9+ Hábitos de higiene pessoal comuns em outros países que podem ser completamente inusitados para os brasileiros

É comum que tomemos as práticas de tomar banho diariamente, usar papel higiênico e de ter um vaso sanitário no banheiro como básicas e universais. No entanto, para alguns povos, nossos hábitos podem soar até estranhos e menos higiênicos, afinal, as práticas de higiene pessoal estão intimamente relacionadas com a cultura local, e este post é a prova disso.

Incrível.club decidiu explorar as diferenças culturais, e descobriu 9 práticas de higiene pessoal praticadas em outros países que são diferentes das que estamos acostumados no Brasil. E no bônus, você confere ainda como as mulheres lidam com o período menstrual no Nepal e onde é possível nadar, caso esqueça sua roupa de banho em casa. Confira!

Na Índia, no Paquistão e em alguns países árabes e africanos é comum o uso de um graveto em vez da escova de dente

Essa versão natural da escova de dente é feita usando um graveto ou pedaço de raiz da árvore salvadora pérsica, que quando mastigado, tem suas fibras separadas e transformadas em uma escova. Ela se chama miswak e é um dos mais antigos e tradicionais produtos de higiene oral.

Na Finlândia e Estônia ainda é bastante comum o uso da ducha higiênica

Nesses países do norte da Europa é raro encontrar um bidê, no entanto, todas as novas construções têm uma ducha higiênica.

Na Índia é comum usar água em vez do papel higiênico

O uso do papel higiênico não é tão comum na Índia. Portanto, algumas casas dispõem de uma ducha higiênica ou simplesmente de um tradicional balde de água com um copo para higiene pessoal.

Muitos moradores dos países árabes costumam levar um bidê portátil quando viajam ao exterior, especialmente para os países do Ocidente

Para alguns povos árabes, o uso do papel higiênico não é considerado higiênico o suficiente em comparação com a água, que é a opção mais usada para a higiene pessoal. Portanto, para evitar situações desconfortáveis, eles costumam levar um bidê portátil consigo quando viajam para o Ocidente.

Em alguns países na Europa há mictórios públicos espalhados pelas cidades

Mictórios “de rua” podem ser encontrados pelas ruas da Holanda e em alguns países do norte da Europa. Às vezes, também são instalados durante festivais de rua e feriados importantes.

Na China, as mães costumam passar um mês sem tomar banho após dar à luz

Na China, as mulheres que acabaram de dar à luz não costumam lavar os cabelos e o corpo durante um mês, como exige a medicina tradicional chinesa. No lugar do banho, é prescrito que elas usem uma esponja ou um pano umedecido em uma infusão de ervas para limpar o corpo. Além disso, elas também são instruídas a ficar em casa e não receber visitas durante esse tempo. Acredita-se que as mães e os bebês são particularmente vulneráveis às bactérias e ao vento frio, e por isso devem fortalecer sua imunidade descansando em casa ou em hotéis spa especiais.

Na China, algumas pessoas não costumam lavar as meias e as roupas íntimas juntas

Na China, é considerado anti-higiênico lavar meias junto com as roupas íntimas. Por outro lado, é comum no país colocar as roupas para secarem ao sol, e é por isso que nas megacidades do país é normal ver janelas lotadas com varais e roupas penduradas.

A Escócia oferece absorventes gratuitos à população

Em fevereiro de 2020, o parlamento escocês aprovou uma lei que garante o fornecimento gratuito de absorventes para as mulheres. Além disso, em 2018, o país tornou-se o primeiro do mundo a fornecer produtos de higiene sanitária de forma gratuita a escolas e universidades.

As mulheres tendem a tomar mais banhos do que os homens em todo o mundo, mas isso pode ser um pouco diferente na Suécia

Um estudo mostrou que as mulheres tendem a tomar mais banhos do que os homens em todo o mundo, com exceção da Suécia, onde as estatísticas foram um pouco diferentes: 51% dos homens contra 49% das mulheres tomam banho diariamente.

Bônus № 1: as mulheres no Nepal não podem ficar em casa durante o período menstrual

Segundo uma tradição antiga, conhecida como Chhaupadi, as mulheres são consideradas impuras e suscetíveis de atrair má sorte durante o período menstrual. Assim, elas podem ser obrigadas a dormir em cabanas separadas ou galpões para gado, e são proibidas de tocar em certos alimentos, símbolos religiosos e nos homens.

Bônus № 2: em Helsinque, há uma piscina pública na qual as pessoas nadam sem roupa de banho

Nessa piscina pública de quase 100 anos de história, as pessoas costumam nadar sem roupa de banho. O horário de funcionamento é dividido entre o público masculino e feminino, e as crianças de até 7 anos podem entrar acompanhando os pais, independentemente do gênero.

Você conhece outras práticas de higiene pessoal que podem soar inusitadas para nós? Conseguiria se adaptar ao uso cotidiano de alguma das regras de higiene apresentadas no post? Conte para a gente na seção de comentários.

Compartilhar este artigo