Incrível
Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração
Incrível

30+ Curiosidades sobre como é a vida na Suécia

A Suécia presenteou o mundo com a renomada marca de carros Volvo, a loja de móveis baratos e elegantes IKEA e os famosos jogos de computador Minecraft Battlefield. De acordo com o ranking do HSBC, o país ocupa a 20ª posição em atratividade para expatriados de todo o mundo. Educação gratuita, qualidade de vida, ar puro e uma natureza exuberante são alguns dos motivos que atraem milhares de novos cidadãos à Suécia.

Nós, do Incrível.club, decidimos reunir a opinião de pessoas que se mudaram para a Suécia — alguns recentemente, outros há alguns anos — e descobrimos muitos detalhes incríveis sobre a vida nesse país nórdico. Confira!

  • A Suécia ocupa o primeiro lugar na União Europeia em termos de número de patentes concedidas. Eles dão atenção especial às tecnologias digitais, mas entre as invenções que saíram de lá estão o cinto de segurança de três pontos, o marca-passo, o leite de aveia, a chave-inglesa ajustável e o andador.
  • Os suecos são muito engajados em relação à situação ambiental do planeta. Apenas 1% do lixo vai parar em aterros sanitários, enquanto 52% é usado para geração de energia e 47% é reciclado. A Suécia é tão boa no descarte de resíduos que até precisa importar lixo de outros países para manter o bom funcionamento das instalações das usinas de geração de energia que usam detritos como combustível.
  • A sociedade sueca é quase desprovida de hierarquia. É comum se referir a outra pessoa pelo nome, independentemente de posição e status social. Os alunos, ao conversar com um professor, omitem qualquer título que ele detenha, inclusive a palavra “professor”.
  • A honestidade e a sinceridades estão acima de tudo para os habitantes do país. É melhor admitir qualquer infração que se tenha cometido de imediato, dessa forma existe a probabilidade de não sofrer qualquer penalidade das autoridades. Além disso, se você oferecer comida aos seus amigos, ouvir um “não” e insistir, ou pior ainda, forçar, isso é considerado o cúmulo da grosseria.
  • O respeito pelo espaço pessoal é fundamental. Puxar assunto com um passageiro no transporte público ou perguntar como está o dia do caixa do supermercado pode ser desconfortável para alguns suecos.
  • Não é costumeiro fazer perguntas pessoais sobre família, trabalho anterior, etc.
  • De modo geral, os suecos são muito tímidos. Se alguma situação os incomoda, provavelmente eles vão resolver a situação através de mensagens de texto e não pessoalmente.
  • Outra coisa é que alguns deles não gostam de conversa fiada. Até mesmo em um encontro amigável pode ocorrer aquela longa pausa constrangedora. E eles não têm pressa em acabar com o silêncio da mesa.
  • Se você quiser se mudar para o país, o processo é bem simples. No entanto, fique sabendo: fazer amigos pode ser muito difícil. Muitos expatriados reclamam que mesmo após meses, ou até anos, seus laços com os locais não progrediram além do “oi” e “tchau”. Os suecos podem ser muito restritos com relação às pessoas que participam do seu círculo íntimo. Muitas vezes, é preciso muito tempo e paciência para conquistar a confiança deles.
  • A melhor maneira de fazer amigos é escolher um passatempo e entrar em vários grupos relacionados à atividade. Existem muitos em qualquer rede social. Outra opção é escolher praticar um esporte de que você gosta. Os suecos dedicam muito tempo à atividade física. Além disso, o horário de trabalho flexível permite fazer tais atividades.
  • Encontrar um apartamento ou casa pode ser um problema para o estrangeiro. A pior situação é na capital Estocolmo, onde é quase impossível achar apartamentos adequados nas áreas centrais. Algumas pessoas chegam a ficar na fila por anos na esperança de achar um lugar que atenda suas necessidades. Em cidades menores, a situação é melhor e, embora os preços dos imóveis sejam altos, a maioria está em excelentes condições.
  • Os suecos dizem que as metas de vida de cada pessoa consistem em três “Vs”: uma casa de campo, um Volvo e um cachorrinho (Villa, Volvo, Vovve, respectivamente na língua local). E esse objetivo é mais fácil de se realizar do que ter sua própria máquina de lavar e secar roupas. Sim, quase todo mundo usa lavanderias públicas. Mas antes de lavar a roupa, é aconselhável dar uma olhada nas regras do local. Alguns proíbem a utilização das máquinas após um determinado horário. No entanto, o principal é limpar o filtro e o tambor depois do ciclo final de lavagem. Caso contrário, você poderá receber mensagens raivosas dos seus vizinhos.
  • Papel-moeda é coisa do passado. É costume pagar qualquer coisa no país usando cartão. Alguns estabelecimentos até não aceitam dinheiro em espécie, que só é usado em máquinas automáticas especiais.
  • Bancos e lojas ficam abertos até uma certa hora. E no verão, que ocorre entre julho e agosto, a maioria fecha, incluindo cafés e restaurantes, porque é época de férias. Portanto, é melhor não planejar uma mudança, reforma ou qualquer outro assunto sério nesse período.
  • Muitos suecos têm uma faca especial para a manteiga. Ela pode ser de madeira ou plástico e é considerada um utensílio comum em qualquer mesa. Assim, pegar na faca quando não é sua vez, ou pior, colocá-la em seu prato, pode ser considerada uma “ofensa” terrível. Ainda de acordo com essa prática, usá-la para qualquer outra comida ou tentar comer manteiga com a própria faca também pode ser considerado uma ofensa.
  • último pãozinho, sanduíche, pedaço de bolo ou biscoito deve ficar na mesa, pois muitos os suecos pensam que ninguém deve se considerar tão merecedor de ter o último pedaço. Mas, se após 15 minutos ninguém o tiver pegado, você pode perguntar se alguém ainda tem a intenção de comê-lo. Saiba, contudo, que poderá ficar conhecido como aquele “amigo estrangeiro inconveniente”.

  • geleia de lingonberry acompanha literalmente quase tudo, mas não é comum espalhá-la sobre a torrada.
  • fila é uma coisa sagrada que organiza qualquer habitante local desde o supermercado até a farmácia. Ela é inviolável, silenciosa e paciente. Se você tentar furá-la, conversar ou ficar irritado com a demora, é considerado falta de educação. Se essas regras forem violadas, provavelmente ninguém falará nada, porque, surpresa... muitos suecos não gostam de falar com estranhos.
  • Não aumente seu tom de voz ou, de forma alguma, grite. Mesmo se estiver em uma discussão acalorada e tenha achado aquele argumento perfeito. Se o fizer, o sueco pode pensar que você está com ódio dele.
  • É costume deixar os sapatos na porta. Andar pela casa com o calçado é uma violação grave das regras domésticas. Portanto, a cor e o estado das meias são levados mais a sério lá do que a escolha de um vestido.
  • Chegar atrasado ou, pelo contrário, antes da hora marcada, é considerado um erro terrível. Além disso, essa regra afeta todos os aspectos da vida, desde reuniões de negócios a encontros com os amigos. Os suecos são muito pontuais e esperam o mesmo dos outros.
  • O planejamento é a base de tudo para eles. A maioria tem um calendário onde todos os eventos estão planejados com vários meses de antecedência. Reuniões de trabalho, viagens de negócios, visitas a parentes, encontros com amigos — tudo está incluído nessa programação. Pergunte a um sueco o que ele fará na quarta-feira às 17h em algumas semanas e este provavelmente responderá facilmente.
  • No escritório, todos, inclusive a direção da empresa, participam da rotina diária, inclusive da limpeza. Portanto, não se deve estranhar se alguém chegar e lhe falar: “Desculpe, o diretor não pôde vir, hoje é sua vez de lavar a louça”.
  • Os suecos adoram realizar reuniões de negócios. Qualquer membro da equipe pode apresentar suas ideias, incluindo críticas, nesses encontros. A troca aberta de opiniões e informações é bem-vinda e encorajada.
  • O número do telefone e o endereço de e-mail são facilmente fornecidos. Se você precisa do contato de uma pessoa específica, qualquer funcionário terá o prazer de fornecê-lo sem qualquer burocracia.

  • jornada de trabalho geralmente termina às 17h e o escritório fica vazio imediatamente. Os pais podem sair mais cedo para buscar os filhos na escola ou jardim de infância, e não há necessidade de avisar a qualquer pessoa sobre isso.
  • É quase uma tradição sagrada o intervalo para o cafezinho, conhecido como Fika em sueco. Não é aconselhável beber um refrigerante ou se recusar a fazer uma pausa com os colegas — os suecos simplesmente não vão entender o porquê de você não querer dar um descanso. Além disso, não é comum atender ligações comerciais ou responder e-mails durante esse intervalo.
  • Qualquer casal tem direito a 480 dias de licença quando tem um filho. Cada um pode passar 3 meses com a criança, e o restante dos dias são divididos e usados conforme a necessidade do pequeno até ele completar 8 anos. Negligenciar a licença parental é algo condenado de modo geral.
  • Por lei, os pais podem usar a licença parental por qualquer período de tempo e continuar recebendo 80% do seu salário. Todos na equipe entendem muito bem isso.
  • A maioria dos trabalhadores do país tem uma média de 33 dias de descanso por ano e pelo menos 4 semanas. Normalmente, as férias são tiradas durante o verão, em julho ou agosto. No entanto, pedir ao seu chefe uma pausa nos dias úteis de setembro pode ser um grande erro.
  • O tempo em família é muito importante para os suecos. E é por isso que eles procuram não dedicar mais de 6 horas por dia ao trabalho.
  • castigo físico em crianças foi legalmente proibido no país desde 1979. E é uma lei extremamente rígida.

  • Os parques infantis foram criados para que as crianças possam brincar. Ninguém as proibirá de se pendurar de cabeça para baixo nas barras, subir nas árvores, gritar e correr.
  • Os suecos em geral são fanáticos por doces: uma família de 4 pessoas come cerca de 1,2 kg de chocolate por semana. Isso acontece principalmente aos sábados. Na década de 1940, estudiosos do país decidiram fazer um experimento sobre o que aconteceria se os doces fossem consumidos apenas uma vez por semana. O resultado final recomendou o consumo apenas uma vez por semana, e isso se transformou na tradição de consumir esse tipo de guloseima aos sábados.
  • Antes de poder dar definitivamente um nome a uma criança, ele deve ser aprovado por uma agência de fiscalização especial até 3 meses após o nascimento do pequeno. Opções como Ikea ou Metallica, para a sorte dos recém-nascidos, são proibidas.
  • Os suecos amam relaxar ao ar livre. E as sextas-feiras, geralmente, são um dia mais curto no escritório, nos quais os trabalhadores correm para suas casas de campo ou para fazer caminhadas pelas florestas.
  • Todas as áreas, exceto as próximas de propriedades particulares, como casas, ou destinadas a atividades agrícolas, estão à disposição dos cidadãos. Independentemente de a quem elas pertençam. Você pode fazer piqueniques e acampar ao ar livre, entre outras atividades. O principal, claro, é limpar o lixo depois de sair.
  • É muito comum que um casal saia de férias, deixe a chave de casa com uma das sogras e, na volta, não reconheça o próprio lar. Tudo será revirado, limpo e organizado de uma nova forma que só será compreendida pela sogra. Ah, e também alguns tapetes novos também podem aparecer pela propriedade.
  • Se decidir convidar um amigo sueco para assistir com você a uma série recém-lançada, tenha muito cuidado: na melhor das hipóteses, a pessoa poderá ficar chateada e lhe ignorar por algumas semanas — na pior, você corre o risco de levar uma tapa na cara. A questão é que a frase “vamos assistir a um filme juntos” equivale a um convite mais íntimo. É como o famoso “Vamos assistir à Netflix?” no Brasil.
  • As crianças na Suécia passam em média 6 horas por dia ao ar livre, independentemente das condições climáticas. Por causa disso, é recomendado que os pais deixem algumas roupas dos filhos na escola, compatíveis com todas as possibilidades do clima e ocasiões. A inglesa Sonya, que se mudou recentemente com 3 crianças para o país, comentou: “Quando levei meus filhos para o Jardim de Infância pela primeira vez, a professora olhou para eles e perguntou confusa: ’Onde estão as roupas?’ Olhei perplexa para as crianças, mas todas estavam vestidas. Acontece que era necessário levar praticamente todo o guarda-roupa delas para a escola”.
  • Os suecos não costumam falar com estranhos na rua, no transporte público ou nas lojas — em geral, em lugar nenhum. E estranhos incluem vizinhos, pessoas que trabalham no mesmo prédio comercial, vendedores e assim por diante. Di Marco, um italiano que vive no país, compartilhou uma história engraçada: “Uma amiga minha, espanhola, uns dias atrás tentou dizer ’oi’ para um cara que ela tem encontrado no trem todos os dias nos últimos 3 meses (eles são passageiros da mesma linha) e ele, literalmente, saiu correndo”.
  • Os suecos são pessoas muito diretas, e tendo recebido a resposta à pergunta que fizeram, não continuarão uma conversa. Flertar também não é um ponto forte deles. É comum recusar uma primeira investida e esperar que o outro flerte um pouco mais antes de aceitar alguma coisa. Mas não é o costume no país. Fay, uma estudante grega, teve suas intenções confundidas várias vezes por causa da sua educação. Ela compartilhou um episódio divertido que lhe aconteceu: “Vim visitar um amigo sueco por uma noite. Ele me ofereceu sua cama e planejava dormir no sofá. Eu sugeri, envergonhada, que eu poderia dormir em um saco de dormir no chão, minha origem grega me dizia que ele ofereceria novamente, mas advinha quem dormiu no chão? Deveria ter sido mais direta, poderia simplesmente ter aceitado dormir na cama”.
  • O verão é a época de colher frutos silvestres e cogumelos. A Universidade Sueca de Ciências Agrícolas publica uma previsão do rendimento do ano no início da estação e informa aos meios de comunicação locais sobre todos os últimos acontecimentos em relação à colheita. Portanto, ver o jornal da manhã pode ser uma boa desculpa para ir colher cogumelos e frutas.
  • As florestas locais também abrigam um grande número de animais de diferentes graus de periculosidade. Os mais famosos são os alces e os lobos, dos quais os suecos não têm medo. O maior medo deles são os texugos, aquelas “criaturinhas fofas”. Os habitantes do país acreditam que a mordida desse animal selvagem é terrível.
  • No inverno, as horas de sol são frustrantemente mais curtas. Para que a população local não fique desanimada, lâmpadas especiais foram instaladas nos pontos de ônibus e criam o efeito da luz do dia.
  • Como já foi dito, os suecos não costumam demonstrar muitas emoções, mas, às vezes, até o escandinavo mais forte precisa desabafar. Pensando nisso, a Universidade de Uppsala introduziu uma tradição interessante. Exatamente às 10h da noite, qualquer aluno pode abrir a janela e gritar alto. Dessa forma, os jovens podem se aliviar após um dia exaustivo de aulas e exames difíceis.

Você conhece alguma outra curiosidade sobre a Suécia? Conseguiria se adaptar ao estilo de vida do país? Conte para a gente na seção de comentários.

Compartilhar este artigo