio da série “Friends”, no qual Joey escondeu um livro no congelador, pois dessa forma ele pareceria menos assustador? Pois bem, qual livro do rei dos horrores você colocaria na geladeira? E qual mais gostou? Comente!

Imagem de capa AP / East News