Incrível
Incrível

12 Histórias sobre pets para morrer de amor

Sua casa não é mais a mesma depois de adotar um pet: brinquedinhos esparramados pela casa, pelos... em geral, uma casa nem tão limpa assim. Mas você jamais se sentirá triste, sozinho ou entediado se tiver um amigo.

Um passarinho contou aos editores do Incrível.club algumas histórias de pets que são mestres na arte de alegrar seus donos. Divirta-se! :)

  • Saí para fumar, de noite, na sacada de casa. Vi que o gato de um vizinho, escondido, claramente se aproximava de um ninho de pardal. Me escondi e gritei: Xô! Sai daqui, animal!. Só o gato permaneceu em seu lugar: uma senhora que juntava sementes das flores debaixo da sacada deu um pulo de susto; um jovem, que bebia cerveja sentado em uma encanação de esgoto, caiu e saiu correndo; uma menina que estava colando um anúncio na entrada do edifício, se assustou. O gato seguiu escondido, aproximando-se lentamente do ninho...
  • Em uma tarde de inverno, meu esposo viu pela janela que um homem saiu para passear no parque deserto do edifício com um Doberman. O cachorro, solto, estava louco para brincar, mas seu dono estava submerso em alguma conversa no smartphone, sem prestar atenção ao cão. Daí que meu esposo teve uma ideia genial: pegou uma caneta laser e começou a brincar... com o Doberman de outra pessoa. Do 13º andar. O Doberman, enlouquecido, pulava e gania de alegria. O dono seguia falando no celular. Todos estavam felizes.
  • Minha vizinha tinha um papagaio surpreendentemente talentoso. Em pouco tempo, aprendeu a reproduzir o som da campainha, e a coitada da minha vizinha corria 20 vezes ao dia para abrir a porta. Um tempo depois, deram a ela um cachorro de aniversário, e as corridas para atender a porta finalmente acabaram. Quando alguém tocava a campainha de verdade, o cão latia. Minha vizinha não podia estar mais feliz. Mas a alegria durou pouco. Duas semanas mais tarde, o papagaio imitava o som da campainha e logo o som do cachorro latindo.
  • Estou sem dinheiro e não posso comprar uma comida adequada para meu gato, tampouco para mim. Hoje de manhã acordei e vi, no chão, em frente à cama, 3 pardais em fila. De trás deles, o gato, satisfeito. Quando viu que me levantei, empurrou um dos pássaros para mim, como dizendo: "Toma, come um pouco".
  • Uma noite estávamos em família assistindo TV. O gato dos meus pais (um enorme inglês de pelo curto de uns 6-7 kg) estava deitado em outra poltrona. Depois de um tempo, da poltrona onde ele estava, escutamos um lamurioso "miau". Meu pai levantou, pegou o gato e o colocou com cuidado sobre a caminha dele. O gato bocejou e voltou a dormir. Ao ver minha cara de espanto, meu pai explicou: "Estava em uma posição incômoda".
  • Acabei de me mudar para um apartamento novo, na Alemanha. Um dia estava no elevador com uma mulher jovem e seu cão, um labrador preto, lindo. Saímos do elevador, e vi que a mulher era minha vizinha. Entrou em seu apartamento e eu fiquei parada em frente ao meu, procurando as chaves na bolsa. Então escutei de dentro do seu apartamento: "Sitz ("sentado"), Ritter. Sitz!", e, depois, em português: "Mas não em cima do gato, besta! Vamos, levanta! Levantaaaa! Você vai esmagar ele!". Comecei a gargalhar, ela ouviu, abriu a porta, e assim conheci minha conterrânea. Agora, saímos juntas para passear com os cães.
  • Dizem que os gatos não reagem pela palavra, mas sim pela entonação. Na minha casa há 3 gatos. Fiz um experimento: falei amavelmente coisas ruins e grosseiramente coisas boas. Conclusão: meus gatos reagiram especificamente ao conteúdo. Mas meu esposo, à entonação...
  • Na minha casa temos: 2 pitbulls, um rottweiler e um gato. O rottweiler pode levantar 120 kg de uma vez só, os pitbulls, juntos, conseguem espantar um lobo ou até mesmo uma manada de lobos. Meu gato correu todos os gatos da vizinhança, põe os cães sob seu comando e come suas rações. Mas o mestre de todos é o aspirador. Quando ligo para fazer a faxina, todos morrem de medo...
  • Meu gato: "Você está vendo filmes de terror sozinho com fones de ouvido? Que tal se, de repente, eu encostar meus bigodes no seu calcanhar?"
  • Em minha casa tem um casal de gatos. Um dia, a gata caiu da janela do 3º andar. Sobreviveu, mas machucou muito sua pata traseira. Inclusive precisei colocar cone de pescoço nela. Então o gato começou a ceder sua casinha (antes não deixava que ela nem se aproximasse), tapava a caixa de areia por ela e deixava que ela comesse primeiro. A gata entendeu o esquema, e depois de muito tempo começou a confundir qual era a pata quebrada. O gato notou rapidamente; espantou a coitada de sua casinha, deixou de enterrar seus dejetos e começou a ir primeiro no pote de ração.
  • Me levanto muito cedo para trabalhar às 6h00 da manhã. Preparo uma xícara de café e vou para a sacada. Há pouco tempo comecei a ver um casalzinho jovem que se reveza para passear com um labrador. Me encantei com esse cachorro. Fico observando-o todos os dias. Cada vez se comporta de uma maneira diferente, dependendo de com quem está passeando. Se está com a menina, o cão caminha silenciosamente ao seu lado, com a cabeça baixa. A menina caminha olhando para o celular. E se está com o garoto, correm juntos, brincam. Vão em linha reta, de repente o garoto para e corre na direção oposta, mas o cão corre com todas suas forças para alcançá-lo. Atira um pedaço de graveto, o cão o traz de volta em segundos. Tem muita energia! O garoto fica agachado, abre os braços, o cão corre até ele para abraçá-lo. É incrível vê-los! Sempre que vou para a sacada, penso "Tomara que hoje saia o cara, não com a menina"!
  • Na minha casa há um papagaio azul que ama caminhar pelo chão. Um mês depois de sua chegada ao nosso lar, minha avó o pisou. Você acha que a ave morreu? Não, mas começou a falar. E com muita clareza.

E você, também tem histórias engraçadas para contar sobre seus pets?

Produzido com base em material de Oído por ahí, bash
Incrível/Animais/12 Histórias sobre pets para morrer de amor
Compartilhar este artigo
Você pode gostar destes artigos