Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Erros e coincidências que mudaram o rumo da história

Como se sabe, cada ação tem suas consequências, sejam boas ou ruins. A verdade é que muitas delas acabam mudando a vida de uma pessoa - ou de toda a humanidade - de um modo ou de outro.

Sabendo disso, o Incrível.club reuniu para você alguns acontecimentos que, em diferentes níveis, mudaram parte de nossa história.

A Lei Seca e a salada César

Em 4 de julho de 1924, em um restaurante do México próximo à fronteira com os EUA, aconteceu uma grande festa. E se não havia problema com o abastecimento de bebidas alcoólicas (já que a festa era do outro lado da fronteira, no México), o mesmo não aconteceu com a comida: os suprimentos acabaram. Então, o proprietário do restaurante, César Cardini, teve a ideia de preparar um prato com os ingredientes que ainda não tinham acabado.

Na despensa daquele criativo chef havia ainda salada de alface, pão de trigo, queijo parmesão e ovos. E assim, com folhas de alface, cubinhos de pão torrado, queijo parmesão ralado e molho feito com ovos, alho, molho Worcestershire e azeite, nascia a primeira salada "César" do mundo.

Fonte: wikipedia

Um erro de cálculo e a contaminação de um vasto território

Em 1954, os testes da bomba nuclear foram realizados na região do Atol de Bikini. A explosão foi 2,5 vezes maior que o previsto: foram 15 megatons quando eram esperados apenas 6.

O erro foi causado pelos criadores da bomba, que decidiram que o lítio-7, presente na composição, permaneceria inativo. O resultado que este erro monstruoso provocou foi não apenas a alteração na geografia do local, mas também a contaminação radioativa de um vasto território. Muitas pessoas também perderam a vida em consequência dos efeitos da radiação.

Um vinho defeituoso e Dom Perignon

Em meados do século XVII, o monge beneditino Pierre Perignon estudava maneiras de eliminar as bolhas no vinho produzido no monastério. Segundo o monge, as bolhas produzidas durante a fermentação geravam vinhos de má qualidade e a explosão de barris frequentemente. Para resolver o problema, ele resolveu engarrafar o vinho e fechá-lo com uma tampa de madeira, o que permitia conter o dióxido de carbono (CO2, que forma as bolhas).

No entanto, com a chegada ao poder do regente Felipe II de Orleans, que preferia consumir a bebida espumante, toda a corte de Paris, com a intenção de agradar ao governante, passou a beber exclusivamente o vinho daquelas garrafas.

Fonte: wikipedia

As feridas de Inácio de Loiola e os jesuítas

Em 1521, Inácio de Loiola participou da defesa de Pamplona, sofrendo uma grave lesão na perna. Recuperando-se em um castelo após várias operações, ele pediu que fossem enviados romances de cavalaria, que faltavam na biblioteca local. No lugar disso, levaram uma obra chamada "A vida de Jesus Cristo" e um exemplar de "A Vida dos Santos".

Nas palavras de Loiola, a leitura daquelas obras abriu as portas de um "mundo misterioso" e, aos poucos, o bravo cavaleiro começou a mergulhar na religião. 19 anos depois, Inácio criou a Ordem dos Jesuítas e virou seu principal expoente, desempenhando um papel importante no ressurgimento da fé católica na Europa após a Reforma Protestante. E, claro, tendo um papel importantíssimo na história do Brasil, já que os Jesuítas fundaram São Paulo, por exemplo.

Fonte: wikipedia

Construção de moinho e a febre do ouro na Califórnia

Em 24 de janeiro de 1848, quando se discutia a construção de um moinho junto ao Rio Americano, na Califórnia, tendo James W. Marshall como capataz, pequenas pedras de cor amarela foram descobertas perto da água. A descoberta chegou aos ouvidos de John Sutter, que concluiu que aquelas pedras só podiam ser de ouro puro. Apesar de Sutter ter tentando manter a descoberta em segredo, a notícias se espalhou pelo país rapidamente. Um grande número de pessoas se dirigiu à Califórnia. A população da cidade de São Francisco passou de mil para 25 mil pessoas em dois anos, fazendo com que surgissem estradas, escolas e igrejas por todo o Estado - o Estado onde depois surgiria o movimento hippie e o Vale do Silício, sede da Apple.

Aliás, foi na Califórnia de 1853, durante a febre do ouro, que Levi Strauss começou a costurar e vender as primeiras calças jeans do mundo.

Fonte: Harvard

A vingança e as batatas fritas

Surpreendentemente, as batatas chips e as calças jeans surgiram no mesmo ano. Em 24 de agosto de 1853, o chef do restaurante Moon’s Lake House, George Crum, preparou batatas fritas da maneira habitual para seus clientes. Mas um visitante reclamou da grossura das rodelas de batata.

Irritado, o cozinheiro cortou as batatas em rodelas mais finas que uma folha de papel, fritando-as em óleo quente. O visitante, ao ver o prato, ficou muito feliz. Desde então, o restaurante passou a contar com um novo prato no menu, chamado "Saratoga chips".

Embora a receita desse prato seja mencionada num livro de receitas de 1817, vale destacar que o mérito de George Crum está não na criação, mas na popularização das chips. Com certeza, isso aconteceu devido a ele.

Fonte: wikipedia

O caminho errado e o começo da I Guerra Mundial

Como todos sabemos, o estopim para a I Guerra Mundial foi o assassinado do arquiduque Francisco Ferdinando, que aconteceu em 1914. No entanto, poucas pessoas sabem que, apesar de o jovem Gavrilo Princip ser um dos responsáveis pelo crime, ele conseguiu matar o príncipe por obra do acaso.

Na manhã de 28 de julho, o príncipe chegou a Sarajevo (atual Bosnia) e, no caminho para a prefeitura, um dos conspiradores jogou uma granada, que acabou ferido pessoas que estavam na multidão. Após visitar a prefeitura, Francisco Ferdinando foi visitar as vítimas da explosão, mas o motorista não foi informado da mudança de rota.

Quando o carro entrou na rua pela qual o príncipe foi até a prefeitura pela manhã, Gavrillo viu a cena enquanto saía de uma cafeteria. Assim, ele se tornou o autor dos primeiros disparos da I Guerra Mundial.

O chocolate derretido e uma revolução na cozinha

Em 1945, Percy Spencer trabalhava há 20 anos com a criação de radares para a empresa norte-americana Raytheon. Um dia, passando perto do dispositivo que emitia ondas de alta frequência, ele percebeu que o chocolate em seu bolso derreteu (outra versão da história diz que era um sanduíche de queijo).

Percy foi a um mercado comprar grão de milho seco. Rapidamente, aquele dispositivo transformou os grãos em pipoca. Ele resolveu, então, cozinhar um ovo, que explodiu.

A patente do primeiro forno micro-ondas, que ganhou o nome de Radarange, foi obtida em 8 de outubro de 1945. Dois anos depois, era vendido o primeiro forno comercial, cuja "altura" chegava aos 180 cm, com um peso de 340 kg. O aparelho custava nada menos que 5 mil dólares.

Barras sem uso e o aço inoxidável

Em 1913, um operário metalúrgico inglês e autodidata, Harry Brearley, realizava estudos com ligas metálicas com o fim de encontrar a fórmula perfeita de metal para fabricar canhões. As barras de metal, não adequados, ficavam empilhados num canto qualquer, e acabavam oxidando.

Um dia, Harry percebeu que uma das peças fundidas, produzida um mês antes, não oxidou, diferentemente das outras. Brearley enviou as barras a dois fabricantes em Sheffield, região tradicionalmente associada à produção de talheres e facas, mas os homens não se interessaram pela descoberta.

Só um ano depois, Brearley se encontrou com um amigo de escola e, juntos, eles criaram uma forma de processar a liga de metal de forma que ela não ficasse frágil. E em 1916 obtiveram a patente de sua invenção nos EUA.

Se não fosse esse descuido, você iria jantar hoje à noite usando garfos enferrujados ;)

O chá e a Guerra da Independência

Em 16 de dezembro de 1773, em Boston, EUA, acontecia o que ficaria conhecido como Boston Tea Party. Um grupo que se intitulava "Filhos da Liberdade", usando roupas indígenas, protestou contra a "Lei do Chá" (aprovada em maio) jogando na água 342 caixas de chá que estavam em embarcações vindas da Inglaterra.

Apesar das diferenças existentes entre as colônias da América do Norte e a Grã-Bretanha, historiadores acham que o Boston Tea Party foi o catalisador da Guerra da Independência, que resultou na formação dos Estados Unidos da América.

As gravações apagadas e a chegada à Lua

Segundo dos dados oficiais, em 20 de julho de 1969, o astronauta norte-americano Neil Armstrong pisava na Lua pela primeira vez. De acordo com boatos que rondam desde aquela época, tudo não passou de uma farsa, e os americanos nunca chegaram ao satélite da Terra.

O fato de que as gravações originais que registraram o momento histórico tenham sido destruídas acidentalmente pela NASA, que liberava os filmes para novos vídeos, estimula os rumores. Só 4 cópias enviadas a diversas emissoras de televisão foram preservadas.

Em 2009, especialistas de Hollywood restauraram as gravações das cópias existentes, e hoje as imagens estão disponíveis para todo o mundo no site da NASA.

Fonte: space

Imagem de capa eastnews, wikimedia