Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

10 Provas de que logo as redes neurais irão superar o homem

As redes neurais são tipos de inteligência artificial que se assemelha ao sistema nervoso humano. Elas consistem em diversas camadas de elementos computacionais separados (neurônios), capazes de desenvolver a autoaprendizagem. A inteligência artificial se desenvolve muito mais rapidamente que nossas ideias nesse sentido, sendo que em muitos assuntos as redes já são até mais inteligentes que seus criadores.

O Incrível.club revela a seguir do que as redes neurais já são capazes e o que elas serão capazes de conquistar num futuro próximo. Ao fim do post, você encontrará um bônus: uma história sobre como a inteligência artificial educa os gatos.

1. Editam e processam imagens

Graças aos serviços de Deep Dream, Prisma e Mlvch, que utilizam inteligência artificial para processar fotos e vídeos, milhões de pessoas conheceram a existência das redes neurais. Esses aplicativos podem transformar sua foto numa obra-prima no melhor estilo de Van Gogh ou Da Vinci. A empresa Nvidia apresentou uma rede neural que cria vídeos falsos, mas muito convincentes, como aquele que converte o inverno em verão.

Por outro lado, as redes neurais podem não apenas nos divertir, mas também executar tarefas bem mais sérias.

2. Fazem diagnósticos com maior precisão que os médicos

Anualmente, cerca de 20 milhões de pessoas morrem por problemas cardíacos. Investigadores da Universidade de Nottingham, no Reino Unido, carregaram uma rede neural com dados de 195 mil pacientes, treinando-a para avaliar o risco que cada pessoa tinha de sofrer com doenças cardiovasculares, e depois comparam-nos com 80 mil históricos clínicos. Se um médico humano (utilizando a escala padrão do Colégio Americano de Cardiologia) pode determinar qual a probabilidade de um paciente sofrer de um acidente vascular cerebral com precisão de 72,8%, a inteligência artificial já treinada atinge uma precisão entre 74 e 76%.

Pesquisadores apontam que isso poderia salvar 355 vidas a mais.

O aplicativo SkinVision, analisando a foto de uma pinta na pele, pode determinar com uma precisão de 83% se aquele sinal ou maligno ou não.

3. Ajudam a aumentar a produção agrícola

A Microsoft e o Instituto de Investigação Icrisat desenvolveram um aplicativo que analisa dados e determina o melhor momento para semear, assim como monitora o estado do solo, ajudando na escolha dos fertilizantes mais apropriados. Esse projeto conta com a participação de agricultores da Índia, que começaram a cultivar após receberem avisos por SMS do aplicativo. Eles realizaram uma colheita 40% maior do que a habitual.

4. Entregam golpistas

O mundo todo vem lutando ativamente contra a fraude financeira e a lavagem de dinheiro, mas com a chegada das redes neurais, a atuação das forças de segurança ficou muito mais eficiente. Por exemplo, o sistema de pagamento PayPal usa a inteligência artificial para comparar milhões de transações e encontrar movimentações suspeitas. Alguns bancos também fazem uso de um sistema de identificação de rostos das pessoas, comparando fotos de sua base de dados com as imagens feitas em stands de serviço em seus escritórios. Graças a isso, a concessão de empréstimos a falsos clientes ou a pessoas com documentos falsos caiu cerca de 10 vezes.

5. Capturam criminosos

Em setembro de 2017, durante um festival de cerveja realizado em Qingdao, China, uma rede neural ajudou a capturar 25 delinquentes, sendo que um deles estava foragido da Justiça há 10 anos. Um total de 18 câmeras de rua estavam conectadas a um sistema de reconhecimento facil que precisava apenas de 1 segundo para encontrar aqueles que se escondiam da polícia.

6. Alertam sobre a presença de tubarões

A Austrália ocupa o segundo lugar, atrás dos Estados Unidos, em número de ataques de tubarões contra humanos. Desde o outono de 2017, o país passou a contar com a ajuda de drones com inteligência artificial para patrulhar a costa. Eles foram desenvolvidos por uma equipe da Universidade Tecnológica de Sydney, e são capazes de determinar a presença de um tubarão com uma precisão de 90%, enquanto que uma pessoa detecta a presença desses bichos ou de outros animais marinhos em apenas 20% ou 30% dos casos.

Quando o drone observa um perigo, avisa os banhistas por um sistema de som, mas também existe a possibilidade de jogar um pequeno bote salva-vidas e um dispositivo que envia sinais de emergência.

7. Compõem música

A inteligência artificial, sob o pseudônimo Aaron, lançou sua primeira composição musical em colaboração com a famosa cantora e atriz norte-americana Taryn Southern. No videoclipe de "Break Free", Aaron também é o compositor e criador do vídeo.

A rede neural, criada Sony, cria melodias inspirando-se nas obras clássicas de Johann Sebastian Bach.

8. Escrevem livros

Na hora de escrever livros, as redes neurais ainda recebem ajuda de seres humanos: as pessoas começam as frases e o programa as termina. Os desenvolvedores do Botnik Studios subiram à inteligência artificial todos os livros de JK Rowling, e depois compilaram todas as melhores variações propostas pelo aplicativo num livro batizado de "Harry Potter e o retrato do que parecia uma grande pilha de cinza". O resultado foi estranho, mas divertido ao mesmo tempo. Na obra, estão pérolas literárias, como "a camiseta de Ron com a inscrição 'Ron' era tão péssima quanto o próprio Ron".

Um dos livros escritos por algoritmos japoneses, "O dia em que um computador escreveu um romance", foi destaque num famoso prêmio literário.

9. Vencem os humanos em jogos intelectuais

Até pouco tempo atrás, especialistas acreditavam que o desenvolvimento de uma inteligência artificial capaz de jogar algo tão complexo, como o go, inventado na China, levaria décadas. Em 2015, a rede neural AlphaGo se transformou no primeiro software a vencer um jogador profissional. E na primavera de 2017, uma versão mais sofisticada do programa venceu Ke Tse, o mais hábil jogador do go do mundo.

A humanidade está há 3 mil anos brincando com este jogo, e a rede neural precisou treinar por apenas 70 horas. O algoritmo do programa é universal, então ele é capaz de executar outras tarefas de nível similar.

10. Dirigem automóveis

Os veículos autônomos já funcionam, por exemplo, como táxis no aeroporto britânico de Heathrow, e especialistas prometem que eles serão populares no mercado até o ano de 2025. A inteligência artificial não apenas orientará o carro pelas rodovias, reconhecendo obstáculos, mas também analisará o carro como um todo, recordando as preferências dos passageiros: temperatura interna, volume da música ou a posição dos assentos.

Bônus: as redes neurais educam os gatos

Um engenheiro da empresa Nvidia, Robert Bond, enfrentou um problema: o jardim predileto de sua esposa se transformou num grande banheiro para os gatos da vizinhança. Robert achou que instalar armadilhas seria algo cruel, então ele criou um programa que reconhecia a aparência dos bichanos e ativava o sistema de irrigação da grama.

A aprendizagem da rede neural não obteve sucesso logo de cara: algumas vezes, o sistema confundiu a sombra do próprio Bond com um gato, fazendo com que o homem ficasse molhado dos pés à cabeça.

Mas depois de inserir no sistema imagens adicionais de gatos sob diferentes ângulos, a rede neural começou a reconhecer os felinos com precisão máxima. Assim, os gatos deixaram de fazer suas necessidades no jardim do criativo engenheiro.

Imagem de capa Revolver Entertainment