9 Joias famosas da realeza que escondem toda uma história por trás de muitas gerações de princesas e monarcas

Algumas joias reais escondem histórias muito interessantes e até controversas por trás de toda a sua pompa e beleza. Por exemplo, a tiara “mal-assombrada” de Alice do Reino Unido, que dizem ter arruinado a vida de mais de uma pessoa, tem uma reputação tão ruim que ninguém mais a usa. E as estrelas das famosas tranças da imperatriz Sissi ainda hoje atraem a atenção de cineastas e amantes da História.

Nós, do Incrível.club, decidimos abrir o “porta-joias” da realeza e convidamos você a fazer uma viagem pela História conosco. Acompanhe!

Tiara Folha de Morango de Hesse

A “mal-assombrada” Tiara Folha de Morango de Hesse é uma joia que pertenceu à família Hesse-Darmestádio, que regia o Grão-Ducado de Hesse e do Reno, na atual Alemanha. A peça foi encomendada pelo príncipe Albert, esposo da rainha Victoria do Reino Unido, para o dia do casamento da sua filha Alice com o grão-duque de Hesse Ludwig IV. No entanto, o príncipe Albert morreu antes do casamento. E a cerimônia, celebrada sob uma atmosfera triste, pareceu mais um funeral.

Após ter tido uma série de donos, cujas vidas foram marcadas por infortúnios, a tiara foi herdada pela irmã do príncipe Philip, esposo da rainha Elizabeth II. Dizem que a princesa Cecilie costumava usar com frequência a joia de sua bisavó Alice. Contudo, em 1937 a princesa e outros familiares sofreram um acidente aéreo. Desde então, a tiara nunca mais foi usada por membros da realeza.

Estrelas da imperatriz Sissi

Sissi, como a imperatriz consorte da Áustria Elisabeth era conhecida, apesar de não ser muito querida na corte, era certamente bastante amada pelo povo. Ela tinha muito carisma e uma grande beleza. Seus cabelos longos que passavam a cintura encantavam as pessoas, e a imperatriz ainda encomendou 27 estrelas com brilhantes para adornar suas belas madeixas.

Apesar de as joias serem modestas para a época, Sissi acabou provocando um verdadeiro furor na alta sociedade, criando uma tendência. Tanto é que outras mulheres da realeza também começaram a usar adereços parecidos nos cabelos. As famosas estrelas com diamantes foram imortalizadas no grandioso retrato da imperatriz que, a propósito, foi reinterpretado pela supermodelo e atriz Cara Delevingne.

Diadema de Estrelas de Dona Maria Pia de Saboia

A rainha consorte de Portugal Dona Maria Pia era conhecida por sua extravagância, altos gastos e, curiosamente, ações de caridade. A monarca encomendou um diadema com estrelas de diamantes brasileiros que eram sensíveis ao movimento. Em outras palavras, ao andar, as peças balançavam e reluziam sobre sua cabeça. Interessante, não é? Posteriormente, a peça acabou sendo herdada pela nora de Dona Maria Pia.

Tiara das Meninas da Grã-Bretanha e Irlanda

A Tiara das Meninas da Grã-Bretanha e Irlanda foi um presente das damas de honra da rainha consorte Mary, pelo seu casamento com o rei George V. A propósito, a joia também pode ser usada como um colar. Em 1947, a própria Mary deu a peça de presente à sua neta, a rainha Elizabeth II.

A joia é uma das tiaras mais conhecidas de Elizabeth II: a monarca já apareceu usando-a em vários retratos, inclusive o que ilustra os selos postais, as notas e moedas de libra esterlina no Reino Unido.

Coroa de Ferro

A Coroa de Ferro é assim chamada porque tem um aro de ferro de 1 cm de largura em seu interior. A peça, contudo, é feita de ouro e decorada com pedras preciosas. Essa joia já coroou diversos monarcas, inclusive Napoleão Bonaparte. Atualmente, fica guardada na Catedral de Monza, em Milão.

Coroa de Flores de Laranjeira

A rainha Victoria do Reino Unido quebrou vários costumes de uma vez em seu casamento. Foi ela quem introduziu a tradição de se casar de branco, popularizando a cor. O branco, contudo, não era uma novidade nos casamentos, o tom era uma espécie de símbolo de riqueza: uma forma da família da noiva demonstrar que poderia arcar com os custos da limpeza do vestido.

As noivas da família real britânica que antecederam Victoria, porém, costumavam escolher tecidos prateados ou dourados como forma de mostrar pertencerem à monarquia. Na época, aliás, as pessoas acharam o vestido de casamento da rainha um tanto simples. E um dos convidados até criticou que as damas de honra pareciam camponesas.

No lugar de uma tiara com pedras preciosas, Victoria ornou a cabeça no dia de seu casamento com uma coroa de flores de laranjeira, suas favoritas. Sua admiração por elas era tanta que, anteriormente, a rainha tinha até ganhado um broche decorado com essas flores de seu então noivo Albert. E se por um lado a corte achou a coroa de flores muito modesta, os súditos a tomaram como um gesto romântico. Posteriormente, outras noivas da família real também passaram a incluir botões de laranjeira em seu traje de matrimônio.

Mais tarde, no sexto aniversário de casamento, o príncipe Albert presenteou a rainha com um toucado feito de flores de laranjeira de porcelana, com folhas de ouro e quatro laranjas revestidas com esmalte verde, que simbolizavam os filhos do casal.

Tiara Oriental

A Tiara Oriental é decorada com representações de flores de lótus por toda a sua extensão. Seu design foi desenvolvido pessoalmente pelo príncipe Albert para presentear a rainha Victoria. O príncipe adorava as opalas, por isso essa foi a pedra escolhida para ornamentar a peça.

Por outro lado, a nora de Albert, a rainha consorte Alexandra, não compartilhava do mesmo amor pelas opalas. Além disso, ela acreditava que essas pedras traziam má sorte. Assim, quando a joia passou para ela, Alexandra mandou substitui-las por rubis. Foi dessa forma, a propósito, que o mundo viu Elizabeth Bowes-Lyon, a Rainha-Mãe, usar a tiara.

Tiara da família Spencer

A rainha Elizabeth II sugeriu que Diana usasse a Tiara Lover’s Knot (“Nó dos Amantes”, em tradução livre) no seu casamento, mas a princesa optou por usar a tiara de sua família. Dizem que a peça data do século XVIII, mas, na verdade, o diadema foi feito a partir de joias da família Spencer de vários períodos diferentes.

O elemento central da tiara é um broche de diamantes que a avó da princesa Diana recebeu de presente de casamento. A peça ganhou a sua forma final em 1935 e tornou-se uma joia da família, tendo sido usada também pelas irmãs da princesa em seus casamentos.

Coroa da Rainha-Mãe

O diamante Koh-i-Noor tem uma reputação misteriosa. Sua história remonta ao século XIV, embora existam lendas que lhe atribuam 5 mil anos. A pedra já passou por muitos donos, e governantes da Antiguidade já disputaram por sua posse.

Por causa disso, existe a crença de que o Koh-i-Noor traz má sorte aos homens e apenas mulheres podem usá-lo. Em todo caso, o diamante está atualmente na Coroa da Rainha-Mãe, usada na coroação da rainha Elizabeth II, cujo reinado tem sido longo e próspero. Provavelmente, a próxima a usar essa coroa e seu diamante será Kate Middleton, visto que, no futuro, ela será a rainha consorte do Reino Unido.

Qual a joia real que mais chamou sua atenção? Às vezes, até o anel mais simples pode guardar memórias e sentimentos importantes para seus donos. Você tem algum acessório de família repleto de história e significados? Compartilhe seus relatos e fotos conosco na seção de comentários!

Compartilhar este artigo