Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Estudo avalia como os idosos têm usado o Facebook para manterem suas relações sociais

O Facebook é definitivamente a rede social mais conhecida do mundo, com pessoas de todos os cantos da Terra, de diferentes classes sociais, etnias, gostos, gêneros e, é claro, idades. Se enganaram os que pensavam que a terceira idade não desbravaria a internet.

Incrível.club trouxe hoje um estudo feito pela pesquisadora Tassia Monique Chiarelli sobre o comportamento dessa geração na rede social. Venha conferir com a gente.

O número de usuários em redes sociais que ultrapassam a faixa dos sessenta anos tem aumentado nos últimos anos, equilibrando a antes predominância dos jovens. Isso chamou a atenção da pesquisadora da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (EACH-USP).

Baseando-se na Teoria de Seletividade Socioemocional (TSSE), que procura entender e explicar as mudanças no emocional e o declínio das interações sociais das pessoas na terceira idade, ela prosseguiu com o estudo.

De acordo com os resultados, ela estabeleceu quatro perfis entre esses internautas. São eles:

  • O Explorador
  • O Solitário
  • O Familiar
  • O Sociável

O Explorador: é aquele que está ali para aprender. Ele procura utilizar todos os possíveis recursos que o Facebook tem a oferecer.

O Solitário: não tem muitos contatos sociais. Ele também não se sente motivado a incluir-se no ambiente virtual.

O Familiar: geralmente está viúvo. Usa a rede social para manter seu contato com os familiares.

O Sociável: quer se divertir. Quer expandir suas relações. Quer acesso à informação.

O Facebook atua como um facilitador para a terceira idade. Ele quebra a barreira das limitações físicas encontradas pelos idosos e até mesmo as barreiras geográficas, permitindo que o idoso esteja em contato com sua família, mesmo sem sair de casa.

A rede também serve como remediação do isolamento social, facilitando contato com amigos com as mesmas dificuldades.

E, além disso tudo, o processo de entrar na rede social e explorá-la serve como um ótimo passatempo, como nós mesmos bem sabemos.

Os estudos foram realizados com base nos dados de 153 idosos com uma conta ativa no Facebook que foram recrutados nos serviços públicos de acesso à internet na cidade de São Paulo.

Em 2014 foi produzido um documentário sobre idosos aprendendo a utilizar o computador com estudantes se voluntariando para serem seus professores, e só o trailer já é de tocar o coração.

E, sim, há uma dificuldade para compreender todas as funcionalidades da máquina e o procedimento de acesso, mas a persistência mostra ótimos resultados para enfrentar os obstáculos da vida e a solidão.

Você conhece algum idoso que seja craque no uso da internet ou já ensinou algum a ser? Conta para gente sua experiência aqui nos comentários.