Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

20 Mitos sobre animais que a maioria das pessoas acredita e que não têm nenhum fundamento (vamos desvendar tudo)

Alguns mitos sobre o comportamento animal são passados de geração a geração, e a maioria não questiona se isso é realmente verdade. Existem mitos sobre aterrorizantes morcegos vampiros e tubarões que percebem sangue há quilômetros, mas será mesmo verdade? Para responder a algumas dessas questões, trouxemos respostas certeiras que têm como base várias pesquisas científicas.

Nós, do Incrível.club, trouxemos para você 20 respostas para os mitos mais conhecidos do mundo animal. Confira e nos conte se alguma delas era algo em que você sempre acreditou.

20. Tubarões sentem sangue a quilômetros de distância?

Especialistas concordam que o olfato desses animais é bem apurado, mas é mesmo tão bom a ponto de identificar sangue em um oceano? De acordo com Tricia Meredith, da Florida Atlantic University, essa lenda vem do nosso medo por eles. Apesar de terem duas narinas potentes onde são detectados odores, os tubarões testados puderam identificar uma gota de sangue apenas em uma piscina.

19. Baratas resistem mesmo a uma bomba nuclear?

As baratas estão na Terra há pelo menos 300 milhões de anos, isso quer dizer que sobreviveram a muita coisa, mas será mesmo que resistiriam a uma bomba nuclear? Apesar de alguns insetos se mostrarem bem fortes, os Drs. Ross e Cochran descobriram que uma dose de 6.400 rads mataria 93% das baratas — tornando-as apenas de 6 a 15 vezes mais resistentes do que os humanos.

18. Todos os morcegos sugam sangue?

Esse mito foi construído graças aos filmes de terror e as lendas mais antigas. Será mesmo que todos vivem de sugar sangue? Na verdade, sua grande maioria, cerca de 70%, consome insetos e ajuda a controlar a população desses bichos. Além disso, pouco mais de 20% come somente frutas e auxlia a disseminar sementes. Somente 3 espécies sugam sangue e podem ser encontradas na América Latina.

17. As toupeiras são realmente cegas?

De acordo com estudos, esses animais são, de certa forma, míopes e não cegos. Apesar de terem uma visão ruim em relação aos outros animais, eles possuem um tipo de sensor que faz com que identifiquem a hora do dia e a estação do ano. Dr. Martin Collinson, da Universidade de Aberdeen, inclusive, usa pesquisas com esses animais para entender e tratar problemas de visão em humanos.

16. Os antigos diziam para não pegar em sapos para não ter verrugas, será verdade?

Apesar de a pele de alguns sapos possuir bolinhas que se assemelham à verrugas, essa lenda, na verdade, não tem nenhuma relação. As verrugas são provenientes de um vírus chamado HPV (papiloma vírus humano) e engloba cerca de 150 tipos diferentes desse vírus. O único problema que tocar em sapos pode causar ao ser humano é se ele for alérgico ou se o sapo for venenoso.

15. O avestruz esconde a cabeça na terra por vergonha?

avestruz é africano e é a maior ave conhecida; ele chama a atenção pela sua carne magra, sua pele exótica e por sua força incrível. Quanto ao mito, o que acontece é que para comer pedras ele inclina a cabeça até o chão, o que de longe pode parecer que ele a escondeu na terra. Quando querem se esconder, se abaixam e escondem a cabeça e o pescoço, ficando bem parecidos com um arbusto.

14. O touro fica mesmo bravo com a cor vermelha?

De acordo com especialistas, os touros não enxergam as cores verde e vermelha, como a maioria dos bovinos. Então, por que eles ficam bravos sempre que um toureiro agita a sua capa vermelha? O que acontece é que, para participar das touradas, são escolhidos touros de raças extremamente agressivas e que respondem a qualquer movimento mais bruto que os ataque.

13. Os elefantes não usam as trombas como canudinhos

Por serem animais muito grandes, talvez não seja fácil abaixar para beber água. A tromba, portanto, existe para essa e outras funções. Essa parte do corpo do animal está mais para o nariz de um cão do que para um imenso canudo para sugar líquidos. Com ela, o elefante pode identificar mais variados odores, sentir a vibração causada por outros animais e até a chegada de uma tempestade.

12. Se um ninho for mexido, a mãe abandona mesmo os filhotes?

Felizmente nenhum pássaro faz isso, afirma Frank B. Gill, ex-presidente da União Americana de Ornitólogos. O mito sugere que os pássaros percebem pelo cheiro que algum outro animal manipulou o ninho ou seus descendentes. Pesquisas mostram que o olfato não é o ponto forte da maioria das aves, e se uma delas se sentir incomodada é mais provável que mude de lugar do que abandone os filhotes.

11. O bicho-preguiça nunca desce da árvore porque é preguiçoso?

Seu ritmo lento pode fazer com que as pessoas pensem que ele vive nas árvores e que não descem por preguiça, mas isso não é verdade. Esse animal tem um sistema de regulação térmica corporal pouco eficiente, diferente da maioria dos mamíferos. Sendo assim, ele economiza energia. A evolução fez com que a dieta deles fosse só de folhas. Isso ajuda a evitarem predadores como a onça-pintada, por exemplo.

10. Os ratos amam queijo?

O cinema e os desenhos animados são responsáveis pela reputação de que os ratos são atraídos pelo cheiro inebriante do queijo. Mas especialistas explicam que esses roedores preferem buscar nas casas e nas lixeiras comidas que forneçam mais energia, como cereais, alimentos açucarados e frutas secas. Com certeza, o queijo é a última opção para esses pequenos roedores.

9. Os coelhos não comem somente cenouras

Estudos demonstram que na natureza os coelhos não comem frutas e nem vegetais: eles preferem o feno, que é um tipo de grama. Isso não quer dizer que cenouras não possam ser oferecidas eventualmente como guloseimas, considerando que possuem muito açúcar. Mas existem rações balanceadas que são muito mais indicadas para alimentar os pequenos orelhudos.

8. Os camelos guardam água em sua corcova

Os camelos são domesticados pelos humanos há milhares de anos e servem para trabalho, além de fornecerem leite e carne. Apesar de não precisarem beber água com frequência e em grande quantidade, eles não armazenam água em sua corcova. Essa protuberância nas costas do animal, que mede em média 75 cm, serve para acumular gordura que o ajuda a suportar o calor do deserto.

7. As pessoas engolem aranhas enquanto dormem?

Casos de picadas de aranhas sempre surgem em emergências e ambulatórios médicos. Algumas delas possuem hábitos noturnos e podem picar os pés e até o rosto, mas esse tipo de aracnídeo dificilmente vai se interessar por entrar em nossa boca, por um motivo muito simples: somos grandes e elas não suportam a vibração e o calor que a cavidade oral emite enquanto dormimos.

6. Nem todas as abelhas morrem depois de ferroar

afirmação de que as abelhas sempre morrem após ferroarem é mentira, considerando que depende da espécie e da espessura da pele do animal ferroado. As que possuem ferrão farpado podem ferroar várias vezes, sem que a parte do ferrão se solte e a mate. Geralmente, as que possuem esse tipo de ferrão são as Rainhas que os usam para defender o seu lugar contra outras Rainhas.

5. Os porcos não gostam de sujeira

Uma afirmação que virou estigma para esses lindos animais. O que acontece é que os porcos precisam se refrescar, já que não possuem glândulas sudoríparas. Para ajudar a regular a temperatura interna, eles procuram água. Porém, a lama ajuda a refrescar seus corpos rechonchudos por mais tempo do que a água comum e limpa. Ou seja, os porcos não querem ficar sujos, só querem se aliviar o calor.

4. Guepardo não é o mamífero mais rápido do mundo animal

Apesar de conseguir alcançar grandes velocidades, o guepardo não é páreo para o Tadarida brasiliensis, ou Morcego-de-cauda-livre. De acordo com pesquisas feitas em 2016, por estudiosos da Universidade do Tennessee, esse morcego chega a atingir incríveis 160 km/h. Ele caça a pelo menos 800m do chão e isso dá a ele a possibilidade de pegar velocidade sem bater em nada.

3. Girafas não dormem somente meia hora por dia

As girafas, por serem grandes, possuem uma grande dificuldade para levantar e correr caso algum predador se aproxime com más intenções. Por isso, esses mamíferos lindos dormem de 30 minutos a 2 horas diariamente e, geralmente, não fazem isso tudo em um só momento. Elas apenas encostam a cabeça no tronco e cochilam, ainda ficam com as orelhas alertas para identificar qualquer perigo.

2. Os ursos não hibernam no inverno

A hibernação acontece no inverno quando alguns animais arrumam um local para ficar aquecidos e dormir por um longo tempo. Nesse caso, eles acordam de vez em quando para comer o que guardaram. Isso acontece porque nessa época a comida é mais escassa e hibernar é um jeito de se “desligarem”. Isso ajuda a gastar menos energia, que será usada para aquecer seus corpos.

Os ursos não hibernam; na verdade, eles ficam em estado de torpor. Eles entram em um sono profundo, o batimento cardíaco e a respiração diminuem, não precisam beber, comer e nem ir ao “banheiro” por mais de 100 dias. A diferença entre o torpor e a hibernação é que eles podem acordar se aparecer algum predador e as fêmeas são capazes de acordar para dar à luz e depois voltarem a dormir.

1. As listras das zebras não são camuflagens

De acordo com cientistas da Universidade de Calgary e da UC Davis, que pesquisaram zebras da Tanzânia e seus predadores, as listras não ajudam a camuflá-las. Uma pesquisa publicada na revista PLOS ONE explica que antes mesmo de avistar as listras, o predador percebe a zebra à distância, pelo cheiro. Apesar de serem bem visíveis para nós, não faz muita diferença para o predador.

Gostou das explicações? Sabia de alguma delas ou acreditava em todos os mitos? Conte para nós.