Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Saiba por que as pessoas que adoram empilhar pedras precisam parar de fazer isso

O hábito de empilhar pedras está presente na humanidade desde a antiguidade — as pessoas já recorreram a ele para criar monumentos funerários e para marcar locais por onde passavam, evitando o risco de se perder. Mas hoje, a prática ganhou ares de hobby, de uma forma de autoexpressão e de estímulo à meditação. Porém, se por um lado erguer pilhas de pedras funciona como uma maneira de relaxar, sendo que em alguns casos o resultado lembra até obras de arte, especialistas em vida selvagem têm demonstrado preocupação diante dessa tendência. Eles alegam que o costume, aparentemente inofensivo, pode acabar prejudicando a natureza, ainda que não saibamos disso.

Nós, do Incrível.club ficamos surpresos ao descobrir que uma das práticas mais comuns entre turistas pode ser, na realidade, devastadora para o Meio Ambiente. Por isso, corremos para compartilhar com você tudo o que sabemos sobre o assunto.

Prejudica animais e plantas

As pedras fazem parte do habitat para diversas pequenas criaturas, de lagartos a caranguejos, passando pelos insetos. Logo, quando as pessoas as retiram do lugar, podem estar destruindo os alicerces das casas desses animais, provocando uma intensa e perigosa invasão em seu ambiente. Alguns bichos precisam das rochas para reter água e se abrigar contra a ação de predadores ou das intempéries do clima, sem contar que as pedras são importantes até para a reprodução de determinadas espécies.

Interfere nos processos naturais do ambiente selvagem

Empilhar pedras pode representar uma ameaça significativa ao ecossistema. Por exemplo, em riachos, cada pedra está coberta por plantas e micro-organismos e interferir no habitat de tais seres vivos pode comprometer o frágil equilíbrio do Meio Ambiente naquele local. Caso um número considerável de pedras seja removido, é possível que o resultado se traduza em uma rápida erosão, ou até mesmo em alterações no fluxo de água.

Confunde praticantes de trekking e caminhada

São muitos os parques naturais que usam pilhas de pedras como maneira de orientar os aventureiros em trilhas confusas. Entre os praticantes de trekking e montanhistas, essas marcações em pedra são conhecidas como totens. Porém, hoje confusão é o que não falta, já que existem tanto os montes de pequenas rochas que foram posicionados para auxiliar na orientação das pessoas quanto aqueles que foram deixados por visitantes sem nenhum propósito. Logo, quem estiver fazendo uma caminhada por ali pode ter dificuldades ao precisar escolher que caminho seguir, sobretudo no caso daqueles que esquecem de checar as regras do parque antes de começar a trilha.

Quebra a principal regra da ética de quem se aventura na natureza: “não deixe rastros”

Quando resolvemos nos aventurar na natureza, geralmente queremos curtir o poder da paisagem intocada. Porém, ver inúmeras pilhas feitas de pedra causa uma impressão bem diferente da esperada. Enquanto praticantes de atividades como trekking e caminhada desejam dar uma pausa de tudo que se associa à presença humana, os montes de pedras são como pichações deixadas ali apenas para marcar a passagem de uma pessoa qualquer naquele território. E quando nosso propósito é preservar a natureza, não sentimos necessidade de usar rochas simplesmente para marcar presença.

Você consegue citar outras atividades humanas que têm o potencial de prejudicar o Planeta, ainda que nem sempre saibamos disso? Deixe seu comentário!

Imagem de capa depositphotos.com