8 Tradições da China antiga que nos deixam de boca aberta

As séries chinesas nos encantam com figurinos lindos e atores sutilmente parecidos com elfos que cativam e atraem para o seu mundo mágico. Certamente, alguns espectadores gostariam de voltar a essa época, mesmo que por um minuto, e dar um passeio pelo palácio imperial. Mas algumas tradições da China antiga nos convencem de que é melhor assistir a essa vida na tela mesmo.

Nós, do Incrível.club, revelamos aos nossos leitores alguns costumes da corte e da vida cotidiana da China antiga que influenciavam a vida das pessoas comuns e também do imperador.

Protetores de unha

De acordo com padrões da beleza da China antiga, quanto mais longos e finos os dedos, mais bonita é a mulher, e visualmente as unhas alongam os dedos. Durante a dinastia Qing, as unhas longas se tornaram um símbolo de status e nobreza, indicando que a pessoa não precisava realizar trabalho manual, e podiam chegar a ter 15 centímetros de comprimento.

Para preservá-las, usavam acessórios especiais chamados huzhi ( 护指), que significa “proteção dos dedos”. Geralmente, os huzhi eram feitos de metais e enfeitados com pedras preciosas. Atualmente, os fabricantes asiáticos oferecem aos fashionistas anéis para unhas.

Concubinas do imperador

Na China antiga havia burocracia até no harém do imperador, e as concubinas eram divididas em grupos, o que deixava claro a hierarquia. Durante a dinastia Zhou, o imperador tinha:

  • uma Imperatriz (huáng hòu)
  • duas cônjuges (fei)
  • três esposas (fū rén)
  • nove concubinas imperiais (pín)
  • 27 consortes hereditários (shì fù)
  • 81 esposas imperiais (yù qī)

Um total de 121 mulheres, número ainda bem modesto para os padrões da China antiga.

Apesar da quantidade impressionante de mulheres, existem os exemplos de relações profundas entre imperadores e concubinas. Tal como a história do imperador Xuanzong e sua concubina Yang Guifei, que deu origem a uma expressão usada na China até hoje para definir o amor verdadeiro entre cônjuges: “voar como duas aves com um único par de asas” ou “ser dois ramos entrelaçados de uma só árvore”.

Trocas na hora da escolha de concubinas

Durante a Dinastia Ming, todas as jovens solteiras, independente da sua posição social, passavam por um processo de seleção para o reabastecimento do harém. As únicas exceções eram as mulheres casadas ou com deficiências físicas. As famílias ricas na maioria das vezes não queriam que suas filhas fizessem parte do harém e, em vez disso, traziam as escravas para a seleção.

Casamento de eunucos

Embora os eunucos perdessem a capacidade de ter filhos, eles permaneciam homens em sua identidade de gênero e papel social. Buscando levar uma vida normal, alguns eunucos se casavam e adotavam filhos.

Casar com um eunuco poderoso trazia muitos benefícios, portanto, suas esposas frequentemente eram filhas de oficiais da corte. Em alguns casos, depois de ficarem viúvos, os eunucos não se casavam novamente, permanecendo fiéis ao seu amor anterior.

Nome de adulto

É surpreendente o fato de que uma pessoa pode ter dois ou mais nomes. Porém, na China antiga, uma pessoa ganhava um nome ao nascer (nome pessoal), um novo nome quando ia para a escola (nome de criança), e um terceiro na idade adulta (nome de adulto). Apenas os membros da família e o imperador podiam chamá-lo pelo nome pessoal. A propósito, era proibido pronunciar o nome pessoal do imperador.

Temos um exemplo disso na série de TV Os Indomáveis, na qual um dos personagens se chama Lan Zhan, e seu nome adulto é Lan Wangji. As pessoas também o chamam de Segundo Jovem Mestre Lan por ser o segundo filho da família ou pelo seu título, HanGuang-Jun.

Cabelo muito comprido dos homens

No filme O Rei podemos ver o estilo de cabelo usado ​​pelos homens na Europa do século XIV. O personagem de Robert Pattinson é bem parecido com o Delfim Louis, que ele interpretou, e as maquiadoras do filme certamente foram inspiradas no retrato do Delfim.

Já na China antiga, os homens usavam cabelos realmente compridos. Acreditavam que o cabelo era herdado dos pais como uma parte do corpo, e cortá-lo seria um desrespeito aos ancestrais. Portanto, nas séries históricas chinesas, os atores, como por exemplo Wang Yibo, usam perucas.

Durante a dinastia Han, tanto nobres quanto ordinários prendiam seus cabelos em um coque. Mais tarde, os homens e até o imperador começaram a usar trança, e esse tipo de penteado era obrigatório, por isso há o estereótipo de chineses com trança. Na verdade, tudo depende da época.

Reverência de homens e de mulheres

Na China antiga havia vários cumprimentos formais, entre eles um gesto com a palma da mão cobrindo o punho. Nas séries históricas, os personagens costumam cruzar as mãos uma sobre a outra. Embora hoje os chineses preferem apertar as mãos para cumprimentar, esse gesto ainda é usado. Importante: para os homens a mão esquerda fica por cima, e para as mulheres, a mão direita.

Cálculo da idade

Na China, a idade é contada desde o momento da concepção, e não desde o momento do nascimento. Ou seja, ao nascer, o bebê já tem quase um ano. Além disso, a idade não é calculada no dia do aniversário, mas com o início do ano novo.

O que te surpreendeu na cultura Chinesa? Conte para a gente nos comentários!

Compartilhar este artigo