Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

20+ Relatos sobre pessoas avarentas que foram longe demais

Na infância, as crianças são ensinadas a dividir seus pertences com os outros porque ser egoísta é considerado extremamente vergonhoso. Porém, muitos adultos não seguem seus próprios conselhos e, alguns, simplesmente não se dão conta de que são tão apegados aos bens materiais e obcecados com a ideia de tirar proveito de seus familiares, que seu comportamento parece até ridículo.

Nós, do Incrível.club, acreditamos que, às vezes, é muito importante ouvir a opinião alheia e repensar nossas atitudes caso algo esteja errado. Se você conhece alguém cuja ganância costuma ultrapassar todos os limites, então, envie este post para ele. É bem provável que essa pessoa pare para pensar nas próprias ações e chegue a uma conclusão visando uma mudança.

  • Recebi da minha avó um pingente de ouro de âmbar, como presente de aniversário, três vezes — quando completei 30, 33 e 34 anos. Ela o tirava de seu esconderijo, mostrava aos convidados e dizia: “Neta, estou dando este presente para você! Mas vamos deixá-lo comigo por enquanto, pois, de qualquer forma, você não tem uma corrente para usar com ele”. Então, no meu aniversário de 34 anos, pedi uma corrente ao meu marido. Quando chegou o dia, a minha avó veio com o mesmo pingente e com a mesma desculpa de sempre para não me dar... Mas eu mostrei a ela a minha corrente e tirei o pingente de suas mãos! Nunca vou me esquecer do rosto dela naquele momento. Embora não o use, eventualmente fico olhando para ele, lembrando-me do meu triunfo. © LidiDorNormen / Pikabu

  • Eu namorava um homem que nunca me levou para lugar nenhum. Não sou uma mulher interesseira, mas, às vezes, queria tomar um café com ele em um restaurante ou ganhar um presentinho fofo. A única coisa que fazíamos era ficar sentados nos parques, e acho que agora eu sei onde fica cada banco da cidade. Decidi terminar com ele quando o vi tentando engolir uma barra inteira de Snickers depois que ele me viu chegando, aparentemente, para não a dividir comigo. © Podsluschano / Vk

  • Uma conhecida me pediu para ajudá-la a reformar o apartamento dela. Eu ganhava a vida com isso no momento, então, quando tive alguns dias de folga no trabalho, concordei em ajudá-la. Porém, a mulher não se envolveu no processo e não me ofereceu nem mesmo um chá nos intervalos. Trabalhei para ela dias inteiros, das 9h às 17h. Quando finalmente eu mesma pedi um chá, minha conhecida respondeu que não tinha porque não tem costume de bebê-lo. Irritada, exclamei: “Então vá ao mercado e compre!” Depois que ela voltou, deu apenas um saquinho para mim! Fiquei confusa e perguntei: “Onde estão os outros?” A resposta foi ainda mais ridícula: “Eu não tomo chá, por isso um saquinho será suficiente para você!” © Natalia Nikolaev / Facebook

  • Fiz um grande bolo de chocolate de quatro andares para o aniversário da vizinha da minha mãe. À noite, ela ligou para nós, chorando: “Tâ-â-ânia, roubaram o meu bolo...” Acontece que essa vizinha tinha convidado duas amigas para a festa. Ela colocou um terço do bolo na mesa e deixou o resto na geladeira, para seu filho e a família dele. As mulheres gostaram da sobremesa, mas não comeram tudo. Por isso, elas dividiram o bolo entre si e cada uma colocou um pedaço em uma sacola para levá-lo embora. Depois, a amiga mais atrevida entrou na cozinha e pegou o resto do bolo da geladeira. Quando a vizinha da minha mãe gritou: “O que você está fazendo?”, ela estava embrulhando calmamente sua “presa” e disse: “Você é anfitriã, então deve compartilhar tudo comigo. E eu, aliás, tenho netos”. © Baranka / AdMe

  • Namorei um indivíduo estranho: ele me deu um celular no Dia da Mulher, depois um gato britânico e brincos, entre outras coisas, mas pediu os presentes de volta após o nosso término. Devolvi tudo e não lhe disse uma palavra sequer. Depois de um tempo, ele me devolveu o gato, reclamando que o bichano tinha destruído toda a casa dele. Mais tarde, esse homem tentou voltar comigo, mas o gato e eu não o aceitamos de volta. © Anastasia Bukaeva / AdMe

  • Tínhamos uma chaleira elétrica no trabalho que, um dia, parou de funcionar. Decidimos fazer uma vaquinha para comprar uma nova. Um colega disse que tinha uma quase nova em casa, que não usava há muitos anos por causa de um defeito. Se nós conseguíssemos consertá-la, poderíamos usá-la. No dia seguinte, ele trouxe a chaleira. Percebemos o defeito dela logo de cara — o fio de alimentação na base estava deformado. Nem precisa pensar muito para entender o que aconteceu depois que resolvemos o problema. Sim, o cara levou a chaleira para casa. Voltamos a pensar em juntar dinheiro para comprar uma nova... © Lobotomist / Pikabu

  • Minha amiga estava se preparando para seu casamento. Era para ser uma cerimônia modesta. Ela pretendia colocar um vestido no estilo grego, fazer uma manicure simples e um rabo de cavalo alto, despretensioso e com as pontas onduladas. Um penteado desses custa aproximadamente 30 reais na nossa cidade. Ela marcou uma cabeleireira e uma manicure, discutiu todos os detalhes com antecedência, mas no dia ’D’, quando estava prestes a pagar, deixou escapar que seria uma noiva linda. Foi então que os portões do inferno se abriram, e o Apocalipse começou. Acontece que os cuidados para o grande dia não custam 30 reais nem 100 reais, mas 700 reais! Ela deveria ter avisado sobre o casamento. Os funcionários se recusaram a deixá-la sair do salão e ameaçaram arrancar o cabelo e as unhas dela se não pagasse o valor corrigido. Foi um momento assustador, mas deixou uma lembrança para o resto da vida. © EniSai / Pikabu

  • Eu estava na lanchonete no segundo andar de um lava-rápido, esperando o meu carro ficar pronto, quando um homem pediu para o atendente um copo com água quente, tirou um sachê do bolso e ficou tomando chá. De acordo com as regras, o estabelecimento sempre serve água de graça. Enquanto isso, seu Lexus estava sendo lavado no andar de baixo. © Podsluschano / Vk

  • A pessoa mais avarenta que já conheci é o ex da minha amiga que sempre comeu na casa dela, mas nunca comprou produtos, embora exagerasse nas refeições. Um dia, ela não aguentou, escondeu tudo que tinha de comestível, e disse que o dinheiro e a comida tinham acabado. Então, o sujeito passou a noite em branco, abrindo e fechando a porta da geladeira, como se estivesse esperando que a comida aparecesse do nada. De manhã, tomou um café e saiu zangado e irritado. A propósito, todo esse tempo havia um minimercado aberto 24 horas, que fica no primeiro andar do prédio onde a minha amiga mora. © Veronika / AdMe

  • Convidei um menino, vizinho meu, para o meu aniversário de 6 anos. Ele me deu uma corda de pular e uma barra de Snickers. Quando a festa chegou ao fim, ele disse: “Estou saindo, pode me devolver a corda e o chocolate?” Fiquei perdida. Então, ele continuou: “Como o aniversário acabou, você precisa me dar os presentes de volta!” Eu era uma garota tímida, por isso devolvi tudo. © lorrryk / Pikabu

  • No Dia da Mulher, o meu ex-marido me mandou um buquê de flores, lindo e caríssimo. Depois de duas semanas, uma conhecida minha pediu que eu transferisse para ela 890 reais pelo buquê enviado a pedido do meu marido. Acontece que ele teve pressa apenas para encomendar as flores, mas não para pagá-las. No fim das contas, fui eu que “paguei o pato” e comprei um buquê em vez de pagar o aluguel, e ele nem entendeu por que eu tinha me decepcionado. © Ilaria Richie / Facebook

  • Durante um passeio pela cidade, a minha amiga e seu ex estavam passando pela casa dela no momento em que seus pais estavam arrumando a mesa para o almoço. Minha amiga o convidou para se juntar a eles, mas primeiro pediu que fossem ao mercado e comprassem pão. Foi ele que pagou. Em seguida, chegaram ao apartamento dela, se sentaram à mesa, conversaram e almoçaram. Depois da refeição, o ex-namorado dela pediu uma sacola, com a qual embrulhou o que sobrou do pão, e a colocou em sua mochila. © Dizzy371 / Pikabu

  • Um dia, o meu ex me convidou para almoçar. Compramos um pacote de bolinhos de carne prontos (dividimos o valor), chegamos na casa dele, nos servimos, nos sentamos à mesa, e ele me perguntou:
    — Quantos bolinhos você se serviu?
    — Não sei. Por quê?
    — E se você pegou mais do que eu?
    Pensei que ele estivesse brincando. Fui até a cozinha pegar maionese, voltei e me deparei com o meu ex inclinado sobre o meu prato e contando os bolinhos. Depois ele disse:
    — Aqui tem 12 bolinhos, e você comeu mais 3, ou seja, tinha 15 no total.
    Depois contou os dele e, quando descobriu que tinha 16, ficou mais tranquilo. © Vatrushka8 / Pikabu

  • Esta história aconteceu quando eu estava no sexto mês de gestação, e nós não tínhamos condições para ter uma alimentação saudável. Certa vez, o meu sogro veio nos visitar e trouxe ameixas que me deixaram com água na boca imediatamente. Mas em vez de oferecê-las, passou por mim, colocou as frutas na mesa e pediu que eu as guardasse na geladeira para que o filho dele comesse. Elas ficaram guardadas até estragarem, porque o meu marido não gosta de ameixas, e eu tive de jogá-las fora. © Gato azul / AdMe

  • No aniversário da minha mãe, convidamos a minha tia e os meus dois primos. O mais velho, que tem 31 anos, disse que come apenas carne marmorizada. Fomos comprá-la, deixamos para descongelar e nos esquecemos completamente dela. Mesmo assim, a mesa estava cheia de pratos deliciosos. Os nossos parentes acabaram comendo todos os pratos mais caros e saborosos durante seis horas, até que finalmente decidiram ir embora. Eles estavam chegando ao metrô quando lembraram que não haviam comido a carne marmorizada, que ainda estava na geladeira. A minha tia mandou seu filho mais velho voltar e... pegar a carne.

  • No dia 8 de Março, todos os nossos colegas se juntaram para montar uma mesa de festa, e o Sérgio, um dos funcionários, deu à minha colega uma barra de chocolate. Ela agradeceu e a guardou na bolsa. Nós nos sentamos à mesa, e ficamos brincando e conversando. Após algum tempo, a minha colega começou a se arrumar para ir embora. Preocupado, o Sérgio se levantou e perguntou:
    — Já está saindo? E o chocolate?
    — Vou comer em casa. Não quero agora.
    — Então me dê a metade. Pensei que fossemos comer aqui juntos.
    A mulher ficou sem palavras, pegou a barra, dividiu no meio, deu um pedaço para o Sérgio e saiu.
    Ele olhou para nós:
    — Paguei por ele, por isso também tenho o direito de comê-lo.
    Em seguida, o nosso chefe lhe respondeu:
    — É, Sérgio. Se continuar assim, vai ficar solteiro por muito tempo. © SamediGirl / Pikabu

Você também já conheceu alguém muito mesquinho durante sua vida? Conte qual foi a situação que mais te deixou abalado!

Imagem de capa Палата №6 / Vk
Compartilhar este artigo