Incrível
Incrível

10 Fatos não tão conhecidos sobre as abelhas que podem mudar a visão sobre elas

As abelhas são um dos poucos insetos que não são odiados pela maioria das pessoas. Elas são simpáticas e, além de tudo, produzem diversos produtos que usamos, como mel, própolis, cera, geleia real, entre outros. Contudo, apesar de toda a fama, as abelhas têm certos “segredos” que a maioria das pessoas desconhece. São informações que abrem um novo mundo e podem fazer você enxergar as abelhas de uma forma bem diferente. A seguir, confira alguns dos fatos mais fascinantes sobre as abelhas.

1. Elas dançam para se comunicar com o grupo

A vida em uma colmeia é tudo, menos chata, pois as abelhas vivem constantemente em ritmo de festa. Afinal, elas se remexem até quando querem contar às outras que acharam comida. Para isso, fazem uma dança para transmitir a notícia de que lá fora há uma flor cheia de néctar as esperando. É assim: ao se deparar com uma planta, a forrageira — indivíduo responsável por sair e procurar alimento — retorna à colmeia e, em cima de um favo de mel, faz movimentos em formato de oito. Ora para a esquerda, ora para a direita, ela se sacode em meio às outras.

Quanto mais longo o giro, maior a distância até o destino. Então, no meio desse “oito”, a abelha faz um “passo” em linha reta, zumbindo as asas e vibrando o abdômen. Esse movimento indica a direção das flores em relação ao sol, para que as companheiras possam se orientar. Para ter toda a informação captada, as abelhas assistem de cinco a seis repetições dessa dança. Essas instruções são precisas e, com elas, a colmeia sabe em qual direção ir e quantos metros percorrer para se deparar com a fonte de comida.

2. Abelhas voam ao redor de alguém porque sentem cheiros doces

Para encontrar água e alimentos, as abelhas forrageiras usam sentidos da visão, do tato e do olfato. Então, como a maioria delas se alimenta principalmente de néctar, um líquido doce, é compreensível que sejam atraídas por cheiros adocicados. Portanto, se você fizer um piquenique com frutas, refrigerantes e outros quitutes doces e coloridos, não se espante se algumas abelhas insistirem em voar ao seu redor, tentando alcançar a tão desejada fonte de açúcar.

Ainda, elas também se interessam por alguns perfumes doces e com fragrâncias florais. Contudo, não é só isso, existem certas abelhas que são atraídas pela transpiração humana, chamadas de “abelhas do suor”. Elas se alimentam dessa combinação de sal e umidade, mas raramente picam os seres humanos. Muitas vezes, as pessoas nem as percebem, já que elas são bem pequenas.

3. O mel é uma reserva para momentos difíceis

As abelhas se alimentam, principalmente, de néctar (carboidrato) e pólen (proteína), tirados de flores e transferido para as colegas e as larvas pela boca. Isso acontece, geralmente, na primavera e no verão, mas, no inverno, as abelhas quase não saem da colmeia, porque não há muitas flores disponíveis. É justamente por isso que elas produzem mel, que nada mais é que néctar transformado por enzinas no “estômago” do bicho.

Então, após alimentar as colegas, a forrageira cospe o conteúdo de sua barriga dentro dos favos e deixa um tempo secando, usando as asas como abanadores para ajudar a evaporar a água da mistura. No fim, o mel está pronto e a abelha tampa o favo com cera. Como tem pouca água e muito açúcar, esse é um alimento bastante duradouro e garante muita energia para o tempo frio.

4. Elas sabem motivar os mais jovens

Como vivem e trabalham em conjunto, as abelhas precisam se manter motivadas para desempenhar suas tarefas. Para isso, elas têm um alerta especial: as forrageiras mais velhas dão uma “chamada” nas mais novas, para fazê-las voltar ao trabalho. Isso é feito com um zumbido emitido do abdômen da mais antiga, enquanto segura a mais nova com as pernas. Esse movimento parece dar uma acordada em toda a colmeia e a abelha que recebe o toque fica mais ativa e disposta, quase como se tivesse tomado um energético.

5. Abelhas dão um “grito” quando se assustam

Como visto, as abelhas se comunicam com danças e zumbidos, sendo que um desses era tido como um sinal de que havia perigo fora da colmeia. Assim, os pesquisadores que estudam esses animais achavam que essa determinada vibração era uma forma de interromper uma abelha que estivesse dançando, a fim de evitar que as outras saíssem atrás de alimento em um ambiente hostil.

Entretanto, após instalar sensores e câmeras nas colmeias, eles descobriram que, entre outras coisas, as abelhas emitiam esse barulho após esbarrar em outra sem querer. Era quase como se elas dissessem um “ops” quando se chocavam com as colegas, ou seja, pode ser um gritinho de surpresa, assim como nós fazemos.

6. As abelhas são mais inteligentes do que se pensa

Apesar de terem um cérebro minúsculo, as abelhas podem fazer algumas atividades complexas, como usar ferramentas, comportamento antes tido como exclusivo para vertebrados. Assim, pesquisadores resolveram testar a habilidade das abelhas de aprender a manipular um objeto para obter recompensa.

Para isso, treinaram as abelhas para empurrar uma bola até um buraco e, depois, davam uma mistura de água com açúcar a elas. O resultado mostrou que, além de aprender o jogo, elas ainda conseguiram ensinar outras a também entrar na “brincadeira”. Isso demonstrou que mesmo animais com cérebros pequenos podem ser inteligentes e ter comportamentos mais complexos.

7. Elas produzem um veneno que pode levar ao hospital

Muitas pessoas ficam com medo de serem picadas por abelhas, sobretudo quem tem alergia. Entretanto, elas são animais defensivos, ou seja, só atacam quando se sentem ameaçadas. Portanto, se uma abelha estiver voando sobre você, mantenha a calma e fique quieto. Ela está apenas explorando e, assim que descobrir que você não é uma fonte de alimento, ela vai embora. Geralmente, as picadas acontecem quando a pessoa tenta golpear a abelha. Então, se ela continuar a incomodar, apenas se afaste lentamente e ela seguirá seu destino.

Contudo, se você receber uma picada e sabe que tem alergia, se dirija a um hospital, pois as reações podem ser bem sérias. Se não tiver alergia, basta procurar ajuda para remover cuidadosamente o ferrão, mas não tente fazer isso sozinho, porque você pode apertar a bolsa de veneno e piorar a situação.

Por outro lado, também existem abelhas que não dão picadas, por terem ferrões atrofiados, e são conhecidas como abelhas sem ferrão.

8. A colmeia necessita de segurança privada e zeladores

Mesmo sendo seres pacíficos, na maioria do tempo, as abelhas também se envolvem em conflitos, como invasões por rivais e até roubo de mel. Assim, elas precisam de segurança particular e essa tarefa é feita por algumas operárias, que se mantêm de guarda na porta da colmeia para evitar ataques, inspecionando a movimentação e abordando qualquer intruso.

Além disso, a colmeia também requer que seja feita uma manutenção constante, para que tudo se mantenha organizado. Então, elas também têm um “zelador”, que faz reparos na estrutura, tapando buracos com seiva e resina coletadas de árvores.

9. A maioria das abelhas não consegue voar à noite

As abelhas são a “cara” do dia e isso é realmente verdade, já que a maioria das espécies é diurna e não sai da colmeia após o cair da noite. Isso se dá porque elas usam a luz do sol para se orientar e saber as direções. O estranho foi o que um estudante de doutorado em Biologia demonstrou ao colocar abelhas em uma caixa com uma lâmpada acesa, apagando em seguida.

Nesse momento, elas não abaixam o voo aos poucos e se acomodam. Pelo contrário, elas simplesmente desabam no chão ao apagar das luzes. O motivo desse comportamento não é muito certo e ainda é debatido por cientistas. Apesar da maioria diurna, existem outras espécies de abelhas que se adaptaram para voar à noite, como uma forma de evolução.

10. As abelhas podem ficar “viciadas” em café

Café é uma exigência para muitas pessoas pela manhã — e também ao longo do dia —, mas não são apenas os seres humanos que ficam vidrados na cafeína. Pesquisadores descobriram que certas plantas de café manipulam as abelhas para serem polinizadas e se reproduzirem com mais facilidade. Apesar do sabor amargo do café ser uma defesa para afastar predadores, algumas plantas têm flores com baixos níveis de cafeína, as quais as abelhas acham muito atraentes.

Então, os cientistas descobriram que a cafeína mudou a forma como os neurônios das abelhas respondiam à memória dos sentidos percebidos na flor de café, fazendo-as retornar para receber outra “dose”, mesmo após longos períodos. Tá vendo, não é só você que ama um cafezinho, as abelhas entendem o que é isso, afinal, elas também adoram!

Ao ver esses fatos, percebemos que as abelhas são animais fascinantes, não é mesmo? Você conhece alguma outra curiosidade sobre esses ou outros bichos? Deixe seu comentário!

Incrível/Animais/10 Fatos não tão conhecidos sobre as abelhas que podem mudar a visão sobre elas
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos