Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

12 Tendências de arrepiar que já estiveram na moda

1-2-
11k

A beleza tem muitas facetas e a melhor prova disso são as tradições dos diferentes povos.

O Incrível.club decidiu apresentar as tendências mais interessantes, misteriosas e às vezes terríveis que já foram usadas. Embarque conosco nesta viagem!

12. Sobrancelhas diferentes - China Antiga

Na China, era costume raspar as sobrancelhas e desenhar em seu lugar novos formatos estranhos, podendo ser totalmente redondos ou retos. Cada sobrancelha tinha algum nome poético: "colinas distantes", "folhas de salgueiro" ou "antenas de bicho da seda".

Como se comprova, em cada época surge alguma moda diferente de como usar as sobrancelhas, como em nossos dias.

11. Sorriso tatuado, povos Ainu (norte do Japão)

Os Ainus viveram na ilha de Hokaido, norte do Japão. Suas mulheres costumavam tatuar seus sorrisos. Hoje, diríamos que se assemelhavam ao famosíssimo Coringa.

Acreditavam que esse tipo de tatuagem ajudava a casar e a conseguir paz em outro mundo. Esse desenho era feito em várias etapas, a partir dos 7 anos de idade.

10. Cabeças alongadas

É impressionante, mas as cabeças artificialmente alongadas eram populares em várias nações de diferentes épocas que não tinham nada a ver entre si: os hunos, os italianos e os sármatas, na Eurásia; os maias, na América; alguns povos africanos e até mesmo os franceses, no século XX. Ainda não conseguimos achar algo de bonito nisso.

Para deformar o crânio de um bebê, deitavam-no em um berço especial ou amarravam uma faixa em torno de sua cabeça.

9. Dentes pretos, Japão Antigo

Ohaguro é a tradição japonesa de pintar os dentes de preto, que persistiu até o final do século XIX. Hoje os sorrisos pretos só podem ser vistos nos teatros tradicionais.

Essa pintura escura não só tinha função decorativa, mas protegia os dentes e repunha a deficiência de ferro no organismo, porque consistia em uma solução de ferro com ácido acético e tinta de nozes sumac.

8. Ausência de cílios, Europa Medieval

Ter muito pelo e cabelo na Europa não era algo muito popular. Os nobres daqueles tempos raspavam a franja, as sobrancelhas e tiravam os cílios.

Provavelmente, essa moda estranha surgiu por causa do raquitismo, que provocava a queda de cabelo. Algumas mulheres da nobreza fizeram dele seu traço especial e outras seguiram seu exemplo.

7. Unhas compridas, China Antiga

Entre os nobres da China, era moda deixar as unhas crescerem. Elas simbolizavam riqueza e ócio de seu dono (claro, com esse "ornamento" seria impossível trabalhar). Além disso, acreditava-se que ter unhas longas facilitava a comunicação com os espíritos.

Para as unhas eram feitas capas especiais de ouro, decoradas com pedras preciosas. Zé do Caixão curtiu :P

6. Rosto tatuado, Maoris

Os maori são os habitantes da Oceania famosos por seu amor por tatuagens. Além dos corpos, os homens tatuavam todo o rosto e as mulheres, apenas o queixo, a parte superior do pescoço e os lábios.

Os desenhos eram aplicados com um cinzel especial, não com uma agulha, como é feito hoje. Podemos imaginar que não era o procedimento mais agradável do mundo. Ainda hoje, alguns tatuadores mais habilidosos aplicam essa técnica.

5. Panturrilhas masculinas proeminentes, Europa

Na Idade Média, como no século XVIII, enquanto as mulheres escondiam suas pernas sob suas longas saias, os homens, ao contrário, se vangloriavam delas. Eles usavam meias para destacar suas panturrilhas de todas as maneiras possíveis.

Aqueles que não possuíam panturrilhas proeminentes, usavam preenchimentos especiais.

4. Tatuagens pagãs, Bálcãs

Não se surpreenda se, ao viajar para os Bálcãs (região formada por países como Bulgária, Croácia e Sévia), encontrar algumas avozinhas tatuadas.

Em algumas aldeias da Bósnia, da Croácia e da Albânia, as mulheres sempre tatuaram os braços com símbolos solares. Esses desenhos são vestígios das raízes pagãs dos eslavos da região e representam proteção. As tatuagens eram feitas no dia do equinócio da Primavera. Uma vantagem adicional de possuir essas tatuagens: as mulheres enfeitadas dessa forma não eram sequestradas pelos turcos para serem levadas aos seus haréns.

3. Nariz perfurado, Índia

Na Índia, desde o início dos tempos até hoje, há uma tradição de perfurar o nariz e é feita em mais de uma ocasião. Normalmente, o anel no nariz está conectado a uma corrente com acessórios, pendurados na orelha.

Em geral, esse tipo de piercing nasal é feito antes do casamento. Além disso, na Ayurveda - medicina indiana tradicional - acredita-se que perfurar o lado esquerdo do nariz facilita o parto e melhora a saúde reprodutiva

2. Concurso de beleza masculina diferente, Nigéria

Na tribo Wodaabe tudo está ao contrário: não são as mulheres que querem ser lindas, mas os homens. Há até um concurso de beleza masculino, em que as mulheres escolhem um marido. Os homens destacam a brancura da esclerótica de seus olhos e dentes, pintando suas pálpebras e seus lábios de preto. Eles colocam chapéus estranhos, pintam seus rostos e voilá! Por sinal, as mulheres dessa tribo também estão na moda: acredita-se que sejam as mais bonitas da África.

1. Cabelo muuuuuuuito comprido, Yao, China

Na cidade chinesa Huangluo vivem mulheres que são famosas por seus longos cabelos. Eles são cortados apenas uma vez na vida: durante o rito de iniciação, aos 16 anos.

Na antiguidade, dizia-se que, se um homem visse os cabelos soltos de alguma garota Yao, tinha de se casar com ela. Agora, essa regra não é mais válida e as mulheres podem mostrar seus cabelos a qualquer pessoa que desejarem.

Bônus: tampas no nariz - povo Apatani, Índia

Todas as pessoas que mencionamos acima faziam tudo isso pela beleza. Mas este não é o caso das mulheres Apatani, que vivem na Índia.

Essa tribo há muito tempo enfrentou um problema sério: suas garotas (que eram preciosas) foram sequestradas por homens de outros clãs e, portanto, sua comunidade estava em perigo de extinção. Foi assim que tiveram a ideia de colocar tampas no nariz das mulheres, além de tatuar seus rostos, para estragar sua beleza natural. Isso desempenhou um papel fundamental para a sua sobrevivência.

1-2-
11k