Incrível
Incrível

Por que dividir a cama com o parceiro é melhor que dormir em camas separadas (ainda que o outro ronque)

Uma pesquisa apontou que um em cada quatro casais que vivem juntos dormem em camas separadas. E isso não acontece apenas porque a chama da relação chegou ao fim. Às vezes, a má qualidade do sono decorrente de hábitos noturnos díspares ou questões de agenda são os culpados. Ainda assim, mentes iluminadas descobriram que compartilhar a cama com a pessoa amada — apesar dos roncos em volume elevado ou da interminável batalha pelo cobertor — pode realmente deixar os indivíduos mais felizes e saudáveis.

O Incrível.club resumiu pontos importantes citados por especialistas para explicar por que dormir ao lado da sua cara-metade tende a valer muito a pena. Confira!

1. Dormir ao lado do parceiro pode ajudar a diminuir o tempo necessário para cair em sono profundo, melhorando a memória e o humor

Um experimento comparou os níveis de sono de casais quando eles dormiram juntinhos e também em momentos nos quais passaram a noite separados.

De acordo com as conclusões do time responsável pelo estudo, indivíduos que dormiram ao lado dos parceiros apresentaram maiores índices do chamado sono REM, (da sigla em inglês, Movimento Rápido dos Olhos), em comparação com as noites dormidas separadamente.

sono REM faz bem para o corpo, pois nessa fase, nosso cérebro se torna mais ativo. E tal benefício é notado quando acordamos, uma vez que melhora nossa capacidade de organizar a memória, equilibrar as emoções e de encontrar soluções criativas para problemas, atuando ainda em favor das interações sociais.

2. Dormir aconchegado um no outro reduz o estresse e o risco de problemas cardíacos

O ato de abraçar libera o hormônio oxitocina, que atua na redução do estresse e gera respostas emocionais associadas ao relaxamento, confiança e estabilidade psicológica.

Especialistas analisaram também os efeitos dos abraços na pressão sanguínea das mulheres. Eles descobriram que as participantes abraçadas tinham menores índices de pressão sanguínea e batimentos cardíacos.

Altos índices de oxitocina também diminuem a produções do cortisol, hormônio do estresse. Quando em teores elevados, o cortisol é capaz de desencadear inflamações, doenças cardíacas e outros problemas de ordem autoimune.

3. Dividir a cama e ter contato corpo a corpo com o ser amado pode ajudar a diminuir a ansiedade

O contato físico é uma ferramenta capaz de fazer maravilhas para o corpo. Em uma pesquisa na área da psicologia, os níveis de ansiedade nas mulheres foram medidos por meio do monitoramento cerebral em ressonâncias magnéticas.

Quando as participantes deram as mãos a pessoas aleatórias participantes da pesquisa, seus níveis de estresse diminuíram.

Porém, ao entrelaçar os dedos com os respectivos parceiros, a ansiedade das mulheres realmente despencou — uma prova científica de que a presença da pessoa amada pode mesmo melhorar nossa saúde.

4. Dormir junto pode até salvar sua vida ou viabilizar a descoberta de distúrbios do sono

Distúrbios do sono (que afetam os músculos e tecidos da garganta, levando a interrupções na respiração) são potencialmente perigosos quando não identificados ou tratados desde cedo.

Os sintomas do problema incluem ronco pesado, engasgos e respiração ofegante. E ter um parceiro ao seu lado, alguém que pode perceber tais sinais, é potencialmente crucial nessas situações.

E segundo outro artigo, um homem que sempre dormia abraçado à esposa percebeu imediatamente quando ela estava tendo uma convulsão. Trocando em miúdos, estar ao lado do companheiro à noite pode ser muito importante na descoberta de condições de saúde.

5. Existe uma ligação direta entre a qualidade do sono e do relacionamento

Descobertas de uma pesquisa apontaram que uma conexão amorosa saudável tende a provocar menos estresse e facilitar a tarefa de pegar no sono. Já uma relação atribulada é mais propensa a causar distúrbios do sono.

Estudiosos concluíram ainda que as mulheres com interações mais positivas com os respectivos parceiros ao longo do dia dormem melhor à noite. Já em relações aos homens, os números são inversos — aqueles com melhor qualidade de sono interagiam de forma mais saudável com a companheira.

6. Compartilhar a cama funciona melhor para os casais felizes

A ideia de entrar no mundo dos sonhos com a pessoa amada é vista por muita gente como a ideal, mas especialistas alertam para possíveis incompatibilidades nas preferências de sono. Por exemplo, uma pessoa com insônia pode acabar afetando o horário em que a outra pessoa consegue dormir.

Diferenças quanto à temperatura do ambiente, aos horários de trabalho ou a hábitos (como ver TV na cama) podem afetar a qualidade do descanso. Além disso, casais com problemas de relacionamento geralmente também não costumam dormir tão bem.

No fim das contas, o ideal é que os parceiros adaptem as rotinas de sono que se encaixem nas necessidades individuais.

Você concorda com os pontos mencionados? Costuma dormir melhor sozinho ou prefere estar ao lado de alguém na cama? Participe da discussão deixando seu comentário!

Incrível/Curiosidades/Por que dividir a cama com o parceiro é melhor que dormir em camas separadas (ainda que o outro ronque)
Compartilhar este artigo