Incrível
Incrível

10 Acontecimentos históricos que parecem inventados, mas são reais

Dizem que a realidade supera a ficção e muitos acontecimentos comprovam isso. A história da humanidade é pontuada por uma série de eventos inesperados, cujas causas costumam ser desconhecidas. Quando essas coisas acontecem, os testemunhos atravessam fronteiras culturais e até o tempo, podendo virar filmes, livros ou pinturas. Em alguns casos, é claro, não sabemos ao certo quem veio primeiro, se foi a realidade ou a ficção.

Para mostrar como a história pode surpreender, no Incrível.club compilamos uma série de eventos que podem soar absurdos atualmente, mas realmente aconteceram. Confira!

1. Chuva de animais

Embora pareça surpreendente, a chuva de animais é mais frequente do que imaginamos. As hipóteses sugerem que são fenômenos meteorológicos que produzem essas situações dolorosas para os animais, nos fazendo lembrar do filme As Aventuras de Pi.

Existem registros de chuvas de sapos em 1873 e 1882 no Kansas e em Iowa atribuídas a correntes de ar ascendentes que, devido à pressão atmosférica, levantaram os animais para, em seguida, os fazerem cair. Há uma pintura de 1680 mostrando uma chuva de ratos; em 1947 e 2010, peixes caíram do céu; e, em 2005, novamente sapos. Choveram também insetos, iguanas e pássaros.

2. Frederico, o Grande, o rei das batatas

A batata é um delicioso tubérculo originário da América do Sul e que chegou à Europa graças à conquista. Mas não foi fácil entrar na gastronomia europeia, por ser um alimento subterrâneo.

No século XVIII, tentando combater a fome, o rei da Prússia decretou que a batata deveria ser cultivada, mas os súditos se recusaram a fazê-lo por medo do desconhecido. O plano do rei consistiu em plantar batatas nos jardins reais com a proteção dos soldados, mas era tudo um truque para fazer as pessoas acreditarem que se tratava de um alimento valioso. Funcionou, pois começaram a roubá-la e a cultivá-la.

Hoje, é possível ver batatas no túmulo do rei Frederico, o Grande, deixadas pelos visitantes.

3. Viajou ao redor do mundo em menos de 80 dias

Viajar pelo mundo é o sonho de muitos, mas para alguns se tornou quase uma obsessão bater o recorde de Phileas Foog, protagonista do romance A volta ao mundo em 80 dias, de Júlio Verne. Parece realmente impossível, especialmente quando pensamos em fazer isso sem a ajuda de aviões velozes cortando o céu a toda velocidade.

Elizabeth Jane Cochran, mais conhecida como Nellie Bly, era uma jovem jornalista de 25 anos que, em 14 de novembro de 1889, iniciou uma jornada solitária pelo mundo. Ela partiu de Nova Jersey a bordo de um transatlântico, com patrocínio do jornal New York World, mas não antes de enfrentar várias negativas pelo fato de ser uma mulher viajando sozinha.

Sua viagem durou 72 dias, 16 horas e 11 minutos. Ela colocou toda bagagem em uma mala de 17 cm de altura por 40 cm de largura, na qual levou chapéus de viagem, roupas íntimas, produtos de higiene pessoal, uma caneca, canetas e folhas para escrever. Em 25 de janeiro de 1890 concluiu sua empreitada em Nova Jersey e foi recebida por ao menos 15 mil pessoas. A aventureira quebrou o recorde anterior de circum-navegação ao mundo e se tornou uma figura nacional.

4. Expulsaram um papagaio de um funeral por ser rude

Essa história, por mais incomum que pareça, é verdadeira. O presidente Andrew Jackson deu de presente à sua esposa um papagaio cinza africano chamado Poll. Após a morte da primeira-dama, o papagaio passou muito tempo com o viúvo e aprendeu um léxico pouco recomendável.

Quando chegou a vez de Jackson, em 1845, o papagaio compareceu ao seu funeral. O reverendo que presidia a cerimônia disse: “Foi um papagaio malvado que se emocionou e começou a xingar, soltando rajadas perfeitas de palavrões. No final, o pássaro se recusou a se calar e teve de ser retirado do local”.

5. Uma princesa guerreira

Como se fosse uma mistura de Mulan e Xena, Khutulun foi uma princesa guerreira da Mongólia. Nasceu em 1260 a. C., antes de seu pai se tornar o governante mais poderoso da Ásia. Bisneta de Genghis Khan, soube levar o legado com grande honra. Foi criada com seus irmãos em disciplinas como tiro com arco, equitação e combate corpo a corpo.

Ela se tornou uma guerreira inigualável na Mongólia e não encontrava um rival digno na luta livre. De fato, lançou um concurso que consistia em casar apenas com quem conseguisse vencê-la em uma luta, seguida de uma corrida de cavalos. E, caso perdessem, os candidatos tinham de deixar entre 10 e 100 cavalos. Ela nunca foi derrotada.

Segundo Marco Polo, quando a conheceu, a princesa tinha 10 mil cavalos. Isso mostra o número de pretendentes, pois, além de rica e filha de um homem muito poderoso, era uma bela jovem repleta de aspirantes ao seu coração. Aparentemente acabou se casando sem lutar, para proteger o pai de certos rumores que manchavam sua honra.

6. Um meteorito atingiu uma mulher

Em 30 de novembro de 1954, às 2h46min da tarde, houve um evento cósmico em Sylacauga, no Alabama. Pela primeira vez, um objeto do espaço sideral atingiu um ser humano, causando ferimentos. Os vizinhos disseram que viram um raio de luz vindo do céu.

O meteorito de 3,8 kg, do tamanho de uma bola de beisebol, entrou pelo telhado da casa de Ann Hodges, atingindo a lateral do seu corpo. Em 2017, um fragmento da rocha cósmica foi vendido por US$ 7.500 (o equivalente a aproximadamente R$ 38 mil). Isso nos lembra um pouco o filme Armageddon de 1998, no qual Bruce Willis salva o mundo.

7. O homem que viveu em um aeroporto por 18 anos

Às vezes é difícil entender a burocracia dos países e justamente isso fez Mehran Karimi Nasseri viver durante 18 anos em um aeroporto na França. Mehran foi impedido de entrar em seu país de origem, depois de passar um tempo estudando em Londres. No final, lhe foi concedida a cidadania europeia.

Tudo começou em 1988, quando Mehran decidiu viver em Londres, passando primeiro pela França, mas, ao chegar ao aeroporto, percebeu que tinha perdido os documentos que o credenciavam como cidadão e, sem eles, não podia entrar ou sair de nenhum país. Mas poderia ficar no aeroporto, por ser considerado um espaço internacional.

Mehran acabou fazendo pequenos bicos para ganhar a vida, tomando banho em banheiros públicos, comendo nos restaurantes, além de ler muitos livros e observar as pessoas passando.

O filme O terminal, lançado em 2004, foi inspirado na história dele. No entanto, na ficção, o protagonista passou apenas nove meses preso. Mehran recebeu US$ 300 mil (cerca de R$ 1,5 milhão) por seus direitos em 2005, quando ainda vivia no aeroporto. Aparentemente usou o dinheiro para conseguir sair dali em 2006.

8. Um menino criado por macacos

John Ssebunya nasceu em Uganda na década de 1980 e aos 3 anos chegou sozinho à selva, aparentemente fugindo de sua família. Lá, foi acolhido por uma colônia de macacos-verdes, que lhe ofereceram alimento e o ensinaram a subir nas árvores.

Em 1991 foi encontrado por humanos. O cabelo cobria todo o seu rosto e corpo, seus joelhos estavam brancos e suas unhas, enroladas e seu comportamento se assemelhava ao de um macaco. Quando foram resgatá-lo, os macacos tentaram impedir isso e até John resistiu.

Tempos depois, um grupo de antropólogos o reuniu com uma colônia de macacos-verdes para ver sua reação e descobriram que ele era capaz de se comunicar com eles; os macacos, por sua vez, tratavam-no como se fosse da matilha. John é provavelmente o ser humano mais próximo de Tarzan na vida real.

Ele foi adotado pelos professores Paul e Molly Wasswa, que escolheram o dia 3 de julho como a data de seu aniversário. John tinha habilidades físicas muito boas, o que lhe ajudou a competir duas vezes nas Olimpíadas especiais. Além disso, possuía uma bela voz, participando de uma turnê com o Coro de Meninos Pérola da África.

9. Epidemia de dança

Em 1518, centenas de pessoas se reuniram para dançar sem parar em Estrasburgo, na França. Longe de se parecer com Woodstock, tudo começou com uma mulher que saiu de casa e começou a dançar sem parar ao ar livre. Depois de uma semana, várias pessoas já haviam se juntado ao impulso irresistível da dança maluca. Esse comportamento foi atribuído ao sangue quente que supostamente teria subido ao cérebro.

As autoridades locais acreditavam na dança como forma de cura, então montaram lugares especiais para isso e contrataram flautistas e bateristas. As pessoas dançaram por três meses e esse é, sem dúvida, um dos grandes mistérios da humanidade, atribuído inicialmente ao envenenamento por cogumelos, embora essa hipótese tenha sido posteriormente descartada.

10. Chaplin perdeu um concurso de imitadores dele mesmo

Em 1914, Charlie Chaplin começou a aparecer em seus filmes e não demorou muito para se tornar mundialmente conhecido. Tanto que foram organizados concursos de imitação do seu famoso personagem inglês. O próprio Chaplin participou de um desses concursos, terminando em vigésimo ou vigésimo sétimo lugar. Ainda não há um consenso a respeito.

A história começa com a publicação de um relato da atriz Mary Pickford sobre o concurso em um jornal em 1920. Charlie Chaplin estava em uma feira nos Estados Unidos, onde estava sendo organizado um concurso para imitadores de seu personagem, e ele decidiu participar sem o bigode e suas botas características, adotando um nome falso.

Na época, outros jornais dedicaram um espaço engraçado ao evento. É incrível que Chaplin tenha perdido um concurso por imitar a si mesmo. Sabemos que ele é único e imbatível, apesar da bela atuação de Robert Downey Jr. em 1992, quando deu vida ao icônico personagem.

Você conhece alguma história digna de se tornar enredo de um filme? Qual desses acontecimentos te impressionou mais?

Incrível/Curiosidades/10 Acontecimentos históricos que parecem inventados, mas são reais
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos