Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Conheça a outra face do milagre econômico japonês

Nós poderíamos passar horas falando sobre o Japão, terra das cerejeiras, dos robôs e dos workaholics. O país é a teceira maior economia mundial, perdendo apenas para os Estados Unidos e para a China, e todos nós conhecemos o extraordinário desenvolvimento de sua tecnologia. Por outro lado, o Japão é a nação que mais registra casos de suicídio. Por que isso acontece? Um dos motivos, além do vício em trabalho e do consequentemente esgotamento físico vivido pelos trabalhadores, é a solidão.

O Incrível.club descobriu como os japoneses encontraram uma solução para o problema.

Bonecas de silicone em vez de mulheres de verdade

A preferência por "namoradas" de silicone é cada vez mais comum entre homens que estão decepcionados com os relacionamentos ou que simplesmente não conseguem encontrar uma namorada real. "Uma mulher assim não exige gastos nem presentes, não sente ciúmes nem faz escândalos". É assim que esses homens japoneses costumam justificar sua preferência.

Aluguel de pets

Há uns 10 anos, o aluguel de pets tornou-se muito popular no Japão. O sucesso de serviços assim é bem compreensível: os apartamentos pequenos (com cerca de 60 metros quadrados) nem sempre têm espaço suficiente para um bicho de estimação. Além disso, as pessoas não têm muito tempo para cuidar dos animais, por conta de agendas de trabalho muito apertadas.

Abraços e conversas pagos

"O maior luxo é a comunicação humana", já dizia Antoine de Saint-Exupéry. No Japão, há muita gente disposta a pagar uma boa quantidade de dinheiro por essa "regalia". No país, os chamados "endyo-kosai" (encontros pagos) são muito populares há anos. É comum ver homens de meia idade ou mesmo idosos dando dinheiro ou presentes a mulheres em troca de um tempo a dois.

Namoradas virtuais

A alta tecnologia japonesa permite que as pessoas tornem-se amigas de personagens do mundo virtual.

Essas “namoradas” são convidadas para encontros, ganham presentes, sentem ciúmes e podem até ser pedidas em casamento. A cerimônia acontece em instituições específicas, contando com sacerdote, testemunhas e até bolo de casamento.

Em busca do príncipe encantado

Há no Japão alguns lugares onde as mulheres vão para passar um tempo ao lado de rapazes. Os homens que trabalham nesses locais são lindos e dispostos a servir a mulher que os escolheu. Eles conversam sobre qualquer assunto, servem bebidas e fazem elogios. Mulheres solteiras costumam visitar clubes desse tipo para se sentirem atraentes.

Famílias de aluguel

Alguns japoneses solteiros alugam uma esposa e filhos, não apenas para que a “família” os esperem chegar do trabalho. Muitos querem uma “família” para passar o fim de semana, passear com os “filhos” no parque e sair para fazer compras com a “esposa”. O serviço não é barato (a partir de 700 dólares por hora), mas dizem que clientes não faltam.

Motéis com suítes temáticas

O Japão é um país bem pequeno para o tamanho de sua população, por isso os apartamentos são minúsculos e caros. Então, o que casais, sobretudo os jovens, podem fazer para ter momentos de intimidade? Ir a motéis.

Lugares assim existem para que os “pombinhos” que não possuem casa própria possam curtir algumas horas a dois. Ali, eles podem satisfazer suas fantasias mais ousadas.

Bônus: o criador do karaokê, Daisuke Inoue, mora no Japão. É curioso saber que, no início, sua invenção foi recebida com pouco entusiasmo. Em 2004, ele chegou a ganhar o "Prêmio IgNobel", sendo reconhecido como o homem que "criou uma nova forma de testar a paciência alheia.

Mas hoje o karaokê é uma forma popular de diversão não apenas entre os japoneses, mas em vários países do mundo também, inclusive aqui no Brasil.

Imagem de capa pixabay, finesexdoll