Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

20+ Histórias de filhos que perderam a cabeça com os pais

Os pais são as pessoas mais importantes na nossa jornada. Mas eles, como todo ser humano, podem inconscientemente enfraquecer o estado mental dos filhos da mesma maneira que a kryptonita afetava o Super-Homem. Adultos vistos como ídolos também correm o risco de tropeçar e revelar seus defeitos, fazendo com que seus filhos enfrentem tristes realidades e vejam sua família com outros olhos.

Incrível.club juntou mais de 20 histórias de internautas provando que os pais também cometem erros e que a opinião dos filhos deveria ser levada mais a sério. Confira!

  • Amo os meus pais, mas... Não consigo aturá-los tomando decisões importantes por mim. Ainda estou cursando o último ano da faculdade, mas a minha mãe já decidiu que eu deveria entrar no mestrado logo depois de me formar. Todas as minhas tentativas de me opor à vontade dela acabam sendo ironizadas: “Você já tomou ótimas decisões sozinha!”, ela diz. Eu tenho uma filha e sou divorciada, mas isso não quer dizer que não possa errar ou tomar as minhas próprias decisões. Que raiva! © Podsluschano / Vk
  • Sou psicóloga e, um dia, recebi uma mensagem de um adolescente querendo marcar uma consulta para sua mãe. Quando perguntei se ela sabia sobre sua intenção, ele respondeu: “Não. É que ela marcou uma consulta no dentista para mim sem me perguntar antes, então decidi marcar uma psicóloga para ela. Sempre sonhei em fazer isso”. © Verderz / Pikabu
  • Minha mãe costuma acumular objetos e seu hábito parece estar se transformando em uma doença. Ela é incapaz de descartar qualquer bem: baldes, tampas de plástico, marmitas velhas, caixas e até mesmo sacolas rasgadas, “consertadas” com fita adesiva. Nos anos 1990, minha mãe gerenciava um brechó. Mas até hoje ela continua guardando sacolas grandes de maiôs, biquínis, casacos, jaquetas, sobretudos e até sapatos usados que já têm cerca de 40 anos! Os meus pais moram em um apartamento de quatro quartos e um deles está ocupado com um monte de coisas que não valem absolutamente nada. Ainda bem que ela não leva o lixo da rua para casa. © Podsluschano / Vk
  • Estava visitando a minha mãe quando briguei feio com ela e desabafei sobre seus meios de me criar e de me tratar. Ela respondeu: “Por que você está me culpando? A Sveta passou todo o tempo com você desde seu nascimento! A culpa é dela”. Só pode. Fui “criada” pela minha irmã, que é 3,5 anos mais velha e me detestava por ter de cuidar de mim. Perguntei à minha mãe: “Você entende o que está falando? Por que deixou uma criança de cinco anos me criar!?” Ficou calada. Aliás, nossa briga começou quando a minha mãe decidiu que havia chegado a hora de me controlar e educar... Educar uma mulher de 35 anos. © Glangy / Pikabu
  • No mercado, uma menina rasgou uma sacola com produtos e seus pais, dando risada e fazendo brincadeiras, ajudaram-na a juntar todos os produtos jogados no chão. Me lembrei da minha família, que gritou comigo por eu ter caído da escada. © st_grotesque / Twitter
  • Os meus pais são pessoas estranhas. Moramos em casas separadas e, quando os visito, costumam assar ou fritar peixe e comprar bolachas recheadas ou iogurtes para comer no café da manhã. São os produtos que mais detesto desde criança! Eles ficam surpresos e chateados por eu recusar a comida. Já tenho 23 anos, mas os meus pais não sabem o que não gosto de comer. Como assim? No entanto, lembram-se de todos os meus fracassos desde a minha infância... © Podsluschano / Vk
  • Percebi que chegou a hora de sair da casa dos meus pais quando eles fizeram um bolo de mel, um pato grelhado ao molho de mel e um hidromel. Mas eu sou alérgica a mel. © Podsluschano / Vk
  • Por que os pais gostam tanto de fazer uma miniexcursão por todos os cômodos da casa com as visitas?! Qual é a graça de mostrar a casa para outras pessoas dizendo: “Desculpe pela bagunça nos quartos” ou “Ainda estamos reformando a casa?” O que vocês querem dizer com “bagunça” se eu passei toda a semana arrumando essa “bagunça”? Mas a minha frase preferida é “este é o quarto da minha filha” e claro que eles têm de abrir a porta exatamente no momento em que eu, contorcida no sofá, estou assistindo a uma série no laptop, com a boca cheia de doces. © Podsluschano / Vk
  • Tenho um irmão gêmeo. O nosso pai nunca soube nos diferenciar e costumava nos levar para brincarmos em um lugar perigoso para crianças — um canteiro de obras abandonado. Certa vez, meu irmão caiu e cortou a testa. O nosso pai exclamou: “Finalmente!” Desde então, nunca mais voltou a nos levar àquele lugar. © sham2501 / Pikabu
  • Quando eu era pequena, o meu pai me chamava de Pequena. Mas depois de eu ter completado 20 anos, esse apelido parou de combinar comigo, pois a Pequena havia crescido. Os meus pais moram em uma casa no interior e eu os visito raramente. Certa vez, quando eu estava na varanda deles, ouvi o meu pai voltando do trabalho e falando com a nossa cachorra com ironia: “Oi, Pequena, está com fome?” Então, gritei: “Pequena!? Nesta casa tem só uma Pequena!” A partir daí, deixei de reclamar do meu apelido, mas passei a chamar o meu pai de Grandão. © Podsluschano / Vk
  • Moro no norte, em uma cidade no exterior. Aqui, quando os donos da casa recebem uma visita, dizem brincando: “Vão embora, não estamos felizes com sua chegada”. Quando minha namorada, que não conhecia esse costume, foi conhecer os meus pais e ouviu isso pela primeira vez, saiu chorando. © Palata № 6 / Vk
  • Ensino a meus filhos a importância de pedir desculpas. Quando eu era criança, os meus pais nunca me pediam desculpas e apenas agiam gentilmente de repente, tratando-me como se não tivesse acontecido nada. © sweetgallex / Twitter
  • No trabalho, conheci um médico-chefe de um hospital. Ele era um cirurgião-podólogo excelente. Certa vez, pedi para que ele contasse sobre a operação mais difícil que já tinha feito durante a carreira. O médico contou que, depois de ter terminado o curso de Medicina, se juntou ao exército como médico militar por dois anos, em uma cidade grande no norte. Certa vez, seu pai foi visitá-lo: “Ele gostou tanto do lugar e da quantidade de mulheres solteiras que trabalhavam comigo que levei dois meses para mandá-lo embora. Foi a operação mais complicada que já tive de fazer”. © DrZolberg / Pikabu
  • Tenho um irmão caçula e o meu pai, por algum motivo, costuma me chamar de rascunho. É normal? © punk108 / Pikabu
  • Meus pais moram em uma cidadezinha e eu estudo em uma cidade grande. Hoje, o meu pai veio me visitar. Deixei-o em casa enquanto fui fazer compras e resolver algumas tarefas da universidade. Quando voltei, o meu pai disse: “Consertei seu computador”. Perguntei: “Como assim? Ele não estava quebrado”. Ele respondeu: “Fala sério! Todas as letras estavam fora de ordem”. Ele tinha colocado todas as teclas em ordem alfabética... Obrigado, pai! Ajudou muito! © Palata № 6 / Vk
  • Certa vez, quando eu tinha cinco anos, fui à floresta com os meus pais e o meu primo, da minha idade, para colher amoras. Ele roubava minhas frutinhas, por isso eu tentava afastá-lo da minha cesta, mantendo toda a paciência do mundo. Eu estava ansioso para comer a minha colheita em casa... Quando todos entramos no carro para ir embora, meu primo fez mais uma tentativa bem-sucedida de roubar algumas das minhas frutas. Não aguentei a ousadia e lhe dei um tapa na nuca. Meu pai imediatamente pegou a minha cesta e disse que eu não iria comer uma fruta sequer. O que aconteceu com elas só Deus sabe... Já se passaram mais de 20 anos, mas não consigo me esquecer dessa história e do sentimento de injustiça. © Korellian / Pikabu

  • Disse para os meus pais que tive um ano horrível, mas eles olharam um para outro e começaram a rir, como se eu tivesse acabado de contar uma piada. Parem de subestimar os sentimentos de seus filhos e de pensar que os problemas deles não são nada comparados aos seus. © paytonmmusic / Twitter
  • Ajudo os meus pais financeiramente, pois eles não ganham dinheiro suficiente e têm de economizar com tudo. No início, quando passei a dar uma parte do meu salário para a minha mãe, ela recusava. Então, certa vez, coloquei o dinheiro em uma caixinha de economias dela e disse para ela ficar à vontade se quisesse gastá-lo. Um dia, minha mãe me ouviu falando que eu estava sem dinheiro para uma viagem. Então, ela disse para eu pegar o dinheiro da caixinha. Peguei e me tornei a maior inimiga da minha irmã: acontece que minha mãe tinha lhe dito que o dinheiro deixado na caixinha era dela. Para contextualizar: minha irmã mora na casa dos nossos pais, que a sustentam. Eles davam a ela o dinheiro da caixinha para que pudesse ir a festas. © Podsluschano / Vk
  • Meu marido e eu fomos passar as férias nos pais dele. Gastamos uma fortuna com presentes, eletrodomésticos e produtos. Sobrou dinheiro apenas para as passagens de volta. Antes da nossa partida, minha sogra exigiu que pagássemos pela eletricidade e pela água que havíamos usado, pois “nos hospedamos por duas semanas”. Quem dera tivéssemos nos hospedado em um hotel na praia, teria saído mais barato. © Vyspopov / Pikabu
  • Os meus pais me deram uma mão e emprestaram a metade do valor do apartamento que queria comprar, para que eu não ficasse devendo para o banco. Então, comprei o imóvel, faltava apenas trazer os móveis, mas os meus pais... mudaram de ideia, porque a minha irmã de 18 anos ficou grávida e eu, sendo seu irmão mais velho, deveria lhe dar um presente — meu apartamento que havia me custado um bom dinheiro. Sabendo da gravidez da minha irmã, ambas as minhas avós e os meus pais fizeram escrituras de apartamentos em nome dela. Agora, eu sou dono de um apartamento e ela, de três, mas o filho ingrato sou eu. © Vipman84 / Pikabu

Você já presenciou alguma situação em que o comportamento de seus pais gerou muitos questionamentos?

Imagem de capa Vyspopov / Pikabu