Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração
Incrível

14 Animais que parecem fofinhos, mas podem ser bem perigosos

Aquele velho ditado “As aparências enganam” não serve apenas para humanos. Animais fofinhos, às vezes, podem ser bem perigosos caso se sintam ameaçados. Por exemplo, quem diria que um belíssimo cisne fosse capaz de virar um barco de pesca? Ou que ao tocar em um belo pássaro você pode ser envenenado? De fato, os animais possuem muitos trunfos escondidos na manga.

Incrível.club decidiu fazer um pequeno guia de animais que parecem fofos, mas podem ser bem perigosos. Confira!

1. Tucano

Uma mamãe alimentando seu filhote com uma fatia de banana

Basicamente, o tucano se alimenta de frutas e seu bico longo facilita retirar os frutos, até dos galhos mais finos. No entanto, essa ave está longe de ser vegetariana: além de insetos e lagartos, o tucano não tem problema em comer filhotes de outras aves.

2. Pinguim

Você já viu o bico de um pinguim aberto? A boca inteira, inclusive a língua, é cheia de placas dentárias. A ave precisa delas para se alimentar de forma satisfatória. O mecanismo funciona de forma simples: assim que o pinguim coloca algo na boca (geralmente um peixe escorregadio), é impossível a presa escapar, pois, centenas de dentes irão prendê-la.

Os especialistas não recomendam nem mesmo acariciar um pinguim: nas tentativas de domesticação, descobriu-se que eles não gostam muito de humanos e na primeira oportunidade irão morder.

Além disso, a imagem que se criou dos pinguins como pais amorosos, principalmente em desenhos animados, está longe de ser realidade. As fêmeas que perdem seus filhotes lutam para ficar com o filhote de outro pinguim, e se veem um bebê abandonado, imediatamente o roubam. Infelizmente, as brigas e sequestros geralmente levam à morte dos filhotes.

3. Peixe-aranha

O peixe-aranha vive na costa leste do oceano atlântico e em três mares: Mediterrâneo, Egeu e Negro. A espécie vive tanto em águas rasas quanto em profundidades de até 150 m. Também adora se enterrar na areia, e é por isso que as pessoas geralmente só o encontram quando literalmente pisam nele. Infelizmente, esse encontro geralmente termina em ferimentos ou até algo pior.

Esse peixe possui espinhos venenosos nas barbatanas e nas guelras. Uma espetada pode ser fatal. Embora geralmente não haja um risco sério para os humanos, o local do ferimento pode doer por muito tempo, devido à peculiaridade do veneno do peixe.

4. Cegonha-branca

Esse pássaro tem dois segredos. O primeiro é que não se alimenta apenas de peixes e rãs, sua dieta inclui outras aves, ovos, pequenos roedores e cobras (inclusive as venenosas). O bico do animal é enorme e forte.

O segundo, a cegonha-branca adota os filhotes de outras cegonhas e às vezes pode até jogar os seus próprios para fora do ninho. Presume-se que os bebês são eliminados em duas circunstâncias: se forem fracos ou se não houver comida suficiente. Embora os cientistas também já tenham registrado situações que não envolvem nenhum desses dois fatores e discutam sobre esse comportamento estranho do animal.

5. Esquilo

A dieta padrão dos esquilos inclui nozes, sementes, frutas vermelhas e cogumelos. Porém, o animal não tem aversão a comer carne se precisar, principalmente no inverno, quando não há comida suficiente. Pequenos roedores, pássaros e répteis se tornam seus alvos. E devido aos seus dentes afiados e mandíbulas poderosas, as presas praticamente não têm chance na batalha contra um esquilo.

Esse mamífero não é perigoso para os humanos. Mas, claro, não se deve esquecer que ele pode danificar a fiação elétrica ou minar a fundação da sua casa.

6. Waxwing boêmio

Essa é uma ave bem comum e reconhecida devido à sua crista. Vive nas florestas da Eurásia e da América do Norte. No inverno, geralmente migra para as cidades, onde pode encontrar alimento. E ama se alimentar do fruto da tramazeira.

No entanto, como o waxwing boêmio tem um corpo pequeno, essa fruta acaba gerando um efeito prejudicial em seu organismo. Os pássaros ficam literalmente bêbados. Aliás, isso não acontece apenas com essa espécie, mas também com outras aves que comem esse fruto.

Dependendo da quantidade ingerida, os pássaros chegam a fazer coisas diferentes: cair na neve, colidir com pessoas, janelas ou nas paredes das casas. Pode parecer banal, mas dependendo da situação, as consequências podem ser fatais.

Se você se deparar com um waxwing boêmio bêbado, coloque-o em uma caixa em um lugar quente. Depois de algumas horas, o pássaro ficará sóbrio e então poderá ser solto na natureza.

7. Urso polar

Claro que ninguém pensaria que o urso polar é inofensivo. No entanto, muitas pessoas não têm ideia do quão perigoso ele é.

Esse é o único animal no planeta que gosta de caçar humanos por vontade própria. Os demais preferem se esconder e atacar apenas em legítima defesa. Talvez isso se deva ao fato de que, geograficamente, os humanos e os ursos polares não convivam na mesma área, de modo que os animais não tenham um “registro” em sua memória genética de que devam nos temer.

Além disso, eles não são perigosos apenas em terra, mas também na água. São ótimos nadadores e podem chegar a uma velocidade de 10 km/h. Para efeito de comparação, a velocidade mais alta já atingida por uma pessoa nadando é de 8,2 km/h; a média é de apenas 3,2 km/h.

8. Agouta

A aparência desse animal insetívoro lembra a de um rato com pernas longas e finas. No entanto, ele está na pequena lista de mamíferos venosos. O veneno entra no corpo da vítima através da mordida — a saliva do bicho é tóxica. É meio paradoxal, porém, o fato é que a agouta não tem imunidade ao próprio veneno e muitas vezes, durante brigas entre eles, o animal mordido morre.

Esse mamífero também é conhecido como um fóssil vivo, pois a espécie não sofreu quase nenhuma mudança nos últimos 76 milhões de anos.

Para os humanos, o perigo é mínimo: segundo os registros históricos, apenas algumas pessoas já foram mordidas por esse animal e nenhuma delas morreu. A dor e o inchaço consequentes diminuem após alguns dias.

9. Dingo

Parece ser um cachorro normal até que você se aproxime.

O dingo é uma raça de cachorro que foi reintroduzida na natureza. Pode ser encontrado na Austrália e em pequenas quantidades na Ásia. Esse cão tem preferências alimentares estranhas: mesmo na presença de uma variedade de caças, eles preferem comer sua própria espécie. Essa é uma característica única do dingo, visto que tal comportamento no reino animal é praticado apenas nos casos em que os animais passam fome.

A relação entre o homem e o dingo era complicada. Na Austrália, os cães caçavam as ovelhas, o que levou agricultores a montar armadilhas para pegá-los. Mas isso não ajudou a salvar o rebanho, então as pessoas se juntaram e construíram uma cerca de cinco mil quilômetros para barrar os cães.

A cerca que protege as fazendas contra os dingos.

Em relação ao perigo para os humanos, os animais se comportam com cautela e fogem quando têm essa oportunidade. No entanto, também acontecem ataques a pessoas. Principalmente pelo comportamento humano: ao ver o cachorro na nossa frente, sempre tentamos nos comunicar com ele, alimentá-lo, acariciá-lo, brincar, esquecendo que os dingos estão mais próximos dos lobos que dos cães domésticos.

10. Cisne

Símbolo do amor puro, da perfeição e da elegância, o cisne é, na verdade, bem musculoso e forte. Não menospreze seu poderoso bico. A ave pesa, em média, cerca de 13 kg com uma envergadura de até 2,5 m.

Para os humanos, o cisne pode ser perigoso se alguém estiver perto do ninho. Ao atacar, essa ave aquática sibila e avança até o potencial inimigo batendo nele com as asas.

Na melhor das hipóteses, o inimigo sairá com um leve susto; na pior, com alguns hematomas. Também já houve casos em que cisnes conseguiram virar pequenas embarcações com pessoas.

11. Diabo-da-tasmânia

Esse animal, que é do tamanho de um cachorro de pequeno porte, é considerado o maior marsupial carnívoro do mundo. Vive na ilha da Tasmânia e está ameaçado de extinção.

Quando relaxado, é lento e desajeitado, mas, se necessário, pode rapidamente atingir velocidades de até 13 km/h. Geralmente, os espécimes são bons nadadores e conseguem subir em árvores. Devido à sua natureza excêntrica, eles quase não têm predadores no mundo animal.

Ao encontrar um potencial inimigo (por exemplo, uma pessoa) o diabo-da-tasmânia abre a boca, sibila, emite um odor desagradável como o de um gambá, e então sai gritando furioso para cima da ameaça.

Acredita-se que esse marsupial tenha uma mordida de ferro; devido às suas poderosas mandíbulas, eles são capazes de atacar um animal de até quatro vezes o seu tamanho. Esse predador não é perigoso para os humanos, embora em casos excepcionais (por exemplo, para proteger os filhotes ou durante a época de reprodução) ele possa pular sobre a pessoa ao atacar.

Apesar do seu temperamento difícil, o diabo-da-tasmânia pode ser domesticado e criado como um animal de estimação. Bem, em teoria.

12. Pitohui

A pele e as penas dessa ave contêm batracotoxina — uma das neurotoxinas mais poderosas do mundo. Após o contato físico com um pitohui, pequenos animais geralmente morrem devido a uma parada cardíaca.

curioso é que o veneno desse pássaro se deve a sua alimentação: sua dieta inclui insetos cujo corpo é literalmente saturado de batracotoxina. O pitohui, contudo, acabou desenvolvendo imunidade a essa toxina, o que não se aplica aos humanos.

Apesar disso, é improvável que um encontro casual entre uma pessoa e um exemplar dessa espécie termine em tragédia. Porém, tocar nesse pássaro não é uma boa ideia: seus dedos podem começar a ficar dormentes e formigando quase que imediatamente. E o mais provável é que você coloque o dedo na boca por reflexo — então ela ficará dormente também. Depois disso, você já precisará de um atendimento hospitalar.

13. Caramujos de água doce

Por si só, os caramujos são inofensivos, mas os parasitas que costumam se instalar em seus corpos podem causar esquistossomose em humanos.

Essa é a 2ª doença tropical mais comum no mundo: por exemplo, em 2018, 97 milhões de pessoas contraíram e 229 milhões precisaram passar por tratamento preventivo. Você pode se infectar nadando em rios, lagos, lagoas ou açudes de água doce.

14. Musaranho

Os musaranhos podem ser encontrados em quase todo lugar do mundo: das planícies da tundra aos desertos. E algumas das espécies são venenosas, mais precisamente o musaranho-de-cauda-curta-do-norte (vive no continente americano) e o musaranho-de-dentes-brancos (vive na Europa).

A saliva dos espécimes venenosos contém uma substância paralisante. É ela que ajuda o animal a caçar suas presas e fazer seus suprimentos: os animais mordidos ficam imobilizados por 3-5 dias.

No entanto, para os humanos, o musaranho não é perigoso, embora a picada seja dolorosa e cause inchaço, que desaparece após alguns dias.

Que outros animais fofinhos são subestimados na sua opinião? Já teve um encontro malfadado com algum deles? Conte para a gente na seção de comentários.

Compartilhar este artigo