Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

8 Casos polêmicos envolvendo a entrega do Prêmio Nobel

As pessoas ou organizações que recebem o Prêmio Nobel podem esbanjar a honraria para sempre. Até mesmo em caso de eventuais erros na descoberta científica, por exemplo, o prêmio nunca é cancelado. E como era de se esperar, tal política já gerou muitas polêmicas.

Sabendo disso, o Incrível.club reuniu os casos mais interessantes, curiosos e até escandalosos envolvendo a entrega do Prêmio Nobel.

Prêmio Nobel de Física e Química

1. Ernest Rutherford, "Por suas investigações sobre a desintegração dos elementos e a química das substâncias radioativas”, ano de 1908

É óbvio que o prêmio foi merecido. Só que o Nobel acabou virando um exemplo de "trolada" da época: o Prêmio Nobel de Química foi dado para um físico inveterado. O próprio cientista encarou o fato com humor, dizendo que tinha observado muitas vezes a transformação de uma substância em outra, mas que era a primeira vez que via um físico virando um químico.

2. Fritz Haber, “Pela síntese do amoníaco de seus elementos constitutivos”, ano de 1918

O trabalho do químico alemão foi apresentado pelo Comitê Nobel como extremamente importante para a agricultura e para a prosperidade da humanidade. Por outro lado, ninguém levou em consideração o fato de que, poucos anos antes, Haber tinha assistido pessoalmente aos testes com o gás que tinha criado. E que matou milhares de pessoas.

Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina

3. Johannes Fibiger, "Pela descoberta do carcinoma Spiróptera", ano de 1926

Graças às suas experiências com ratos, o microbiólogo dinamarquês chegou à conclusão indireta de que o câncer, e possivelmente não só nos roedores, é causado por vermes. Depois da morte do premiado, muitos estudos revelaram que os resultados da experiência foram interpretados de forma equivocada.

4. António Egas Moniz, "Pela descoberta da leucotomia pré-frontal no tratamento de certas psicoses", ano de 1949

O neurologista português queria ajudar os doentes mentais a encontrarem a paz e a "normalidade". Ele oferecia um tratamento então chamado de "leucotomia" (mais tarde rebatizado como "lobotomia"), que afeta o cérebro. Com o passar do tempo, ficou claro que a intervenção não trata as pessoas, e sim transforma-as em "vegetais". A essa altura, cerca de 70 mil procedimentos já haviam sido realizados.

Prêmio Nobel de Literatura

5. Winston Churchill, "Pela grande arte das obras de caráter histórico e biográfico, assim como pela brilhante arte oratória cuja ajuda sustentaram os valores humanos", ano de 1953

O próprio título do prêmio, em relação ao talento literário do então primeiro-ministro inglês, já parece duvidosa. Há quem acredite que Churchill recebeu o prêmio de literatura já que era impossível dar a ele o Nobel da Paz. Afinal de contas, ele havia participado de uma guerra sangrenta.

6. Eyvind Johnson, “Pela arte narrativa e pela capacidade de enxergar longe entre terras e eras" e Harry Martinson, "Por escritos que em uma gota de orvalho refletem o cosmos”, ano de 1974

De acordo com as regras, este prêmio é dado pela criação de obras de importância universal. Contudo, fora da Suécia, os escritores Martinson e Yunson são pouco conhecidos. Só que ambos os autores eram membros da Academia Sueca: é ou não é motivo suficiente para que eles mesmos se concedessem o prêmio? Como dizem os psicólogos, às vezes é importante mimar a si mesmo.

Prêmio Nobel da Paz

7. Theodore Roosevelt, " Por seu papel na assinatura do Tratado de Portsmouth", ano de 1906

O presidente norte-americano recebeu um prêmio por sua participação ativa na assinatura de um tratado de paz entre Rússia e Japão. No entanto, o próprio premiado atuou na guerra e sempre foi guiado por suas ambições colonizadoras, o que passa longe do conceito de manutenção da paz.

8. Cordell Hull, "Em reconhecimento por seus serviços para estabelecer a paz no Hemisfério Ocidental, no fortalecimento do comércio e estabelecimento da ONU", ano de 1945.

Todas as objeções ao prêmio não merecido dado a Hull têm ligação principalmente com os acontecimentos do ano de 1939. Hull insistiu em lse negar a conceder asilo a milhares de judeus que fugiam do Terceiro Reich. O navio onde estavam os emigrantes foi mandado de volta à Europa. Apenas poucos passageiros conseguiram sobreviver ao Holocausto.

Bônus

É curioso que as listas de indicados para o Prêmio Nobel só possam ser revistas 50 anos depois da cerimônia. Por exemplo, o Nobel da Paz já teve entre seus candidatos o ditador italiano Benito Mussolini (1935) e o líder do Partido Nazista Adolf Hitler (1939).

Ilustrador Natalia Breeva exclusivo para Incrível.club