Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

10 coisas que os aviões têm e os passageiros não sabem

Surpreender viajantes experientes não é algo fácil, mas ainda assim sempre há um detalhe ou outro que chama a atenção até de quem está acostumado a voar.

O Incrível.club traz neste post alguns segredos que só os funcionários das companhias aéreas e passageiros mais curiosos conhecem.

Corrimão na asa

Para usar a escada de emergência, é preciso passar pela superfície escorregadia da asa, então existe o risco de alguém cair. Por isso, foi criado uma espécie de corrimão especial: pelo objeto amarelo que aparece na foto acima, é passada uma corda que vai da saída até a escada de emergência. Segurando na corda, os passageiros podem sair da aeronave.

Machado na cabine do piloto

Segundo a legislação de aviação de vários países, o machado está na lista de ferramentas de emergência, e geralmente fica na cabine atrás do assento do piloto. Com a ajuda do machado, é possível abrir uma porta emperrada ou abrir um espaço para passagem, por exemplo: na fuselagem dos aviões, existem marcas que indicam onde seria melhor abrir uma saída de emergência.

Furos nas janelas

As janelas dos aviões são formadas por três vidros: o externo é capaz de aguentar mudanças de pressão; o interno protege de danos pelo lado de dentro, e o do meio tem um furo que regula o fluxo de ar. Graças a ele, é possível equilibrar os níveis de pressão e também evita que fique tudo embaçado.

Unidade adicional de potência

Quando o avião aterrissa, sempre ouvimos um barulho apesar de os motores não estarem mais funcionando. O ruído é produzido, por uma unidade auxiliar de energia, que possibilita o funcionamento dos sistemas da aeronave quando os motores estão desligados, servindo também na decolagem. É uma pequena central de energia muito útil especialmente em terminais mal equipados, onde existe o risco de não haver uma manutenção adequada.

Federal Air Marshal Service

Funcionários da Federal Air Marshal Service, agência norte-americana de segurança, viajam à paisana e podem resolver eventuais conflitos ou até mesmo neutralizar um possível terrorista. O serviço funciona em países como Estados Unidos, França e Canadá.

Quartos de descanso para a tripulação

Alguns modelos de aeronave possuem pequenos quartos secretos onde os membros da tripulação podem descansar durante voos longos. Os espaços não são tão confortáveis: é preciso se movimentar de quatro, mas permitem um descanso muito bem-vindo.

Corrimão perto da saída de emergência

Estes corrimãos são mencionados principalmente para os comissários de voo. Com a ajuda destes apoios, a tripulação evita cair no chão ou ser empurrada para fora do avião durante eventual emergência. Segurando no corrimão, o funcionário pode realizar a evacuação dos passageiros sem perder o equilíbrio.

Sistema de controle ambiental

Você já parou para se perguntar de onde vem o ar que respiramos dentro de um avião voando? Este ar passa pelos compressores dos motores. Talvez por este motivo tenha existido o boato de que o ar nas aeronaves é muito sujo. Mas não há o que temer: antes chegar aos pulmões dos passageiros e tripulantes, o ar passa por um processo de resfriamento e purificação, com o uso de filtros que retêm até 95% das bactérias.

"Berço de Cooper"

Surgiu após um crime nunca solucionado: um homem que se chamaria D. B. Cooper sequestrou uma avião, conseguiu receber o resgate e fugiu pulando de paraquedas. Desde então, os aviões Boeing e Airbus têm um mecanismo especial chamado "berço de Cooper", que impede a abertura das portas durante o voo. Mas mesmo sem este mecanismo, abrir a porta só poderia ser feita por um time de especialistas, devido à diferença de pressão.

O triângulo preto

Talvez você tenha percebido que alguns aviões trazem um símbolo em forma de triângulo preto. Segundo um piloto da Airbus A320, eles indicam os lugares de onde é possível observar melhor as asas da aeronave. A checagem visual pode ser necessária caso os sensores não funcionem e os pilotos fiquem em dúvida quanto ao posicionamento dos flaps. Felizmente, isso acontece pouquíssimas vezes.