Incrível
NovoPopular
Inspiração
Criatividade
Admiração

10 Atrações turísticas populares que costumam ser cruéis com os bichos

Consequências brutais podem estar por trás de algumas das mais populares atrações que envolvem a interação com animais e podemos nem estar cientes delas. O contato com coalas fofinhos, macacos brincalhões, cobras graciosas ou golfinhos amigáveis pode nos proporcionar experiências únicas e inesquecíveis, mas os próprios animais costumam sofrer muito com fatores como a falta de espaço, a má alimentação, o uso de correntes ou a exaustão. E essa é apenas uma pequena lista dos problemas que afetam alguns animais nos bastidores dessas atrações.

Incrível.club convida você a conhecer a verdade sobre essas atividades que atraem milhões de turistas anualmente. Após ler este post, convém refletir sobre se vale ou não a pena participar delas!

1. Performances com golfinhos

Os “golfinários” podem parecer uma atração divertida e um tanto inocente, mas a maioria de nós não imagina as coisas cruéis que acontecem nesses lugares. Os golfinhos levados para um golfinário são perseguidos na natureza e capturados em redes. Os animais sofrem um estresse muito grande ao serem transportados e muitos morrem antes mesmo de chegarem ao destino. Aqueles que conseguem sobreviver passam a vida inteira em pequenas piscinas aprendendo truques, o que não é natural para eles.

A situação fica ainda pior nos shows itinerantes, já que, entre as apresentações, os golfinhos são “empacotados” e enviados para o próximo local como se fossem uma bagagem! Eles precisam se encaixar em um espaço minúsculo, com pouca água.

2. Montando em elefantes

Ao dar uma volta em um elefante, podemos nos surpreender com a calma e a lentidão desse animal. Mas a triste verdade por trás disso é que seu espírito está destruído. Os filhotes são retirados de suas mães e forçados a um treinamento violento, com restrições físicas dolorosas e comida e água limitadas. Os animais são mantidos em jaulas por toda a vida e não podem interagir com outros elefantes. Tudo isso acaba completamente com seu bem-estar psicológico e físico.

3. Parques de ursos

Na natureza, os ursos preferem viver sozinhos. Nos parques de ursos, são mantidos em “covas” e jaulas esterilizadas. Geralmente, existem mais de 3 ursos em um espaço, o que o torna superlotado. Mas a tortura não para por aí. Em alguns parques, eles precisam vestir roupas e realizar truques para os visitantes. Isso força os animais a suportarem enormes quantidades de estresse.

4. Macaquinhos dançarinos

Em alguns destinos turísticos populares, como na Tailândia, macacos capturados têm de passar por muitas situações desagradáveis. Eles são treinados para realizar truques e dançar para a multidão. Isso pode parecer divertido para os espectadores, mas os animais não estão se divertindo naquele momento. Quando a performance termina, eles são acorrentados e mantidos em pequenas jaulas.

5. Cobras encantadas

Essa atração super antiga atrai muitas pessoas de diferentes faixas etárias. É fato que observar esses animais perigosos pode ser, de alguma forma, fascinante. Mas na realidade, essas cobras estão sendo retiradas da natureza e têm suas presas removidas. Depois, seus dutos de veneno também são bloqueados, para torna-las inofensivas. Isso pode muitas vezes provocar infecções no animal, levando-o inclusive à morte.

6. Excursões a plantações de café civeta

Uma xícara de café civeta (ou Kopi Luwak) pode custar de 35 a 100 dólares. Esse tipo exótico de café é feito a partir dos grãos digeridos extraídos das fezes das civetas — uma espécie de pequeno mamífero carnívoro. Para aumentar a produção, os agricultores capturam mais civetas e as mantêm em pequenas gaiolas. Essa ação terrível leva a ferimentos e doenças entre os animais capturados e os estressa muito. Além disso, as civetas são obrigadas a comer grandes quantidades de grãos de café, o que não é saudável para elas.

Em países como a Indonésia, os turistas podem visitar lugares onde as civetas são capturadas e têm a chance de experimentar o café.

7. Touradas

Essa tradição bárbara leva à morte de milhares de touros a cada ano. Para garantir sua vitória, os toureiros usam vários métodos para enfraquecer o animal antes do confronto. Eles podem drogá-los, jogar sacos de areia nas suas costas, remover seus chifres para desequilibrá-los ou até esfregar vaselina nos seus olhos para piorar a visão. Durante a disputa, os touros são feridos nas costas e no pescoço e ficam exaustos em todos os sentidos. Geralmente os touros acabam morrendo e os poucos que escapam da morte muitas vezes deixam a arena paralisados.

8. Pedicure com peixes

Os peixes garra rufa, ou peixes-médicos, são geralmente usados para esse procedimento. Eles comem pele morta, não porque realmente gostem dela, mas porque estão famintos e precisam comer para sobreviver. Embora em alguns países esses peixes estejam sendo protegidos legalmente, as pessoas ainda podem comprá-los pela Internet. Eles são entregues em sacos plásticos com água pelos correios, e obviamente, muitos deles morrem durante esse processo de remessa.

9. Abraços em coalas

Sem dúvida, os coalas são muito fofos e todo mundo acaba tendo vontade de abraçar esses animais. Mas o fato é que eles não gostam desse contato com seres humanos, que acaba sendo muito estressante, barulhento e agitado. No entanto, são forçados a isso em nome do entretenimento.

10. Passeios de carruagem e charretes

Muitos casais gostam de fazer passeios românticos de carruagem. Mas do ponto de vista do cavalo, não há nada de bom nessa experiência. Afinal, o animal fica amarrado em arreios e é levado a andar por muitas horas, cavalgando por ruas barulhentas seja qual for o clima. E isso o estressa tanto que às vezes entra em colapso.

Você já visitou alguma dessas atrações? Conhece outras que deveriam ser banidas? Deixe a sua opinião na seção de comentários!

Imagem de capa East News, liveangarsk.ru