Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

Os 16 felinos mais raros do mundo

--1-
19k

Nós, do Incrível.club, adoramos estas criaturas elegantes que embelezam nosso Planeta. Hoje, queremos compartilhar com você os felinos mais raros do mundo. Muitos deles não conhecíamos até elaborarmos esta lista.

1. Gato-bravo-de-patas-negras

Ele é um dos menores felinos do mundo, e pode ser encontrado no sul da África. Raramente seu peso ultrapassa os 2,5 quilos, e seu tamanho chega a 50 centímetros contando a cauda. O comportamento desses gatos ainda está sendo investigado, mas já se sabe que eles gostam de viver em tocas abandonadas, como aquelas construídas por porco-espinhos.

2. Gato-pescador

O senso comum diz que os gatos odeiam água, mas este aqui prova o contrário. Seu traço mais peculiar é uma membrana especial entre as garras, que ajuda o animal na hora de nadar. Esses bichanos que vivem na Índia e no sul da Ásia são aproximadamente duas vezes maiores que os gatos domésticos, e muito musculosos. Geralmente, não são agressivos, mas são muito capazes de se defenderem caso seja necessário.

3. Lince-ibérico

O lince-ibérico é uma das espécies mais raras e ameaçadas de gatos selvagens no Planeta. Ele costumava habitar o território onde hoje estão Espanha e Portugal, mas atualmente seu habitat está limitado ao Parque Nacional de Doñana, na Espanha. Ele não é parente próximo do lince comum, sendo duas vezes menor do que este.

4. Jaguarundi

O jaguarundi é um dos poucos felinos com hábitos diurnos. Ele vive no México e em parte da América do Sul, mas é difícil ser encontrado na natureza selvagem. Por isso, esse animalzinho foi pouco estudado até hoje. Os pesquisadores nem sequer sabem quantos anos eles vivem em média. Em cativeiro, chegam a viver 15 anos.

5. Gato-chileno

O gato-chileno vive na região da Patagônia, passando a maior parte da vida sobre as árvores, de onde caça suas presas. As pessoas locais às vezes chamam este bicho de vampiro, pois sua mordida deixa marcas profundas.

6. Gato-manchado

Vizinho do gato-chileno, o gato-manchado (conhecido também por outros nomes) também passa boa parte da vida sobre as árvores. Esses felinos têm uma habilidade surpreendente: conseguem saltar de galho em galho e descer das árvores de cabeça para baixo, assim como os esquilos. Além disso, têm patas traseiras super fortes, que permitem a estes animais ficarem pendurados de ponta-cabeça por muito tempo.

7. Gato-ferrugem

O gato-ferrugem é um dos menores felinos do mundo. Seu peso não passa de 1,5 quilo. Estes pequenos animais são originários da Índia e Sri Lanka, com uma população de, no máximo, dez mil espécimes. Os gatos naturais da ilha vivem na floresta úmida, enquanto os "continentais" moram em áreas secas e abertas. Esses bichanos têm um miado parecido com o do gato doméstico, e são facilmente domesticados.

8. Leopardo-nebuloso

Se o comprimento de um leopardo comum, sem contar a cauda, pode chegar 1,90 metro, os leopardos-nebulosos não passam de um metro. Acredita-se que são ancestrais de todos os grandes gatos atuais. Seus hábitos são muito parecidos com os dos gatos domésticos. Nativos da região do Himalaia, esses felinos passam a maior parte do dia em árvores. As fêmeas usam buracos nos troncos como tocas para os filhotes.

9. Gato-do-mato-pequeno

Cópia em miniatura do jaguar, o gato-do-mato-pequeno é uma das espécies menos estudadas entre os felinos. Pouco se sabe sobre seus hábitos. Eles vivem no Brasil, Argentina e outros países das Américas, mas dificilmente são encontrados em seu habitat natural, pois se camuflam entre as folhas graças à pelagem.

10. Gato-do-deserto

Além da Ásia Central e da África, o gato-do-deserto habita também um dos lugares mais inóspitos do mundo: o Saara. Ele está entre os menores felinos, com comprimento máximo de 90 centímetros, sendo a cauda a parte mais longa do corpo. O gato-do-deserto pode viver muitos dias sem beber água, retirando-a dos alimentos ingeridos.

11. Gato-bravo

Apesar da aparência diferentona, o gato-bravo é o parente mais próximo do gato-do-deserto. Sua pelagem pode até ser confundida com a dos gatos domésticos, e isso tem uma explicação: há 10 mil anos, estes felinos selvagens se aproximaram dos humanos, sendo os ancestrais dos gatinhos que temos hoje em casa. Contudo, atualmente preferem viver longe das pessoas.

12. Gato-do-mato-grande

O gato-do-mato-grande, que vive ao sul da América do Sul, tem tamanho similar ao do gato doméstico. Aliás, as espécies poderiam cruzar sem problemas. No entanto, diferentemente do gato doméstico, o gato-do-mato-grande sabe nadar e pescar. Ele costuma guardar seus alimentos entre as filhas das árvores.

13. Gato-de-cabeça-chata

O gato-de-cabeça-chata são originários do sudeste asiático, e são tão raros que chegaram a ser considerados extintos. Estudiosos não sabem nem quantos exemplares restam. É outro gato que adora água e se alimenta de todo tipo de fauna aquática. Na natureza, esses animais foram pouco estudados, mas em cativeiro revelaram um traço curioso: eles muitas vezes lavam a comida antes de ingeri-la.

14. Gato-bravo-dourado-da-ásia

O gato-bravo-dourado-da-ásia é um animal cauteloso e cuidadoso, por isso é tão difícil ser encontrado na natureza. Pesquisadores sabem pouco sobre a espécie: com ajuda de coleiras especiais, eles conseguiram determinar que são mais ativos durante o dia e no crepúsculo. Para encontrar comida, são capazes de caminhar até 9 quilômetros por dia. Sobem em árvores com facilidade, mas preferem caçar no solo.

15. Gato-palheiro

O gato-palheiro vive na América do Sul, e seu tamanho é um pouco maior que o do gato doméstico. Quando preciso, esses felinos arrepiam o pelo de forma que ficam parecendo bem maiores, afugentando grandes predadores. Sua cor depende do habitat específico, indo do marrom ao cinza amarelado.

16. Gato-vermelho-de-bornéu

O gato-vermelho-de-bornéu vive na Indonésia.Trata-se de outra espécie rara e pouco estudada. Ele é tão cauteloso e desconfiado que só foi fotografado pela primeira vez em 2002. Tem tamanho muito parecido com o dos gatos domésticos, mas sua personalidade é bem agressiva.

Bônus: Burmilla

Muitos gatos possuem traços peculiares que os ajudam a sobreviver ou encontrar parceiros sexuais. Algumas espécies selvagens cruzam com gatos domésticos, criando animais novos e únicos. O resultado destas misturas realizadas ao longo dos anos é o surgimento de verdadeiras preciosidades.

Este gato em particular é o resultado de um cruzamento acidental entre um gato birmanês e um gato persa chinchila. Fala a verdade: você já viu um "acidente" mais lindo que este?

Imagem de capa Catza
--1-
19k