Incrível
Novo Popular
Inspiração
Criatividade
Admiração

17 Tuítes de uma funcionária de pet shop sobre a diferença entre os tipos de ração para animais

Uma usuária do Twitter, com o apelido Zaya Baka, criou uma sequência de comentários sobre comida para animais de estimação. No período em que trabalhou em um pet shop, ela passou por diferentes treinamentos, participou de conferências e seminários de produtores de rações para animais, e por fim, conseguiu adquirir conhecimentos valiosos.

Seu interesse sobre como alimentar pets não surgiu do nada. A família de Zaya havia tido um gatinho que ficou doente e que precisou de tratamento e cuidados especiais por muito tempo. Por isso a menina ficou feliz por conseguir aproveitar a oportunidade de estudar o tema “nutrição animal” profundamente quando trabalhou na loja.

Incrível.club publica, a seguir, seus tuítes, claro, com a devida autorização. Os posts são um retrato da experiência pessoal de Zaya. E o objetivo da sequência de comentários é motivar as pessoas a visitarem o veterinário antes de escolher a comida mais adequada para seus pets. Assim, eles viverão saudáveis e felizes.

Ração econômica

  • A ração econômica não contém carne, mas uma grande quantidade de produtos químicos. Ou seja, ela é composta por diferentes aromatizantes e palatabilizantes. Seu pet come a ração, mas continua sentindo fome.
  • Esse tipo de ração também é composto por milho, que, muitas vezes, é alergênico para cães. Honestamente, eu não consigo definir a proporção exata de subprodutos e cereais em rações, porque isso depende do fabricante, mas a maior parte delas inclui milho.
  • Na ração econômica, também são adicionados todos os tipos de resíduos animais: chifres, cascos, pele, lã, penas, etc. Os fabricantes acrescentam tudo menos carne, por mais que tentem nos convencer do contrário, mencionando, nas embalagens, coisas como “frango suculento” ou “cordeiro macio”. É claro que esse produto não possui tabela nutricional.
  • Agora o mais interessante: que tipo de ração se enquadra na classe econômica? Quase todos que encontramos em comerciais de TV e supermercados.
  • Os donos de pets assistem a comerciais, compram ração e o animal engole tudo (devido aos aromatizantes e palatabilizantes) como se estivesse morrendo de fome. Então, passa pela cabeça dos donos o seguinte pensamento: “É realmente uma boa comida; meu bichinho comeu tudo!” Mas não é.
  • A questão é que a ração econômica não contém elementos suficientes para satisfazer o pet, diferentemente das rações mais caras. Como dizia minha gerente, o animal se torna “um viciado em drogas, que sempre precisa de uma nova dose”.

Ração premium

  • Infelizmente, nem todos os fabricantes fornecem informações honestas sobre seus produtos. Assim, a ração “premium” já possui, por exemplo, farinha de osso. Às vezes, há também uma pequena quantidade de farinha de carne.
  • Há diversos tipos de rações premium, por exemplo, para animais de diferentes idades e para castrados e não castrados. Os produtores da ração econômica também deveriam seguir essas divisões, mas as informações no pacote não são completamente verdadeiras. É importante alimentar o animal castrado com uma ração adequada; caso contrário, ele corre risco de enfrentar problemas renais, de fígado e de bexiga.

Ração super premium

  • A ração super premium possui uma porcentagem significativa de farinha de carne, mais nobre. Alguns produtores evitam o uso de milho, utilizam uma quantidade pequena do cereal ou o substituem por produtos que não são alergênicos. Esse tipo de ração não contém aromatizantes.
  • Apesar de essa ração custar muito mais que a econômica, o seu custo-benefício é muito maior, porque o animal fica satisfeito mais rapidamente. Quando trabalhava no pet shop, tive um bate-papo com alguns clientes e descobri o quanto eles gastavam com ração econômica por mês.
  • Você não vai acreditar, mas o valor total era o mesmo ou até um pouco mais do que pagariam por 1,5 kg de ração super premium — essa é a quantidade que um gato leva um mês para comer.

Ração holística

  • No topo da nossa lista está a ração holística. A palavra holística vem da palavra inglesa “holistic”, que significa integral. Resumindo, é uma ração equilibrada e, portanto, mais adequada para os animais de estimação. A carne representa a porcentagem máxima da ração, que não possui milho alergênico e cereais do mesmo tipo.
  • O valor nutricional de uma ração holística para gatos, por exemplo, é próximo do de um rato, que seria sua alimentação na natureza, só que produzido a partir de ingredientes mais nobres.
  • Eu não estou insistindo para você mudar para esse tipo de ração; só estou dizendo o que é uma informação útil. O importante, na minha opinião, é evitar o uso da ração econômica, por não conter elementos suficientes para nutrir seu pet.
  • Também vale a pena dizer que, se você decidir mudar a ração, é melhor que proceda gradualmente: não compre a ração holística primeiro. Comece com a premium. E lembre-se de que esse processo é difícil, especialmente para o dono. O gato não irá querer comer outra ração, porque já ficou “viciado”.
  • Eu digo “gato”, porque esse é meu atual animal de estimação, mas é claro que serve para os cãezinhos também. Tudo o que os donos precisam fazer é manter a paciência e entender que a piedade é seu maior inimigo. Você não deve ter pena do seu pet e voltar para a ração econômica, porque até hoje ninguém passou fome perto de um prato de comida.
  • Além disso, é preciso lembrar que comprar a comida por peso não é nem um pouco seguro. Primeiro, você não conhece o prazo de validade. Segundo, não tem informações sobre o cumprimento das normas sanitárias. Além disso, os vendedores abrem e fecham a embalagem frequentemente, o que piora a qualidade da ração.

Dicas para os donos de pets

A autora da sequência recebeu muitos comentários, perguntas e agradecimentos. O que a deixou mais feliz foi receber mensagens de pessoas contando que tinham mudado de ração depois de ter visitado o veterinário.

Aqui estão algumas dicas que facilitarão a vida dos donos de pets:

  • É muito importante consultar o veterinário. Não há necessidade de correr para o pet shop e comprar a ração holística, que é mais cara, depois de ter lido os comentários no Twitter. Não é esse o objetivo deste post. Afinal, os animais, assim como os seus donos, são diferentes; alguns podem gostar da ração, outros não. Por isso, pedimos que levem os seus pets para o veterinário.
  • Nada de automedicação. Não existe “Eu acho que ela tem problemas renais, por isso vou comprar a ração holística”. Não é assim que deve ser. A ração só pode ser indicada por um especialista e o “Dr. Google” também não consegue ajudar nessa questão. A dica, claro, também se aplica a pacientes humanos, não apenas a animais.
  • Os animais não devem ser tratados com medicamentos humanos. Isso parece óbvio, mas já trabalhei em um pet shop e ouvi muitas histórias assim. É simples: a dosagem de medicamentos humanos é elaborada conforme a altura e o peso de uma pessoa e, por isso, não é adequada para o seu melhor amigo.

Qual é o conselho mais útil que você já recebeu de um veterinário a respeito de rações?